2007-03-28

Humilhação assistida por motor

Algum de vós, que não tem mota nem costumam andar com ninguém que tenha, já se interrogou para que serve aquele fio encaracolado (tipo fio de telefone) que algumas motas têm num dos punhos quando estão paradas? Já? Não sabem o que é? Esperem aí que vão gostar de saber...

Faz hoje uma semana que, acabadas as aulas (às 23:00), me dirijo para o meu veículo de duas rodas e me agasalho para fazer frente ao frio. Visto o meu segundo casaco, coloco o capacete e calço as luvas. Estou pronto e a minha postura emana altivez. Sento-me na mota, coloco a chave na ignição e vá de pôr o motor a trabalhar. A mota ruge de forma imponente. Mesmo ao meu lado encontra-se o bar da universidade. Os poucos alunos que estão na esplanada olham para mim maravilhados, como se eu fosse um Deus (ou então coçam os tomates e bebem cerveja ignorando-me totalmente).
Volto o guiador para a esquerda e acelero a fundo, malhando 20 centímetros depois de arrancar.
Em menos de nada tinha um simpático vigilante ao pé de mim a perguntar se precisava de ajuda.
Está o estimado leitor a pensar "este gajo é um nabo!". Não que não seja verdade, mas passo a explicar o que se passou.
Nesta feliz ocasião, do ponto de vista do entretenimento, esqueci-me mais uma vez (longe de ser a primeira) de tirar o cadeado que se põe no disco de travagem na roda da frente (o meu não tem o tal "fio de telefone").
Quando se arranca a direito ainda dá para controlar a travagem forçada. Arranques a curvar... O resto é história! Focinheira no chão.
Que faz um verdadeiro motard depois de proporcionar ao seu público tal momento de diversão? Olha apenas e somente para a mota, enquanto a levanta (para evitar cruzamento de olhares com os que nos observam com elevado nível de gozo). Não se mostra minimamente afectado (um homem não chora!) e raspa-se o mais rapidamente possível.

Já perceberam para que serve o fio a que me referi no inicio do post? Serve para vocês o removerem sempre que o virem colocado num qualquer punho e para que se divirtam quando o motard não se recordar de remover o cadeado.
Enviem fotos!

21 comentários:

  1. loooooooooool és um boacadinho so assim distraído???


    loooool

    mas pelo menos tas bem ou esta ausencia prolongade de posts devey-se a recuperaçao e descanso forçado???

    ResponderEliminar
  2. Só eu? Porque é que achas que alguém teve a ideia de fazer um elástico para pôr no punho agarrado ao cadeado? Somos às centenas a malhar no arranque!

    Deve-se a muito trabalho. Não sofri nenhuma lesão, a mota cai mas eu fico sempre em pé.

    ResponderEliminar
  3. HAHAHAHAHAHAHAHAHA
    Jorge és a vergonha dos motards!!!!
    Buuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!
    Se passares por mim de mota finge que não me conheces ya????
    :P

    ResponderEliminar
  4. Desculpa lá, sou uma naba, tive mota durante anos e isso nunca me aconteceu!!!

    A pior que me aconteceu foi ir com uma amiga na casal boss dela a "subir uma subida" enorme, conseguirmos ultrapassar a custo um carro de ciganos puxado por um burro, sermos ovacionada por eles e depois tivemos de parar para ir apanhar o pedal da mota que entretanto caíra pelo caminho.

    Escusado será dizer que fomos alcançadas pelo veículo rápido e nunca mais os conseguimos ultrapassar.

    Mas não te vanglories com a minha vergonha. Nós não tinhamos um bar de estudantes a assistir!

    ResponderEliminar
  5. Aposto que quem gozou mais foram os gaijos coçadores de tomates!

    Uma vez assisti a uma cena fantástica. Estava no café mais uns amigos e estaciona à frente um jove que começa a fazer acelerações para impressionar as garinas. De tanta aceleração de repete ouve-se um PUUUUUMMM! O motor tinha partido. Acho que ninguém arredou pé até chegar o reboque e, principalmente, o papá dono do carro, a perguntar ao rebento como tal podia ter acontecido...

    ResponderEliminar
  6. Mas é que eu sou uma criança inocente. Já nem tento impressionar as garinas.

    Alexandra, do teu discurso retive o seguinte: "sou uma naba"

    Papoila, até vou fingir que não te passo por cima!

    ResponderEliminar
  7. Jorge,

    Assim não vais lá. Só retiveste isso? Está visto o porquê do teu insucesso nos exames...

    ResponderEliminar
  8. A que exames se refere vossa excelência? Vêm aí boatos acerca da minha próstata?

    ResponderEliminar
  9. Referia-me aos da "escola". Ainda és novinho para os da próstata. Espera mais dois aninhos, ok?

    ResponderEliminar
  10. Tenho que esperar tanto tempo?
    Eu queria tanto um toque rectal...

    ResponderEliminar
  11. Para fazer essas figuras de mota, só mesmo quem anseia por um toque rectal. És um bocado nabo desculpa lá! :-D

    ResponderEliminar
  12. Ahhhhhhh! Por isso foste perguntar pelos homossexuais!

    Há lá uns jeitosinhos só para ti. ;-)

    ResponderEliminar
  13. Tadito...hehehehe....são coisas que acontecem aos melhores :P

    ResponderEliminar
  14. Saí da casa de um conhecido meu.Já em alta..., mas ia para casa. Por isso que servia andar em alta para ir para casa? Manias. Mas não interessa. Tinha o cadeado no disco de trás colocado(daqueles amarelos pequeninos). Destranco a mota e puxo a mota para trás. Estava num beco sem saida. Partiu-se o disco. Peguei no disco e pus no bolso. Não queria que me tomassem por distraido, que de distraido tenho pouco. Lição : Nunca mas nunca estacionem a mota num beco sem saida.

    ResponderEliminar
  15. Desculpa, mas nao pode de deixar de me rir como uma louca :P
    Obrigado pela visita.

    Beijo

    Alice

    ResponderEliminar
  16. Aposto que havia umas "jeitosas" na esplanada!!!!
    Afinal de contas o verdadeiro motard não se esquece de tirar o cadeado, a menos que haja um bom motivo de distração!

    ResponderEliminar
  17. Como vês eu prometo e cumpro! Aqui vai o primeiro comentário!

    ResponderEliminar