2007-01-03

Ano novo, desporto novo - esquiando no vomitado

Eu não bebo bebidas alcoólicas. Não gosto do sabor, não tolero álcool.
Esta passagem de ano abri uma excepção. Deve ter sido talvez a terceira vez que bebi coisinhas que "comem" o fígado e não admira que o tenha feito. Quem é que no seu perfeito juízo alinha num fim-de-semana de passagem de ano ao estilo surf-trip (expressão que abomino) sem que faça surf? Só mesmo um animal com fraca ou inexistente inteligência.
Que que bebeu esta jovem besta? Comecei com vinho branco. A cada copo o mesmo esgar de esta-merda-sabe-mal seguido de um arrepio. Prossegui com vodka e bacardi.
Não é que tive a moralidade de repreender os outros por estarem a fazer misturas e fui cair nesse mesmo erro? Resultado: alegria, desequilíbrio e jantarzinho pelo chão. Numa das sessões de vomitado fui literalmente a esquiar pelo que me havia saído pela boca havia meio-segundo, mas fi-lo com graciosidade. Não só não me sujei como o fiz, ainda que em movimento, já na beira da estrada onde se encontrava um colega de álcool a terminar a sua actuação. Tive melhor pontuação artística que ele.
O que mais gostei foi no dia seguinte, com uma tremenda dor de cabeça, começar logo às 12:00 a telefonar a todo o pessoal que me lembrei, na esperança (e com sucesso) de acordar ressacados em pior estado que eu. Pelo número de chamadas rejeitadas fui bem sucedido.

Surpreendentemente, nunca estive bêbado (acho eu!). Se continuo a conseguir manipular
e mentir...
Acho que sou imbebedável. Acredito mesmo que só vomitei pelo excessivo número de indivíduos com cabelo à pelo-de-arame-loiro. O meu estômago não é assim tão forte.

Sem comentários:

Enviar um comentário