2016-03-01

Vânia Nunes

 
Vânia Nunes é uma mulher bonita, com boa aparência e que, tal como milhões de outras pessoas, tem dezenas de fotos no Facebook visíveis por qualquer anónimo (mais precisamente 108), numa rede social relativamente neutra no que toca ao tipo de pessoas que a ela aderem.




Vânia Nunes é também uma mulher que deve ter sorte no amor pois parece ser casada.



Vânia Nunes é também a jornalista que decidiu ser o veículo de uma não-notícia que procura apenas atrair cliques à custa da intimidade de uma deputada. É, portanto, uma besta.

Escarafunchar as vidas de pessoas que, ao contrário dos concorrentes de reality shows não aceitaram abdicar de boa parte da sua privacidade em troca de dinheiro e fama, é grave. Este caso é especialmente perverso e passo a explicar porquê.

O Tinder não é propriamente uma rede social. O Tinder é uma aplicação onde as pessoas procuram parceiros para a nobre arte da fornicação sem compromisso e sem percas de tempo. Não é esse o propósito oficial mas é do conhecimento generalizado que assim o é.
O Tinder mostra aos utilizadores perfis compatíveis com a orientação sexual dos mesmos. Se alguém anda à procura de homens, não receberá perfis de mulheres.

Vânia Nunes não parece ser lésbica. Tal como escrevi anteriormente parece ser casada com um homem (há uma fotografia pública do casamento). Quer isto dizer que a jornalista decidiu redigir esta notícias a partir da dica dada por alguém que andasse à procura de senhoras para ter uns orgasmos.
Sendo suficientemente mau achar que uma mulher aceita fazer isto a outra mulher sem antes espernear perante o editor até ao limite das suas forças, pior será imaginar que esta pessoa possa ter-se introduzido no Tinder com um perfil falso precisamente para conseguir este tipo de informação. Passa da produção de uma notícia a partir de um conhecimento tomado por via acidental para a perseguição voluntária deste tipo de jornalismo.

Estar no Tinder é um eventual embaraço que se supera com facilidade pelo facto de que todas as pessoas que por lá se passeiam não poderem apontar a vara da humilhação a ninguém. "Se sabes que estou aqui é porque andas à procura do mesmo."
Vânia Nunes decidiu retirar esse manto protector a esta deputada mostrando fotografias da mesma em bikini e expondo-a contra a sua vontade a quem não está dentro daquele "clube".


A propósito, Vanda Nunes também tem fotos em bikini, públicas e numa rede social neutra.

Não quero com isto dizer que há algum mal em que uma mulher queira ter sexo descomprometido e rápido. O que não deverá é haver muitas que queiram assumi-lo publicamente por ainda haver uma carga negativa associada muito elevada.
É sempre bom que cada um(a) possa decidir por si e não estar à mercê das vontades de Vânia.


O director desta espuma-de-canto-da-boca à qual chamam Correio da Manhã, Octávio Ribeiro, não tem, para grande infelicidade minha, presença na net suficientemente íntima para que possa fazer uso da mesma neste post.

Se por acaso algum dia a Vânia vier a sentir-se desconfortável ao tomar conhecimento da existência deste post e pelo facto de conter fotografias suas, não fique, por favor.
É que, como disse inicialmente, é uma mulher bonita e com boa aparência. O que é realmente embaraçoso, sujo e repugnante é o trabalho que faz. É essa a parte da sua vida que expõe voluntariamente e que deveria estar coberta com uma gigante parra.

2 comentários: