2015-05-01

Olá bebé, adeus bebé.

Eu, como masturbador regular, condeno à morte com uma frequência bastante considerável milhões de espermatozóides. Gostaria que a carta que está na berra também lhes fosse endereçada. Podem colocar umas quantas cópias na sanita que eles hão-de lê-la na ETAR mais próxima.

Caros Cristãos-que-acham-que-uma-menina-de-12-anos-deve-parir,

Já que o pai-avô da criança forçou o acesso ao útero da sua filha, porque não fazer o inverso?
Vamos lá avançar com este parto natural, ao melhor estilo de "Alien", para o qual a mãe não está fisicamente preparada.
Quanto à capacidade psicológica da criança para amar o bebé, isso é completamente irrelevante. O que é realmente importante é salvar o irmão-filho da mãe e neto do pai.
Tudo isto pode parecer confuso mas estou certo de que daqui a uns anos, numa qualquer consoada de Natal, todos hão-de rir deste momento difícil e estarão felizes pelas decisões tomadas:

Mãe - Ainda bem que não me permitiram abortar. Se assim tivesse sido hoje em dia não teria o Manel, esta coisa fofa que tanto se parece com o pai.
Ó pai? Lembras-te daquela vez em que eu sangrei? Aquela primeira vez na qual me enterraste violentamente o caralho nas partes virgens? Acho que foi nessa noite de terno amor que ele foi concebido.
Pai -  Não sei. O que te posso dizer é que a dona Alzira, a que tem cataratas, diz que ele se parece muito mais com o avô do que comigo. É tão estúpida!
Manel - Avô, avô! Posso comer um chocolate?
Avô - Não sei... Temos que perguntar à irmã.
Irmã - Pai, se tu és avô do meu irmão, isso quer dizer que também sou tua neta?

E todos riem como se fosse o final do episódio de uma sitcom dos anos 90! Depois, durante os créditos finais, a filha afoga o Manel na banheira e espeta uma faca na garganta do pai.

Deus, o Tipo omnipresente que ao menino e ao borracho põe a mão por baixo decidiu estender a cortesia ao género oposto mas de uma forma um pouco mais intrusiva e com um ou outro dedo mais saliente.
É nos dizeres de uma Besta deste calibre que se baseiam para defender esta vida que tem tanta probabilidade de ser feliz como eu de defecar diamantes?

4 comentários:

  1. Não percebo estes catolicistas. Uma criança deve ser criança o máximo que puder. Eu acho que mais vale uma pessoa perturbada do que duas muito perturbadas.

    ResponderEliminar
  2. Passei este texto para o meu FB, indicando a fonte. É bom demais.

    ResponderEliminar