2014-12-31

Ejaculação precoce

Já oiço foguetes.
Se pelo menos fosse um acidente que conduzisse ao rebentamento concentrado e descontrolado de uma elevada carga pirotécnica...
A ser isso espero que haja crianças por perto. Adoro o efeito visual dos pequenotes a correr em chamas.

A passagem de ano é isto


2014-12-17

Sopas de diulente e bifes de amianto


 

Mas qual é que é a dieta desta gente? Fizeram uma casa na árvore e só depois perceberam que aquilo afinal era uma antena de telemóvel?
Não, não me preocupei em ler o artigo, trata-se do Correio da Manhã...

2014-12-12

Quando como milho...

... parece época de santos populares na aldeia que é a minha loiça sanitária.

2014-12-10

Tarde

No último ano e pouco tive a oportunidade de conviver com uma pessoa maravilhosa que me surgiu através deste blog.

Dona de uma beleza interior e exterior com a qual nunca me havia cruzado, viu a espécie de diamante em bruto que tinha em mãos (completamente verdade se excluirmos a parte do diamante) e aceitou-me.
Apesar de todas as limitações e bloqueios com que se cruzou dentro desta mente, que não é recomendável, concedeu-me muitos dias de grande felicidade, colesterol, hiperglicémia, maus tratos físicos variados (dos quais sempre fui vítima, sublinhe-se) e cumplicidade, muita cumplicidade.

Nos últimos 18 anos foi a única pessoa que me viu derramar uma lágrima e provavelmente a única pessoa que temeu morrer afogada num carro perfeitamente estacionado em terra. Foi também a única que mereceu tão inesperado dilúvio.

Para ela, que foi de uma generosidade extrema, que fez de mim uma pessoa muito melhor do que aquilo que alguma vez fui, que merece ser feliz em quantidades industriais e porque embirrava com o meu caminhar muito pouco linear, vai isto. Ironicamente ouvi esta edição imediatamente antes de começar a escrever este post.

E também vai isto.

A programação habitual segue dentro de momentos.

2014-12-08

O Lidl tem um sósia do Manuel Cavaco

Fui forçado por uma pessoa que muito estimo (recorreu a arma de fogo e cães esfomeados) a seguir esta edição da Casa dos Segredos.

Não prestava a devida atenção a este tipo de programa desde o Big Brother 2 mas já sabia que o casting havia evoluído bastante e que era devidamente orientado para que se encontrassem os mais reles habitantes do Barreiro e da Brandoa.

Fui surpreendido pela forma engenhosa como a produção conseguiu resolver aquele problema que era o facto dos concorrentes terem vontade própria do público ter (alegadamente) algo a dizer no que toca a votações: criaram um jogo sem regras.
Removeram com grande mestria o manto da desconfiança porque agora já não têm qualquer necessidade de manipular o que quer que seja porque só chega a votações quem eles quiserem.

Como se não bastasse uma deslealdade constante para com pessoas que estão à mercê dos caprichos de uma entidade superior que se chama "A Voz", através da qual momentos que deveriam ser privados entre concorrentes passam a ser difundidos publicamente, ainda temos que levar com um Badaró-Fernando-Mendes feminino que bebeu (bastante) licor de Paulo Portas e que simplesmente não sabe como parar com o chorrilho de trocadilhos.
E o que dizer da classe que é enunciar em horário nobre o número de dedos necessários para levar ao limite a cavidade vaginal de uma concorrente?

Se por um lado tudo isto me gera uma profunda irritação, por outro fico agradavelmente feliz com a forma engenhosa como conseguiram apreender gado que tem idade suficiente para fornicar no ecrã e em simultâneo ter como missões fazer caretas, bandeiras de piratas, recebendo prémios tão fantásticos como moedas de chocolate. Ai Casa Pia, Casa Pia...