2014-06-26

Ainda bem que Portugal não passou

Não, este post nada tem a ver com a prestação de Portugal no Mundial de 2014. Este post é um lamento público pelo facto da Controlinveste ter despedido neste mesmo mês 140 trabalhadores e por nenhum deles ser o jornalista João Ricardo Pateiro.

Quem seguiu o Portugal vs Gana pela TSF sabe que o país foi submetido a mais um relato feito por um jornalista com um caso muito grave de Badarozice.

Este é um profissional que CANTA canções famosas quando um jogador marca um golo, com a letra alterada, de forma a que sejam dedicadas ao mesmo. Note-se que isto não é um improviso do momento nem um rasgo de criatividade fruto da emoção, isto é pensado e bem pensado. Um dia fê-lo de forma espontânea, ganhou um prémio por isso e passou a achar que era um verdadeiro artista.

Para além de ter repetido cerca de 10 vezes a piadola "Onde é que a bola pincha? É no estádio Mané Garrincha!" também nos brindou com esta merda e ainda esta (entretanto o jogo continua e o ouvinte não sabe um boi do que se passa porque o batatinha tem que prosseguir com o seu plano para dominar o festival da canção).

Grau 10 na escala de vergonha alheia.

2014-06-24

Last Week Tonight with John Oliver

Para quem gosta do Daily Show e do John Stewart, este programa é obrigatório.
A linha seguida e os temas abordados são muito semelhantes mas a violência com que são tratados é consideravelmente maior.
Ao iniciar o visionamento do último programa deparei-me com uma pequena surpresa:




2014-06-20

760 227 872

Estava convencido que levar uma pazada no meio dos olhos seria o suficiente para atordoar a erecção cristianica que invadiu Portugal. Enganei-me.

A comunicação social continua a bombardear-nos com "o melhor do mundo" e todas as variações possíveis e imaginárias do Camões dos relvados, aquele que vai nadar com a equipa numa das mãos.

Dá para parar com isto? Dá para aprender com o ridículo que ficou lá atrás, campeonato após campeonato, e parar de tratar a selecção como o Ronaldo e mais 10 gajos? É que não só é irritante e ofensivo como já se viu que o miúdo não faz rigorosamente nada de jeito se não for convenientemente servido.

Se as televisões quiserem fazer alguma coisa útil pela nação, tratem de criar uma linha 760 cujo número seja repetido até à exaustão e cujo prémio seja castrar o Pepe com direito a emissão em directo no canal Panda. O ecrã do meu telemóvel ficaria rapidamente gasto. Faço tudo pela formação dos mais pequenos (e para castigar os mais estúpidos).

2014-06-17

Creio que os portugueses necessitam que venha aqui um tipo que não percebe nada de bola ajudar a clarificar ideias. Não têm quê.

É certo que Portugal estava altamente descoordenado e que mal conseguia trocar a bola sem fazer merda mas, ainda assim, mesmo depois do penalti-no-qual-pepe-se-chegou-tanto-ao-árbitro-que-devia-ter-logo-levado-um-amarelo, Portugal estava a conseguir manter um jogo equilibrado. Não estavam a criar grandes situações de perigo mas o inverso também era verdade.

Quanto ao Pepe, uma besta amplamente documentada, tem que perceber que por muito que o seu toque de cabeça tenha sido suave foi completamente despropositado e passível de ser visto de forma bem diferente. Mas não nos enganemos: não tivesse sido expulso naquela altura, sê-lo-ia noutra qualquer. Este tipo deveria ser disciplinado com choques eléctricos no escroto.

Daí para diante estávamos bem condenados mas eu vi uma equipa atabalhoada mas que mesmo com 10 jogadores continuou a chegar à baliza adversária com pouca capacidade mas com vontade de fazer alguma coisa. Foi só na minha televisão que este jogo passou? Esta ambição não é louvável?

Seria injusto não referir que o Rui Patrício deveria ser atropelado e deixado numa valeta.

Ontem lembrei-me porque é que não gosto de assistir a jogos com companhia: a maioria das pessoas é um cata-vento opinativo e com uma cegueira parcial toupeiresca.