2014-03-25

Quero casar com José Rodrigues dos Santos

Desde que Judite de Sousa e José Alberto Carvalho saíram da RTP (rumando a uma ETAR televisiva) que a RTP só tem uma figura de peso.
Sempre que vejo um qualquer jornalista com uma postura abananada a fazer uma "grande" entrevista a um primeiro ministro ou uma personalidade de relevo, penso no Zézito das orelhas gigantes:
- Onde estará? Porque é que não é ele a dar uma tareia a este entrevistado?

José Rodrigues dos Santos fez frente, por várias vezes, a administrações da RTP. Já tentaram correr com ele da estação, sem sucesso. É uma alma simpática e em simultâneo um cavalo indomável, altamente imprevisível. Acredito que tenha sido por esta razão que não tem sido colocado na posição de destaque que merece.

Neste Domingo, na primeira oportunidade que teve para defrontar um ex-primeiro ministro com graves problemas de atitude, Rodrigues dos santos não desiludiu e deu-lhe uma senhora coça, com direito a vários rounds (8m30s).

Como se isto já não fosse suficiente para eu querer ser as mãe dos seus filhos, desejar que ele fecundasse o meu útero rectal numa louca noite de amor, José Rodrigues dos Santos intervém para desmontar a polémica que se gerou em torno da entrevista explicando o que havia acontecido algumas horas antes:
"Almoçámos e expliquei-lhe o meu raciocínio. Avisei-o de que, se encontrasse contradições ou aparentes contradições entre o que diz agora e o que disse e fez no passado, as colocaria frente a frente e olhos nos olhos, sem tergiversações nem subterfúgios, como mandam as regras da minha profissão."

Fosse eu gay e não descansaria enquanto não conseguisse virar este macho intelectualmente musculado.

2014-03-20

O Tom Hanks que não há em nós

O filme "Captain Philips" conta a história da tripulação de um navio que foi feita refém por piratas somalis.
Não sendo especialmente brilhante vale pela cena final.

Agora que a crise está teoricamente de saída, que das máquinas multibanco brotarão flores e unicórnios, está na altura dos portugueses que saíram relativamente intocados pelo papão Troika (tal como eu) respirarem de alívio e voltarem a votar no PSD e CDS.
  • Está na altura de ignorar que há milhares de pessoas que caíram no desemprego e que não voltarão a fazer parte da população activa, com todos os problemas financeiros e de auto-estima que isso acarreta.
  • Está na altura de ignorar que há milhares de pessoas que passaram dezenas de anos a pagar o empréstimo que contraíram para a compra da sua casa e que, tendo pago de 80% da mesma, vêem-se incapazes de pagar o restante, perdendo assim todo o dinheiro despendido e o telhado que os protegia.
  • Está na altura de sermos pragmáticos e de ignorarmos todo o sofrimento alheio porque, na verdade, ele não é real, não nos toca, não nos diz respeito.
  • Está na altura de continuarmos a cavar um pouco mais o fosso social que conduzirá à desintegração da pirâmide onde confortavelmente alapámos o rabo.

Contracenando com uma verdadeira médica da marinha norte-americana, com nenhuma experiência como actriz e que no primeiro take estava de tal modo em pânico que não conseguiu desenrascar uma interpretação minimamente aceitável, Tom Hanks faz, logo ao segundo take aquilo que provavelmente não é inteligível para quem não viu o resto do filme ou para quem demonstrou publicamente uma grande indignação pelos "ataques" da Pepsi em relação Cristiano Ronaldo.