2013-05-01

O que é que ele(a) tem que eu não tenho?

Esta é a pergunta clássica que já toda a gente teve que responder ou fazer a alguém (mais que não seja ao espelho).

O que me causa alguma estranheza é que seja feita de uma forma emocional embora a mesma configure um problema meramente cientifico, quase como se de uma fórmula matemática se tratasse.


Como é que tem cabimento tentar contabilizar um saldo de interesse quando o não há explicação para o que enfeitiça uma pessoa pela outra?

Ou assumimos que a "química" de que se fala, que curiosamente também é invocada geralmente de forma emocional, é uma avaliação inconsciente do que as feromonas nos dizem acerca do hipotético objecto de desejo, ou aceitamos que para uma pessoa gostar amorosamente da outra não basta que a mesma esteja livre e que veja na outra um 100% no que toca a uma lista de requisitos que não é elaborável por ninguém.

O que é que ele(a) tem que eu não tenho? Ninguém sabe.

2 comentários: