2012-08-19

Casamento V

Nos círculos familiares mais afastados (mas suficientemente próximos) há coxos, estrábicos, obesos de forma mórbida e muitos feios (daqueles que os chacais comem mas não roem a cara por medo).
O meu fenótipo passou pelos intervalos da chuva, o meu genótipo escreve neste blog.

4 comentários:

  1. Sinceramente, não sei o que é pior: os que têm alguma, embora possa ser pouca em alguns casos, consanguinidade connosco, ou os que têm a categoria de afins - porque os nossos consanguíneos resolveram acasalar com eles. Eu prefiro pensar que os afins são mais feios. Mais gordos. Mais parolos.
    Depois aparecem as crias, que também são um pouco consanguíneas connosco, mas já aproveitam da outra genética. A conclusão que se tira daí é que os bons genes são recessivos e que, por melhores que sejam, perdem-se com a maior das facilidades, diluindo-se na parolice.

    ResponderEliminar
  2. Na minha família há drogados, ex-reclusos e doentes mentais. Eu escrevi um livro no teu blog a propósito de Family Ties. Nunca se sabe o que poderei fazer se escreveres um post sobre Uma Casa na Pradaria ou Cinema Paraíso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não tenho uma diversidade tão grande à minha disposição.

      Eliminar