2011-10-28

Apostar na geração errada

Durante a adolescência tinha um grupo considerável de amigas cujas casas frequentava. Sempre que era apresentado à família fazia sucesso junto da entidade maternal.
Os bons modos, o discurso maduro e a minha aparência angelical encantava-as ao ponto de me quererem impingir às filhas. Esta operação estava sempre condenada ao fracasso porque, como deverão saber, não há nada como o elogio de uma mãe para queimar de imediato as hipóteses do alvo de tal distinção.

Se as mamãs sonhassem com a pornografia que me ia na cabeça e na qual gostaria de envolver os seus rebentos, passaria de futuro genro a javardo castrado.

2011-10-18

"É o país dos revolucionários de café e Che Guevaras de sofá."*

Não respeito pessoas que formam as suas opiniões à medida dos seus interesses. O que hoje é moralmente aceitável não deverá deixar de o ser amanhã só porque já nos toca no lombo.

Embora concorde um pouco mais com esta manifestação do que com a anterior, tanto no tom como no local, custa-me alinhar naquela massa. Não me aprumo por todos aqueles que insistem em não admitir as sua participação no afundamento do país. A corrupção e fuga aos impostos é algo completamente transversal a todas as classes sociais. Não serão poucos os que agora se vão juntar aos protestos e que, nos tempos mais gordos, fugiram aos impostos não por uma questão de sobrevivência, mas para poderem comprar um Mercedes em vez de um Renault. 100.000 a roubar 10 € será sempre pior do que 10 a roubarem 1.000 €. Posto isto, tenham a bondade de não me foder com as balelas habituais até porque, mesmo que me dêem beijos na nuca, até ver, isto é canal de sentido único.
Também me custa caminhar na mesma rua e fazer parte do mesmo grupo de pessoas onde se encontram alguns dos seres que mais desprezo: anarquistas e a esquerda caviar (ambos registam o evento tirando fotografias com Iphones).

Warren Buffett, multimilionário norte-americano, propôs uma taxação mais elevada para as grandes empresas e surgiu como uma espécie de herói fiscal. Para mim ele é apenas inteligente e de herói nada tem.
Não foi por mera piedade para com as classes mais baixas que sugeriu tal "esforço". Buffett sabe bem que o mesmo que tornou a economia algo de global, um bicho que faz com que países inteiros desabem como peças de dominó, também quebrou toda e qualquer capacidade de controlar a informação.

Tal como a "primavera árabe" e o Wikileaks tão bem demonstraram, a internet é uma ferramenta literalmente imparável, uma espécie de Skynet invertido que não pode ser desligado sob pena de destruir o mundo.

O amigo Warren percebeu que a terceira guerra mundial pode não ser entre nações mas sim entre classes sociais. Se os pobres forem estrangulados os ricos não só não terão trabalhadores para continuar a encher a sua alcofa, como enfrentarão a fúria de milhões de pessoas desesperadas.
O que se passou em Londres foi uma brincadeira de crianças. Se houver uma ideologia agregadora por detrás da violência, as repercussões serão incalculáveis.

Porque é que a indignação que dá o nome a esta manifestação não é extensível à exploração feita pelos países mais desenvolvidos em relação aos de terceiro mundo? Só são maus os que têm mais dinheiro do que nós, é isso?

Desejo uma boa e vigorosa dose de cerâmica das Caldas da Rainha para todos aqueles que se sentiram ofendidos pelo conteúdo deste texto.

* Pedro Miguel Silva Filipe

2011-10-16

Foi um prazer

Num mundo perfeito toda a gente teria um blog e tudo seria mais fácil. Poderia dirigir-me a uma estranha e desenvolver o seguinte monólogo:
- Olá o meu nome é Piston e quero informar-te que o meu pénis acaba de me dar sinais no sentido de querer abrir um processo de atracção por ti. Fica com o meu cartão, este é o endereço do meu blog. Se te interessar deixa por lá um comentário para eu dar uma olhadela ao teu.
Se entrarmos em acordo poderemos marcar encontro com o objectivo de percebermos quais são as características de convívio pessoal que nos tornam completamente insuportáveis um para o outro. Se tudo isto falhar vamos mesmo ter que ir para a cama, ok?

2011-10-13

7 horas

Acreditando em mais um estudo estúpido para o qual fui alertado ao assistir a um programa de televisão, este é o número médio de horas de conversa necessárias para levar uma mulher para a cama.
A ser verdade é, certamente, um valor deflacionado pelo uso de respostas como as dadas por Elsa Raposo ou José Castelo Branco.

Se eu estivesse nesta competição, neste segmento de actividade e houvesse um ranking, deveria encontrar-me ligeiramente abaixo de Mafalda Veiga. Pelos cálculos que fiz a minha média é de 264 horas.

2011-10-12

Iniciativa legislativa

Há certas e determinadas pessoas que usam todo o tipo de estratagemas para conseguir obter alguma vantagem em relação aos que lhes são superiores.
Quando estou a correr e vejo um tipo a passar por mim de cadeira de rodas, sinto uma extrema injustiça. Defendo que estes desordeiros, com um especial apetite pela batota, sejam autuados e lhes seja aplicada uma coima com o valor de 3 vértebras.

"I believe whatever doesn't kill you, simply makes you... stranger"

Então não é que a visada teve o desplante de dizer que gostou do post e que os comentários não incomodaram nada?

Vocês são tão macios.

2011-10-11

Sugestões?

Estava eu a terminar de jantar um maravilhoso empadão de diluente quando, do alto da sua respeitável idade, uma embalagem de Sunny Delight exclama com aquele vozeirão que lhe é tão característico e que chama a si todas as atenções:

SD - Piston, está na hora de mudares de habitação, este local já não tem nada para te oferecer!
Piston - Na ausência de vitamina C, deverás dançar o cancan.
SD - Vais começar de imediato a procurar uma localidade cheia de encantos, com preços recomendáveis e darás inicio ao processo de mudanças num prazo nunca superior a 4 meses.
Piston - Vai para a puta que te pariu. Nunca me aceitaste como teu filho, não me respeitas como um semelhante.
SD - Que Deus te sirva uma tosta mista e um suco de manga. Assim o defini e de outra forma não será executado.

2011-10-10

Era uma vez um inglês, um francês e um português.

Um ex-colega de trabalho com quem devo ter falado umas cinco vezes na minha vida, incluindo a vez em que tive a infelicidade de lhe dar boleia e o meu número de telemóvel, anda a perseguir-me via sms. Envia-me anedotas e outras coisas ridículas.
Às vezes lembra-se de perguntar se gostei, noutras ocasiões pergunta-me se quero que deixe de me enviar mensagens visto que NUNCA lhe respondi a nenhuma.
Isto dura há 4 meses e estou tentado a quebrar o silêncio com uma generosa sandes de vernáculo.
Há homens que sabem mesmo fazer com que uma garota se sinta especial.

2011-10-09

Jake Tyler Brigance

Imaginem que um moço conheceu uma moça há muitos anos atrás e que ela tinha um blog.
Imaginem que falaram durante muitos meses, apenas pela internet, e que nunca se chegaram a encontrar porque a moça, ao perceber que o moço estava a ficar apanhadinho, cortou o contacto.
Imaginem que anos mais tarde ele cria um blog e, esporadicamente,  comenta o blog dela com a sua nova e insuspeita identidade, sem qualquer pretensão de maior.
Imaginem que 6 anos mais tarde ela começa a comentar o blog dando a entender claramente que sabia o seu verdadeiro nome. Ele percebeu que era inútil fazer-se parvo quando ela lhe bateu à porta do Facebook como quem diz "sei o que fizeste no Verão passado".
Imaginem que retomam o contacto, que voltam a falar durante longas horas e que o moço fraqueja ao perceber que o que fazia sentido há um tempo atrás mantém-se inalterado.

Imaginem agora que o moço é forçado a ser juiz em causa própria e, dotado de uma capacidade de desprendimento emocional ou de acefalia grave, distribui conselhos sentimentais contrários aos seus próprios interesses (comportamento já observado em casos anteriores).
Este tipo deve sofrer uma lobotomia ou deverá antes ser certificado como dador vivo de órgãos?

2011-10-08

Rancor

Se para muitos pode ser considerado um defeito, para mim é uma qualidade muito apreciável.
Como já devem ter reparado tenho uma obsessão, chamada coerência, para a qual ainda não encontrei um aspecto da vida no qual não fosse aplicável.

Nestas coisas da interacção social gosto de gravar na memória, com um ferro em brasa, as pessoas que me fizeram algum dói-dói, que o tentaram fazer ou o que fizeram a terceiros. Ainda que não sendo um tipo dado a vinganças, prezo a reciprocidade: se me dão um pratinho de merda para eu papar, não servirei caramelo em retorno.

Assim como a capacidade de mudar de opinião é uma demonstração de inteligência, ter uma opinião volátil é simplesmente de uma pobreza de espírito que me atormenta a alma.
Toda a gente tem o potencial e o direito de mudar e de se tornar uma pessoa melhor, de ser perdoado(a),  mesmo que tenha tido um historial como facínora. Aceito isto mas não tenho um pingo de paciência para aqueles que hoje odeiam, amanhã estão a tomar o pequeno-almoço e a rir com o alvo do ex-ódio e que no dia seguinte estão novamente a destilar veneno.

Sejam genuínos, deixem que o ódio se instale nas vossas vidas e sejam felizes.

Nota - Esta mensagem é subscrita pela maioria dos líderes religiosos. Antes de iniciar o consumo de ódio consulte o seu médico assistente.

2011-10-04

Exibicionismo

Eu, que nunca coloquei fotografias minhas no blog, fui hoje mesmo instado a fazê-lo.
As provocadoras em questão, Luna e Juanna, fizeram-no no âmbito da história de uma louca que se passou da cabeça e, depois de debitar quilos de comentários num post acerca da Scarlett Johansson (o ódio pessoal de Luna), decidiu publicar uma troca de e-mails privada com uma finalidade até à data desconhecida.

Tendo em conta que o mote inicial do post que causou a ira da senhora era a privacidade da menina Scarlett, Luna e Juanna lançaram a dúvida: será que a perturbada criatura apenas tem restrições morais no que toca à divulgação de fotografias com nudez?

Meninas, ouvi o vosso apelo e aqui estou, qual mártir da Playboy, pronto a servir como cobaia.

Aqui me exponho, tal como vim ao mundo.

2011-10-03

"Posts engraçaditos"

Há aqui uma coisa à direita do blog que se chama "Posts engraçaditos".
Quero esclarecer que só hoje me apercebi das figuras tristes que ando a fazer há anos.
Aqueles são posts que partilho através do Google Reader e não são obrigatoriamente coisas a que eu acho especial piada. Muitos deles são partilhados juntamente com um comentário meu que SÓ ESTÁ VISÍVEL PARA QUEM CARREGA EM "VIEW ALL".

Este pequeno detalhe que eu desconhecia causou, certamente, danos irreparáveis à minha já frágil reputação.
Apaguem da memória todos os posts queridos que ali viram. Certamente havia uma boa e azeda razão para os ter partilhado.

2011-10-02

18 gramas

Preocupado com a velocidade a que me aproximo de me tornar num mendigo ou outra qualquer forma de individuo socialmente isolado, confessava a uma amiga que começava a acreditar que a minha falta de empatia familiar não se deveria apenas ao meu feitio intragável mas também a um real desequilíbrio mental, algo de físico-químico que me deveria acompanhar desde a mais tenra idade. Comentava também que nem me atrevia a expressar este tipo de desabafo no blog porque, depois de eventos recentes em que serial killers escreveram muita coisa na net, as quais não foram levadas a sério, este tipo de revelação poderia dar um novo significado a alguns textos que debitei ao longo dos anos.
Sempre pronta a dar-me apoio e portadora de uma grande capacidade de apaziguação emocional interrompe-me e com a maior calma do mundo diz-me, como quem dissipa inseguranças tolas:

- Precisas de terapia.

2011-10-01

Corrente-de-ar

Ainda há mulheres que sofrem por Amor com as pernas fechadas.
Ainda há homens que não lavam as mãos antes de sair da casa-de-banho.