2011-11-22

Extravagâncias

Vamos assumir por momentos que há outras crianças e adultos que, tal como o filho do Carlos Martins, gostam de não-morrer. Imaginem que todas elas são anónimas e que os seus familiares lançaram apelos por e-mail, Facebook, etc.
Porque carga de água é que milhares de portugueses decidiram ser passivos perante a morte dos outros e surgem agora carregados de solidariedade e emoções puras?

Deixo-vos com esta questão despedindo-me com um comovido vão-para-o-caralho.

Nota - Medula não é uma coisa que se verte para uma garrafa de Fastio e que se dá a alguém à nossa escolha. O que vocês vão fazer, recém solidários, é apenas um teste de histocompatibilidade. Para vossa infelicidade poderá descobrir-se que são compatíveis com outra qualquer pessoa que não é famosa. Uma chatice.

11 comentários:

  1. Concordo a 100%!!! Isto enerva-me até ao infinito!!!
    Ver a foto da anormal da irmã do Cristiano Ronaldo na capa do correio da manhã a fazer de boazinha!!!
    Eu tb sou dadora à 5 anos,e agora? Vêm cá fazer uma reportagem???? Hum?

    ResponderEliminar
  2. C'mon... É assim que funciona uma sociedade desta dimensão. Casos mediáticos só ajudam a que a informação chegue a mais sítios e portanto a mobilização é maior. É impossível haver este tipo de mediatização por cada caso como o do filho do Carlos Anónimo, porque se houvesse fomentava só a indiferença em relação a *mais* um caso.

    Se o caso se passasse numa aldeia com o filho do merceeiro, a mobilização seria a mesma. Numa sociedade da nossa dimensão, só lá vamos com uma diferenciação qualquer, neste caso a fama. Pensemos na parte fixe, que é a lista de dadores aumentar, e sigamos em frente ^^

    ResponderEliminar
  3. Este assunto tb já teve direito a post meu.... Infelizmente a nossa sociedade funciona assim.... tome-se de exemplo o caso do Rui Pedro....

    ResponderEliminar
  4. Estou no banco de dadores há 8 anos e nunca fui chamada. Tanto podia ser para o Sr. Ling Chung como para Duarte Lima, himself. E era verem-me a dar de mim. Infelizmente, nunca fui chamada e acho que nunca vou ser.

    E também sou dador de sangue, eu sei lá se o meu sanguinho vai para uma ganda maluca ou para um pulha do pior. A ideia é salvar sem olhar a quem, tal como na histocompatibilidade.

    Estas campanhas servem, basicamente, para aumentar o tamanho ao banco de dadores internacionais, mas descobrir duas genéticas semelhantes é como procurar uma agulha num palheiro elevado à quinta. É claro que, quantas mais pessoas se apresentarem nos centros, mais aumenta a probabilidade de encontrar o dador certo. Mas aumenta em 0,00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000001 as hipóteses de quem, de todo, não pode continuar à espera.

    BTW, esta criança já é do tempo da recolha das células do cordão umbilical. Os pais não recolheram?

    ResponderEliminar
  5. Cara Miriam, mesmo que tenham recolhido celulas do cordão umbilical do garoto, estas são portadoras dos mesmos genes da criança. Quer isto dizer que têm o mesmo "defeito" genético e não iriam curar a criança (ou seja, iriam dar origem a linhagens sanguíneas insuficientes, iguais às poucas que já produz). Neste caso tem mesmo que se "substituir" a medula toda e re-povoar com células "saudáveis".

    ResponderEliminar
  6. Lá está. Já me tinham esclarecido essa parte da questão. Então, a recolha das células serve, exactamente, para...?

    ResponderEliminar
  7. Ó Piston pá... não sejas tão "agoineiro" ;) sabe-se lá se um dia não precisas da "Medula não sei das quantas" e não é um destes "recém-solidário" que Te salva "o Pisto"!?
    Mas, continua pá :) Curto a tua maneira de "ver o Mundo".
    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Independentemente do motivo, continuo a pensar que o importante é que se mexeram! E como diz aí o vizinho de cima do meu comentário, nunca se sabe quando é que nos pode tocar a nós. Sempre foi assim. O que me choca é tanta critica em volta de uma causa que pode estar a ajudar tantas outras pessoas anónimas e não só, e para variar o tuga só sabe é dizer mal e ser mesquinho.

    ResponderEliminar
  9. Também estou inscrito no banco. Não necessitei que houvesse um qualquer famoso em risco de vida.

    ResponderEliminar