2011-10-09

Jake Tyler Brigance

Imaginem que um moço conheceu uma moça há muitos anos atrás e que ela tinha um blog.
Imaginem que falaram durante muitos meses, apenas pela internet, e que nunca se chegaram a encontrar porque a moça, ao perceber que o moço estava a ficar apanhadinho, cortou o contacto.
Imaginem que anos mais tarde ele cria um blog e, esporadicamente,  comenta o blog dela com a sua nova e insuspeita identidade, sem qualquer pretensão de maior.
Imaginem que 6 anos mais tarde ela começa a comentar o blog dando a entender claramente que sabia o seu verdadeiro nome. Ele percebeu que era inútil fazer-se parvo quando ela lhe bateu à porta do Facebook como quem diz "sei o que fizeste no Verão passado".
Imaginem que retomam o contacto, que voltam a falar durante longas horas e que o moço fraqueja ao perceber que o que fazia sentido há um tempo atrás mantém-se inalterado.

Imaginem agora que o moço é forçado a ser juiz em causa própria e, dotado de uma capacidade de desprendimento emocional ou de acefalia grave, distribui conselhos sentimentais contrários aos seus próprios interesses (comportamento já observado em casos anteriores).
Este tipo deve sofrer uma lobotomia ou deverá antes ser certificado como dador vivo de órgãos?

15 comentários:

  1. Colocado num altar, tratado como um rei, e assistir a palmadas no rabo da moça.

    ResponderEliminar
  2. Como se pode ver, eu já sofri uma pequena lobotomia, porque me esqueci de clicar no quadradinho à primeira, volto a comentar segunda vez com esse objectivo e volto a esquecer-me, e agora estou aqui a tentar acertar à terceira.

    ResponderEliminar
  3. Foda-se isso dá cabo de uma pessoa. Não te metas nisso.

    ResponderEliminar
  4. ahhh... sweet mas... esquece o amor e torna-te o fuck buddy. Mesmo que ela não queira, isso é que é de valor :)

    ResponderEliminar
  5. Note-se que nunca referi que estava ilustrado neste post.

    M., acho que mesmo assim não se aproveita nada de jeito.

    Mariam, para quê a violência? Estava a correr tão bem.

    Luna, és doente.

    Schnoof, parece-me uma opinião equilibrada.

    iheart, para esse efeito não seria necessária uma escolha tão apurada.

    ResponderEliminar
  6. que fofo. Rapariga do blogue, está aqui um moço às direitas (e potencial doador de órgãos)

    ResponderEliminar
  7. Eu não sei se é de estar numa relação há 13 anos, mas isto é tudo tão longíquo que até acho parvo, pronto. Cá para mim, era apostar nessa do fuck buddy. As mulheres são tramadas, caroço...

    ResponderEliminar
  8. Cara Maria,

    Isso é tão fácil de conseguir com todo o tipo de gente que não interessa, que nem sequer consiste num desafio agradável.

    ResponderEliminar