2011-09-09

Medidor de Q. I.

Há as pessoas que reenviam emails indignados a alertar para o facto de serviços como o Facebook, Hotmail e Multibanco estarem prestes a deixar de ser gratuitos e há as pessoas que não são desprezivelmente burras.

38 comentários:

  1. essas pessoas existem para nos lembrar de como somos especiais e abençoados por Deus.

    ResponderEliminar
  2. Tão parvinho... ainda não toparam que é tanga?

    ResponderEliminar
  3. Rbm, você é especial, nós somos simples mortais.

    S, pensar e investigar um pouco dá muito trabalho.

    ResponderEliminar
  4. sempre é melhor que cada mail enviado pela hotmail reverterá num cêntimo doado a uma criancinha em apuros.

    ResponderEliminar
  5. Isso não é um medidor de Q.I.

    É um medidor de acefalia.

    ResponderEliminar
  6. Mas isso é mentira?
    Só falta dizeres também que é desprezivelmente burro quem carrega naquela pergunta "Qual foi a empresa que criou o Iphone?" ou naquela "Você é o 22939238983 visitante" , ou na do "da-me likes no facebook e ganha camisolas"

    -.-

    A Internet está cheia de gente burra mesmo.

    ResponderEliminar
  7. O mundo cheio de gente burra. A internet é apenas mais um meio que foi contaminado.

    ResponderEliminar
  8. Acho que é seleção natural, mas aplicada à net.

    ResponderEliminar
  9. Não sei se é da idade...

    Isto de a (inter)netinha chegar mais tarde a nossas singelas existências também tem a sua vantagem...

    Quanto mais leio, mais me compenetro de que fiz muito bem por, até agora, nunca ter feito página no FB e por (quase) literalmente defecar para mails com avisos.

    Serei livre?

    ResponderEliminar
  10. Tira o multibanco daí, pois paga-se sempre, em ultimo caso em manutenção de conta ou do cartão.
    E efectivamente para o vendedor não é gratuito ...:P

    ResponderEliminar
  11. Estava a ver que ninguém apontava essa "falha".

    É óbvio que, tal como no caso do Facebook e Hotmail, alguém tem que pagar pelo serviço. Em relação ao Multibanco a informação que circula entre a comunidade labrega é que vai passar a ser cobrada uma taxa por cada operação, como por exemplo, um simples levantamento de dinheiro.

    ResponderEliminar
  12. Dinheiro debaixo do colchão. E aplicas a incoerância do colchão: servirá para foderes e para não te sentires fodido.

    ResponderEliminar
  13. ( Tu, que passas à vontade num medidor de QI, achas realmente estranho a indignação de quem usufrui de serviços gratuitos e ficam avisados que terão que os começar a pagar? )

    ResponderEliminar
  14. Não acho estranho mas especialmente estúpido até porque são boatos.
    Antes de me dar ao trabalho de reenviar seja o que for dou-me ao trabalho de investigar um pouco acerca da veracidade do que me estão a impingir.

    ResponderEliminar
  15. Também verifico com agrado que a Miss Murder continua a visualizar tais mensagens desconhecendo que existem programas que impedem a execução e consequente visualização das mesmas... como o visitante 10.000 por exemplo. Mas creio que, no seu caso especifico, será desconhecimento e ignorância... jamais burrice.

    ResponderEliminar
  16. ( E nem imaginas as tretas que reenvio, sem me dar ao trabalho de « investigar » ... a esmagadora maioria nem é um reenvio, é um simples reply ) ;-)

    ResponderEliminar
  17. SE ... massa cerebral fosse sinónimo de sobrevivência, o Homem de Neandertal não estaria extinto.

    O Piston e os outros, as pessoas, "eles"! Acorda puto, tu és os outros, o normal, o mediano, e sabes como é que eu sei? Porque senão serias os extremos: com o céu por tecto, ou de cabeça toldada por fama e dinheiro.

    Voltando ao primeiro parágrafo, o que possibilitou a sobrevivência dos hominídios de hoje em dia foi a agressividade, entre outros. Incrivelmente a inteligência não estava na lista /facepalm (olha opção fixe para quem não quer facebook) e curiosamente o neandartal tinha mais massa cinzenta.

    Fica aqui um estudo sobre o dito facebook e opção de pagamento:

    http://www.businessweek.com/the_thread/blogspotting/archives/2009/09/facebook_users.html

    Homo neanderthalensis, Homo erectus, Homo sapiens (lulz), Homo spaiens sapiens (ahhahahahahahaha)...sapiência, claro...

    ResponderEliminar
  18. desculpa pelo spaiens, tenho menos um neurónio...mas ganhei sinapses! :)

    ResponderEliminar
  19. Pistonzinho, querido,

    Sabes como louvas muito as pessoas com iniciativa, que não ficam na inércia nem se identificam com os restantes à rasca?

    Pois bem, tenho um bom amigo que é exactamente assim.

    Criou um projecto, tem carradas de vontade e precisa de sobreviver. Sim, precisa de comida, àgua e tecto.

    Este meu amigo salva LITERALMENTE computadores (já salvou o meu algumas vezes em horas de apertos) a preços muito bons.

    Passas a publicidade, sim? Em nome do "vamos erradicar a geração à rasca!"?

    No facebook:

    http://www.facebook.com/pages/naoarrancacom/206617492681719

    Site:


    http://www.naoarranca.com

    FIXEM: NÃO ARRANCA!

    Obrigado!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  20. Cardápio, vamos lá desmontar a sua argumentação e mandar as peças para o lixo:

    - Explique-nos por favor quais os factos envolvidos em torno da extinção do Homem de Neandertal. Estou curioso.

    - "O Piston e os outros, as pessoas, "eles"! Acorda puto, tu és os outros, o normal, o mediano, e sabes como é que eu sei? Porque senão serias os extremos: com o céu por tecto, ou de cabeça toldada por fama e dinheiro."
    Pode elaborar? Está uma salganhada tal que mal se percebe o insulto.

    - Hoje em dia o que permite a sobrevivência é a agressividade (física?) e não a inteligência? Num mundo em que é possível sobreviver sem se ter que caçar ou até mesmo lutar por território, este argumento faz tanto sentido como um trampolim num funeral.

    - O "estudo" que refere não é mais do que um artigo de opinião. Gostaria que citasse, tal como se divulga naqueles e-mails de elevado valor informativo, onde é que a empresa divulgou a informação de que vai começar a cobrar o serviço.

    O modelo de negócio do Facebook é bem sólido. Cobrar pelo serviço resultaria na redução drástica do número de utilizadores e consequente perda de capacidade de influenciação e angariação de clientes que utilizam o serviço para publicitar os seus negócios.

    ResponderEliminar
  21. Alexandra, já pensou de que forma me vai compensar pelo facto de ter feito publicidade não autorizada?

    ResponderEliminar
  22. Bem, o meu amigo pode salvar-te o computador, quando precisares... :D

    ResponderEliminar
  23. E se publicitares o meu amigo, quem sabe, um dia, terá o negócio crescido e poderá contratar algum familiar teu...

    ResponderEliminar
  24. Não careço de salvação e não foi ele o autor da acção reprovável.

    ResponderEliminar
  25. Todos nós carecemos de salvação.

    É o Senhor quem o diz.

    ResponderEliminar
  26. "...sem se ter que caçar ou até mesmo lutar por território..."

    Só porque se mudou a paisagem, não quer dizer que se tenham mudado as actividades. Repare nos condutores numa grande cidade (eu sei, Portugal não tem cidades grandes): não são agressivos? Quando vai a uma loja às compras e alguém que também se encontra nesse estabelecimento resolve virar-se a si (como já aqui foi exemplificado), isso foi um acto de inteligência?

    Só me falta dizer que uma sociedade contemporânea é pacífica.

    Vá lá buscar o trampolim, mas ponha-se aos saltos em casa, para dar utilidade ao tecto.

    ResponderEliminar
  27. Os instintos predatórios continuam a existir no Homem mas, dizer que na sociedade de hoje em dia as coisas se processam pela agressividade física (convenhamos que a psicológica envolve aquela coisa que se chama INTELIGÊNCIA), é uma das opiniões mais ajumentadas que tive o privilégio de ler.

    É o mesmo que dizer que os políticos e bancários estão onde estão porque fazem uso de uma moca e porque andam constantemente à porrada nas ruas.

    ResponderEliminar
  28. Bem sabes tu o que muitos em posições de poder fazem.

    Consola-te com a tua inteligência - que eu vejo que é grande nos comentários por ti deixados e vocabulário, entre outros - e com a legião de cheerleaders pós-teen que acham o máximo poder opinar sobre algo mais ainda acerca delas próprias: "eu acho..." "essas pessoas..."

    Vós não sois pessoas, vós sois alfaces.

    Agora, volta lá para o talk to the hand enquanto lês os comentários aprovadores.

    Já quase que me esquecia, não é uma opinião, são estudos, muitos estudos, muitos deles unanimemente aceites, mas claro, não pela inteligência pistónica - o super poder do piston - aquele pensa e investiga, mas que não lhe serve para nada.

    Parlamento da Tailândia anyone, entre muitas outras cenas de políticos?

    Investigas mal e pouco. Em vez de investigares podes contar até mil, antes brindares o mundo a tua inteligência pistónica.

    ResponderEliminar
  29. "legião de cheerleaders pós-teen" ainda é muito bom, pá, e aceito-o de braços abertos e com muito gosto!

    Fresquinha como uma alface, olha outro!

    Juro que vou encomendar mais creme.

    XOXO

    ResponderEliminar
  30. Estimado Cardápio,

    O link que cá deixou é efectivamente de um artigo (com referências a estudos).

    Repito: "Gostaria que citasse, tal como se divulga naqueles e-mails de elevado valor informativo, onde é que a empresa expressou a informação de que vai começar a cobrar o serviço."
    Estes e-mails não mencionam possibilidades nem estudos, dão informações precisas. É isto que eu investigo, quando acho que há a mínima hipótese ser verdade, antes de reenviar o que quer que seja.

    Aparentemente há uns quantos intelectos que não concordam com o estudo. Entre eles está o conselho de administração da empresa que gere o Facebook. São burros, não são?

    Já que é tão entendido na matéria, gostaria que nos falasse um pouco do modelo de negócio da Google e quando é que acha que eles vão começar a cobrar o Google+, Gmail, etc.

    Quanto à "legião de cheerleaders pós-teen", qualquer tipo que não se dedique à pedofilia tem que apreciar esse elogio e agradecer do fundo do coração.

    ResponderEliminar
  31. ...que se dane...

    Só porque uma empresa não cobra directamente serviços de manutenção, não quer dizer que não os pagues (e o dinheiro por vezes não é a moeda de troca). Quem é que mantém bases de dados de pessoas, mesmo depois de cancelarem a conta? Caridade querem ver?

    http://allthingsd.com/20110718/zynga-and-facebook-exclusivity-goes-far-beyond-credits/?mod=ATD_iphone

    ResponderEliminar
  32. Estamos portanto a chegar à conclusão que o modelo de negócio deles está bem e não vai ser alterado. Está a debater contra si próprio.
    Divertido.

    ResponderEliminar
  33. É melhor reler, não vá ter entendido mal o comentário anterior.

    ResponderEliminar
  34. Ora não pagam em dinheiro mas pagam em fornecimento de dados pessoais e em perda de privacidade.

    Onde é que se lê aquela parte em que vão começar a cobrar (dinheiro) pelos serviços? O resto cobraram desde sempre e, como tenho defendido, serve perfeitamente o modelo de negócio dos senhores.

    ResponderEliminar
  35. Quase lá? Como? Não mudei a minha opinião nem um milímetro.
    O artigo está em mutação?

    ResponderEliminar