2011-02-28

Era arrancar-lhes a cabeça e esfregar-lhes o ferimento com sal

Eu estava convencido que já tinha escrito isto por aqui mas, depois de uma breve pesquisa, chego à conclusão de que posso avançar com segurança.

Durante quantos anos mais vou ter que ouvir a pergunta "mas atrás também é preciso usar cinto"? Será que esta gente não morre de vez?
Não consigo escolher o que me irrita mais. Será o facto de fazerem a pergunta parva de quem poderia ter estado suficientemente distraído nos últimos 15 anos ao ponto de não ter dado pela lei ou será porque esta gente ainda vê o cinto de segurança como uma coisa que os polícias têm que avistar devidamente colocado para não aplicarem uma coima? Não dá para arranjar um acidente valente que meta esta gente toda a doar peças depois de um doloroso e prolongado estado de coma?

Mais uma coisinha. Também estou farto daquela admiração/indignação forjada de cada vez que surge o intervalo numa sala de cinema. Isso já acontece há muito tempo, não é uma novidade e está na hora de começarem a comer os dentes de cada vez que começarem com essa merda.

Estamos esclarecidos?

8 comentários:

  1. Eu já estava esclarecida! Eu sabia, eu sabia, nananannanana, eu sabia!

    ResponderEliminar
  2. Miss, qualquer um te faz bem. Toma os dois.

    Alexandra, um beijo na testa.

    ResponderEliminar
  3. Portanto, sal no pescoço decepado.
    É uma linda imagem.
    Se puseres pimenta e um tudo nada de cominhos ainda dá uns bifinhos que uh lálá.

    ResponderEliminar