2011-01-22

Permitam-me que viole o vosso dia de reflexão com o meu pénis eleitoral

Ainda que continuando a lutar internamente, começo a chegar a algumas conclusões.
Já abandonei a ideia do voto em branco mas, ainda assim, não vou votar num candidato que aprecie. Vou votar no que tolero com mais facilidade.
Voltando aos resumos:

  • Cavaco Silva - Senil, pseudo-déspota
  • Manuel Alegre - Prostituta partidária
  • Fernando Nobre - SENIL
  • Francisco Lopes - Come criancinhas ao pequeno almoço, amigo do Pyongyang
  • José Manuel Coelho - Ignorante, burro, metam-lhe dinheiro à mão e trata de o guardar bem guardadinho para uso próprio
Quando eu pensava o que  Defensor de Moura era a minha hipótese de dormir mais ou menos bem, o homem sai-se com esta de menino birrento que já perdeu: “Eu não sei se queria chegar a Belém. Vocês acham que eu queria chegar a Belém? Vocês acham que se eu quisesse chegar a Belém não tinha reunido os meios necessários com antecedência para ser?”

Olha a puta da minha vida, hein? Ainda assim, para já, voto neste e rezo para os que os 49,9% do Cavaco sejam uma realidade. Ganha na segunda volta mas na primeira borra as cuecas que se lixa.

4 comentários:

  1. O pénis eleitoral se não está senil, para lá caminha, não? :)

    ResponderEliminar
  2. entao vou violar-te eleitoralmente. puxa pela cabeça. alegre? viste o debate. esquece.
    cavaco "a luta continua cavaco para a rua" (tipo prec tas a ver, no mesmo tom).

    coelho? a serio? adoro. a cena satirica. ele nao ta aqui pra ganhar nada. tem um coelho gigante de esferovite no tempo de antena. tiririca di povo, ninguém "lhe" acredita mas satiriza-nos todos. até que votava nele. se nao acreditasse tanto da democracia.

    os outros nao sei, remeti os pra siberia do meu coração legislativo.

    ResponderEliminar
  3. Como eu concordo com o post. E logo eu que estive a apanhar frio durante um dia inteiro nas mesas de voto, e nem a putta dum aquecedor havia naquela sala de aula, o que deve ser caso único nas escolas portuguesas.

    Estas foram de longe as eleições mais sui generis em que participei. Até ao exacto momento de preencher o boletim de voto, não sabia em quem votar. O que me alegrou um pouco foi o facto de os velhotes lá da terra tb não saberem se deviam votar cavaco, e eles que são tão PSD. O facto do’cavaco ter aprovado a lei dos gays, como eles dizem, tirou-lhe a credibilidade. Ou seja não votariam no cavaco, por causa dos gays, mas tb não iam votar em comunas.
    Até parece que o Sócrates faz de propósito em não querer apresentar ninguém de jeito contra cavaco (não consigo escrever cavaco com letra maiúscula).

    ResponderEliminar