2011-12-25

Natal V

O Natal é a família toda reunida em torno da Casa dos Segredos.

Natal IV

O Natal é ver um pouco por todos os jornais televisivos, peças que apelam a uma comoção desmesurada, só porque sim, porque fica bem.

Na TVI estão neste momento a tentar vender-nos um "super-herói". O menino em questão padece de síndrome de Pearson, tipicamente fatal. O pequeno, que até tem piada e está a desafiar as previsões dos médicos, é apenas mais uma pessoa que faz pela sua sobrevivência, como todos nós.

Vamos repetir devagarinho: "Heróis são aqueles que arriscam a vida e/ou enfrentam os seus medos para ajudar os outros".

Sou tão azedo.

Natal III

O ponto alto do meu Natal foi ver o John McClane a arrancar o vidro do pé.

2011-12-24

Natal II

Ainda tolero que me desejem um feliz Natal mas, quando se atrevem a introduzir o "santo", temos merda.

Natal I

Sempre detestei a forma insistente e repetitiva como se pergunta, às crianças que estão a aprender a falar, "quem é este? como é que se chama?".
Isto é especialmente abrasivo para a minha alma quando já se sabe perfeitamente que a criança vai dar a resposta certa.
Nesta maravilhosa ceia de Natal estou a assistir à operação inversa: tenta-se que um idoso, que já não está "lá" dentro, identifique com sucesso o que os rodeiam.
Tendo em conta que nesta fase o processo evolutivo já está limitado apenas à degeneração, tenho alguma dificuldade em encaixar a segunda tentativa no espaço de 5 minutos (a primeira falhou).
É menos improvável admitir que a Elsa Raposo possa vir a abraçar uma carreira como freira.

2011-12-15

"Como Conquistar o Homem dos Meus Sonhos #1"

Isto é uma das maiores idiotices que alguma vez tive a oportunidade de ler. É uma espécie de salsicha de merda enrolada em couve-de-ego.
Neste workshop estará presente o tipo de mulher que eu não quero nem sequer para mero sexo.

Este dejecto literário assume os seguintes princípios:
  1. Todos os homens querem exactamente o que o autor quer das mulheres
  2. Todas as pessoas desinteressantes podem fingir que não o são
  3. A submissão aos caprichos que hipoteticamente TODOS os homens têm é um caminho a perseguir
É a primeira vez que oiço falar num esteticista da alma mas estou convencido de que é capaz de ter sucesso. Por favor não se esqueçam de desmaquilhar a personalidade antes de se deitarem.

2011-11-24

Em tempos de maior aflição, quando senti fome, não foram poucas as vezes que pedi a Deus um bitoque*. As minhas orações nunca foram atendidas.
No dia em que Deus mandar de lá o filho dele para me servir uma coisa em condições, gostosa, com um bom molho para aconchegar o pão, terá conquistado a minha admiração e sustentará no meu íntimo a sua existência.

* A verdadeira fé vem com ovo.

2011-11-22

Extravagâncias

Vamos assumir por momentos que há outras crianças e adultos que, tal como o filho do Carlos Martins, gostam de não-morrer. Imaginem que todas elas são anónimas e que os seus familiares lançaram apelos por e-mail, Facebook, etc.
Porque carga de água é que milhares de portugueses decidiram ser passivos perante a morte dos outros e surgem agora carregados de solidariedade e emoções puras?

Deixo-vos com esta questão despedindo-me com um comovido vão-para-o-caralho.

Nota - Medula não é uma coisa que se verte para uma garrafa de Fastio e que se dá a alguém à nossa escolha. O que vocês vão fazer, recém solidários, é apenas um teste de histocompatibilidade. Para vossa infelicidade poderá descobrir-se que são compatíveis com outra qualquer pessoa que não é famosa. Uma chatice.

2011-11-09

Na penumbra

De há uns dias a esta parte tenho acordado por volta das 6:30 da matina, sem razão aparente e uma hora adiantado em relação àquela a que habituei o meu corpo.
Há três dias que noto um segundo padrão que anda em torno do enrijecimento da minha estrutura sexual.

Pergunto-me se não será ele que me acorda, qual criança reguila, e que depois se esconde, fazendo de conta que é um espectador inocente que por mero acaso se encontrava nas imediações.

2011-11-07

A derradeira definição de Amor

É o equivalente humano às espículas presentes nas vergonhas felinas.

2011-11-06

Legado cromático

E Zordon disse:
- De agora em diante vais vestir-te sempre com a mesma cor e do teu fato de nylon emanarão faíscas sempre que apanhares nas trombas. É essa uma das funções do nylon, emanar.

Cumpriu-se a sua vontade.

2011-11-04

Caridade acidental

Por mera infelicidade o único centro comercial que tenho que frequentar várias vezes por semana parece ter, de forma permanente, senhoras exacerbadamente simpáticas a tentar recolher fundos para obras de caridade, o tipo de pessoas que fazem com que o waterboarding pareça uma boa ideia.

Embora estando devidamente habituado a lidar com as pastilhas elásticas que são os chacais do Barclays Card, desembaraçando-me deles com facilidade, não consigo driblar estas senhoras. A minha boa educação não me permite passar por elas sem parar, abanando a cabeça e dizendo um "não obrigado". Sou compelido a parar e "escutar". Trata-se mesmo de um "escutar" até porque geralmente não as deixo acabar o discurso que têm mais do que ensaiado.

Porque o silêncio, para mim, vale realmente dinheiro, assim que percebo que o objectivo não é vender nada mas sim sacar donativos, chego-me com uma nota à frente e, ao ser questionado acerca de qual dos bonequinhos que servem como troca nesta pseudo-venda pretendo como recompensa, respondo que o deverá entregar a alguém que precise. Em 15 segundos fiquei 5 € mais pobre e comprei paz durante alguns dias.
Na semana seguinte sou novamente abordado. Com a mania que sou esperto, exclamo rapidamente que já tinha feito um donativo há 10 dias atrás. Sou informado de que esta é uma nova acção e que a da semana passada era a de uma outra associação.
10 segundos depois estou 5 € mais pobre, comprei silêncio por mais 7 dias e, com um pouco de sorte, contribui para a manutenção de uma qualquer casa de alterne ou uma quinta onde têm trissómicos agrilhoados ao chão.

2011-10-28

Apostar na geração errada

Durante a adolescência tinha um grupo considerável de amigas cujas casas frequentava. Sempre que era apresentado à família fazia sucesso junto da entidade maternal.
Os bons modos, o discurso maduro e a minha aparência angelical encantava-as ao ponto de me quererem impingir às filhas. Esta operação estava sempre condenada ao fracasso porque, como deverão saber, não há nada como o elogio de uma mãe para queimar de imediato as hipóteses do alvo de tal distinção.

Se as mamãs sonhassem com a pornografia que me ia na cabeça e na qual gostaria de envolver os seus rebentos, passaria de futuro genro a javardo castrado.

2011-10-18

"É o país dos revolucionários de café e Che Guevaras de sofá."*

Não respeito pessoas que formam as suas opiniões à medida dos seus interesses. O que hoje é moralmente aceitável não deverá deixar de o ser amanhã só porque já nos toca no lombo.

Embora concorde um pouco mais com esta manifestação do que com a anterior, tanto no tom como no local, custa-me alinhar naquela massa. Não me aprumo por todos aqueles que insistem em não admitir as sua participação no afundamento do país. A corrupção e fuga aos impostos é algo completamente transversal a todas as classes sociais. Não serão poucos os que agora se vão juntar aos protestos e que, nos tempos mais gordos, fugiram aos impostos não por uma questão de sobrevivência, mas para poderem comprar um Mercedes em vez de um Renault. 100.000 a roubar 10 € será sempre pior do que 10 a roubarem 1.000 €. Posto isto, tenham a bondade de não me foder com as balelas habituais até porque, mesmo que me dêem beijos na nuca, até ver, isto é canal de sentido único.
Também me custa caminhar na mesma rua e fazer parte do mesmo grupo de pessoas onde se encontram alguns dos seres que mais desprezo: anarquistas e a esquerda caviar (ambos registam o evento tirando fotografias com Iphones).

Warren Buffett, multimilionário norte-americano, propôs uma taxação mais elevada para as grandes empresas e surgiu como uma espécie de herói fiscal. Para mim ele é apenas inteligente e de herói nada tem.
Não foi por mera piedade para com as classes mais baixas que sugeriu tal "esforço". Buffett sabe bem que o mesmo que tornou a economia algo de global, um bicho que faz com que países inteiros desabem como peças de dominó, também quebrou toda e qualquer capacidade de controlar a informação.

Tal como a "primavera árabe" e o Wikileaks tão bem demonstraram, a internet é uma ferramenta literalmente imparável, uma espécie de Skynet invertido que não pode ser desligado sob pena de destruir o mundo.

O amigo Warren percebeu que a terceira guerra mundial pode não ser entre nações mas sim entre classes sociais. Se os pobres forem estrangulados os ricos não só não terão trabalhadores para continuar a encher a sua alcofa, como enfrentarão a fúria de milhões de pessoas desesperadas.
O que se passou em Londres foi uma brincadeira de crianças. Se houver uma ideologia agregadora por detrás da violência, as repercussões serão incalculáveis.

Porque é que a indignação que dá o nome a esta manifestação não é extensível à exploração feita pelos países mais desenvolvidos em relação aos de terceiro mundo? Só são maus os que têm mais dinheiro do que nós, é isso?

Desejo uma boa e vigorosa dose de cerâmica das Caldas da Rainha para todos aqueles que se sentiram ofendidos pelo conteúdo deste texto.

* Pedro Miguel Silva Filipe

2011-10-16

Foi um prazer

Num mundo perfeito toda a gente teria um blog e tudo seria mais fácil. Poderia dirigir-me a uma estranha e desenvolver o seguinte monólogo:
- Olá o meu nome é Piston e quero informar-te que o meu pénis acaba de me dar sinais no sentido de querer abrir um processo de atracção por ti. Fica com o meu cartão, este é o endereço do meu blog. Se te interessar deixa por lá um comentário para eu dar uma olhadela ao teu.
Se entrarmos em acordo poderemos marcar encontro com o objectivo de percebermos quais são as características de convívio pessoal que nos tornam completamente insuportáveis um para o outro. Se tudo isto falhar vamos mesmo ter que ir para a cama, ok?

2011-10-13

7 horas

Acreditando em mais um estudo estúpido para o qual fui alertado ao assistir a um programa de televisão, este é o número médio de horas de conversa necessárias para levar uma mulher para a cama.
A ser verdade é, certamente, um valor deflacionado pelo uso de respostas como as dadas por Elsa Raposo ou José Castelo Branco.

Se eu estivesse nesta competição, neste segmento de actividade e houvesse um ranking, deveria encontrar-me ligeiramente abaixo de Mafalda Veiga. Pelos cálculos que fiz a minha média é de 264 horas.

2011-10-12

Iniciativa legislativa

Há certas e determinadas pessoas que usam todo o tipo de estratagemas para conseguir obter alguma vantagem em relação aos que lhes são superiores.
Quando estou a correr e vejo um tipo a passar por mim de cadeira de rodas, sinto uma extrema injustiça. Defendo que estes desordeiros, com um especial apetite pela batota, sejam autuados e lhes seja aplicada uma coima com o valor de 3 vértebras.

"I believe whatever doesn't kill you, simply makes you... stranger"

Então não é que a visada teve o desplante de dizer que gostou do post e que os comentários não incomodaram nada?

Vocês são tão macios.

2011-10-11

Sugestões?

Estava eu a terminar de jantar um maravilhoso empadão de diluente quando, do alto da sua respeitável idade, uma embalagem de Sunny Delight exclama com aquele vozeirão que lhe é tão característico e que chama a si todas as atenções:

SD - Piston, está na hora de mudares de habitação, este local já não tem nada para te oferecer!
Piston - Na ausência de vitamina C, deverás dançar o cancan.
SD - Vais começar de imediato a procurar uma localidade cheia de encantos, com preços recomendáveis e darás inicio ao processo de mudanças num prazo nunca superior a 4 meses.
Piston - Vai para a puta que te pariu. Nunca me aceitaste como teu filho, não me respeitas como um semelhante.
SD - Que Deus te sirva uma tosta mista e um suco de manga. Assim o defini e de outra forma não será executado.

2011-10-10

Era uma vez um inglês, um francês e um português.

Um ex-colega de trabalho com quem devo ter falado umas cinco vezes na minha vida, incluindo a vez em que tive a infelicidade de lhe dar boleia e o meu número de telemóvel, anda a perseguir-me via sms. Envia-me anedotas e outras coisas ridículas.
Às vezes lembra-se de perguntar se gostei, noutras ocasiões pergunta-me se quero que deixe de me enviar mensagens visto que NUNCA lhe respondi a nenhuma.
Isto dura há 4 meses e estou tentado a quebrar o silêncio com uma generosa sandes de vernáculo.
Há homens que sabem mesmo fazer com que uma garota se sinta especial.

2011-10-09

Jake Tyler Brigance

Imaginem que um moço conheceu uma moça há muitos anos atrás e que ela tinha um blog.
Imaginem que falaram durante muitos meses, apenas pela internet, e que nunca se chegaram a encontrar porque a moça, ao perceber que o moço estava a ficar apanhadinho, cortou o contacto.
Imaginem que anos mais tarde ele cria um blog e, esporadicamente,  comenta o blog dela com a sua nova e insuspeita identidade, sem qualquer pretensão de maior.
Imaginem que 6 anos mais tarde ela começa a comentar o blog dando a entender claramente que sabia o seu verdadeiro nome. Ele percebeu que era inútil fazer-se parvo quando ela lhe bateu à porta do Facebook como quem diz "sei o que fizeste no Verão passado".
Imaginem que retomam o contacto, que voltam a falar durante longas horas e que o moço fraqueja ao perceber que o que fazia sentido há um tempo atrás mantém-se inalterado.

Imaginem agora que o moço é forçado a ser juiz em causa própria e, dotado de uma capacidade de desprendimento emocional ou de acefalia grave, distribui conselhos sentimentais contrários aos seus próprios interesses (comportamento já observado em casos anteriores).
Este tipo deve sofrer uma lobotomia ou deverá antes ser certificado como dador vivo de órgãos?

2011-10-08

Rancor

Se para muitos pode ser considerado um defeito, para mim é uma qualidade muito apreciável.
Como já devem ter reparado tenho uma obsessão, chamada coerência, para a qual ainda não encontrei um aspecto da vida no qual não fosse aplicável.

Nestas coisas da interacção social gosto de gravar na memória, com um ferro em brasa, as pessoas que me fizeram algum dói-dói, que o tentaram fazer ou o que fizeram a terceiros. Ainda que não sendo um tipo dado a vinganças, prezo a reciprocidade: se me dão um pratinho de merda para eu papar, não servirei caramelo em retorno.

Assim como a capacidade de mudar de opinião é uma demonstração de inteligência, ter uma opinião volátil é simplesmente de uma pobreza de espírito que me atormenta a alma.
Toda a gente tem o potencial e o direito de mudar e de se tornar uma pessoa melhor, de ser perdoado(a),  mesmo que tenha tido um historial como facínora. Aceito isto mas não tenho um pingo de paciência para aqueles que hoje odeiam, amanhã estão a tomar o pequeno-almoço e a rir com o alvo do ex-ódio e que no dia seguinte estão novamente a destilar veneno.

Sejam genuínos, deixem que o ódio se instale nas vossas vidas e sejam felizes.

Nota - Esta mensagem é subscrita pela maioria dos líderes religiosos. Antes de iniciar o consumo de ódio consulte o seu médico assistente.

2011-10-04

Exibicionismo

Eu, que nunca coloquei fotografias minhas no blog, fui hoje mesmo instado a fazê-lo.
As provocadoras em questão, Luna e Juanna, fizeram-no no âmbito da história de uma louca que se passou da cabeça e, depois de debitar quilos de comentários num post acerca da Scarlett Johansson (o ódio pessoal de Luna), decidiu publicar uma troca de e-mails privada com uma finalidade até à data desconhecida.

Tendo em conta que o mote inicial do post que causou a ira da senhora era a privacidade da menina Scarlett, Luna e Juanna lançaram a dúvida: será que a perturbada criatura apenas tem restrições morais no que toca à divulgação de fotografias com nudez?

Meninas, ouvi o vosso apelo e aqui estou, qual mártir da Playboy, pronto a servir como cobaia.

Aqui me exponho, tal como vim ao mundo.

2011-10-03

"Posts engraçaditos"

Há aqui uma coisa à direita do blog que se chama "Posts engraçaditos".
Quero esclarecer que só hoje me apercebi das figuras tristes que ando a fazer há anos.
Aqueles são posts que partilho através do Google Reader e não são obrigatoriamente coisas a que eu acho especial piada. Muitos deles são partilhados juntamente com um comentário meu que SÓ ESTÁ VISÍVEL PARA QUEM CARREGA EM "VIEW ALL".

Este pequeno detalhe que eu desconhecia causou, certamente, danos irreparáveis à minha já frágil reputação.
Apaguem da memória todos os posts queridos que ali viram. Certamente havia uma boa e azeda razão para os ter partilhado.

2011-10-02

18 gramas

Preocupado com a velocidade a que me aproximo de me tornar num mendigo ou outra qualquer forma de individuo socialmente isolado, confessava a uma amiga que começava a acreditar que a minha falta de empatia familiar não se deveria apenas ao meu feitio intragável mas também a um real desequilíbrio mental, algo de físico-químico que me deveria acompanhar desde a mais tenra idade. Comentava também que nem me atrevia a expressar este tipo de desabafo no blog porque, depois de eventos recentes em que serial killers escreveram muita coisa na net, as quais não foram levadas a sério, este tipo de revelação poderia dar um novo significado a alguns textos que debitei ao longo dos anos.
Sempre pronta a dar-me apoio e portadora de uma grande capacidade de apaziguação emocional interrompe-me e com a maior calma do mundo diz-me, como quem dissipa inseguranças tolas:

- Precisas de terapia.

2011-10-01

Corrente-de-ar

Ainda há mulheres que sofrem por Amor com as pernas fechadas.
Ainda há homens que não lavam as mãos antes de sair da casa-de-banho.

2011-09-30

Divergência estética

Ainda acerca disto tenho a dizer que há aqui um profundo equivoco. O mais relevante não é volume mas sim o design de uma zona muito específica. Isto é de tal forma importante que advogo a criação de um manual de normas com direito a referências Pantone e tudo.

Fuga para a frente

Numa recente conversa pelo Facebook, eu, armado em campeão porque tinha acabado de aceder a uma informação importante, saio-me com esta maravilha como quem diz "se não me fazes as vontades conto tudo":
 - Trás-me torradas e chá

Depois de sofrer ameaças da parte da interlocutora alegando que a qualquer momento ia utilizar a minha burrice ortográfica para me humilhar, serve este post para cortar-lhe todo o eventual prazer que poderia obter com este meu lapso.

Nota - Estou familiarizado com as diferenças entre "traseiras" e "trazer". Não percebo porque razão me ando a espalhar com tanta frequência nos últimos dias.

2011-09-27

Bola de neve

Sabem quando alguém faz algo que vos desagrada e vocês se interrogam até que ponto é que estão no direito de sentir indignação/raiva/instintos-homicidas-com-requinte-de-sadismo-extremo ou se estarão a exagerar um pouco?
Sabem aquelas horas seguintes em que vocês oscilam de ponto oposto para ponto oposto, sendo que o lado mais vil começa a ganhar terreno e às duas por três já estão certos de que a única forma de repor a justiça no mundo é pegando num trem de aterragem e batendo com ele na origem do vosso problema até que a mesma consiga cantar ópera ou que o seu crânio faça faíscas no alcatrão?

Não sabem? Mentirosos/deprimentes.

2011-09-25

Ripple effect

Tendo em conta isto, isto e isto, apraz-me escrever isto:

Eu, que não sou um tipo nada alto, compreendo e aceito que as mulheres prefiram homens de estatura superior. Mais que não seja é o instinto de necessidade de protecção a funcionar. A atracção por determinadas características físicas faz sentido.
Não me parece que seja justo dizer-se que um homem prefere passar o resto da sua vida com uma moça porque ela tem as mamas maiores ou porque é menos inteligente e mais fácil de controlar. Digo isto não como uma mera opinião/gosto pessoal mas também em relação ao que acho que é a opinião da maioria dos homens. O inverso faria muito mais sentido: a apetitosa para brincar e a que tem uma boa estrutura mental para constituir família.

Imaginemos que isto é mesmo verdade e que há uma razão biológica que se sobrepõe a todas as outras. Lamentam que esse tipo de macho as rejeite?

2011-09-24

Eu sei

Estimados leitores,

Tenho a perfeita noção de que sou uma besta com esta mania de analisar tudo e de estar preso a um constante sentido prático e lógico em relação ao que me rodeia.

Ainda que tendo algum orgulho na minha capacidade de racionalização, sei perfeitamente que é socialmente devastador e que seria provavelmente muito mais feliz se não contasse com esta encantadora característica no meu dia-a-dia. Acontece que isto não é propriamente um comportamento opcional ou forjado para fins blogosféricos. O animal funciona mesmo assim, tem isto no sangue e não vislumbra uma solução para tal problema.

Sei que muito do que escrevo é fruto de uma intolerância desproporcionada e pouco recomendável mas é o que tenho para vos servir.

2011-09-20

Pinta de porca

(Advertência: este post pode ser considerado o produto de uma mente extremamente retrógrada pela única e exclusiva razão de ser escrito por um homem.)

Há muito que quero escrever sobre este tema mas a sua elevada complexidade e indefinição têm-me afastado do mesmo.

O que é?
Antes de chegar à identificação dos sinais que definem uma mulher como porca há um problema a montante que é necessário resolver: o que é uma mulher porca?
Não podemos considerar que seja uma mulher com uma excelente expressividade no leito. Essa é uma qualidade e nunca uma característica a desprezar.
Também não será prudente da minha parte afirmar que é uma mulher que se entrega aos prazeres da carne como quem troca de meias. Aprendi ao longo dos anos que esta é uma opinião que um homem não pode emitir. O conceito de emancipação sexual da mulher só se aplica quando o objecto de estudo é a própria conduta de quem o invoca ou quando é necessário adjectivar um homem como sendo um "porco-machista".

Será então uma mulher vulgar? Também não podemos ir por aí. Há muita mulher vulgar e profundamente desinteressante que não se envolve com pelotões das forças de segurança.
É basicamente uma pessoa que não me interessa e, estranhe-se, não interessa a muito homem sem ser para efeitos carnais ou para testar poderosos insecticidas.

Como se identifica?
Mostrei algumas fotografias de forma aleatória a uma amiga sem lhe dizer qual a minha opinião acerca das moças. Em 8 exemplos concordámos em 7.
À falta de uma capacidade mais precisa de racionalização deste 6º sentido para a javardice, eu diria que o meu maior ponto de referência, ainda que de forma involuntária, são as sobrancelhas.


Estou a partir deste momento disponível para receber a vossa ira e distorção das ideias que aqui apresentei.

2011-09-18

Nostalgia para débeis mentais

Deparei-me noutro dia com este texto (não é obra do autor desse blog) e tenho algumas coisas a dizer acerca do conteúdo.

Nada tenho contra a nostalgia do momento. É engraçado recordar um pouco daquilo que faz de nós o que somos hoje em dia. O que já não me agrada tanto é aquele tom repetitivo e escalado de geração para geração que dita que "no meu tempo é que era", que anuncia uma geração medíocre, perdida e claramente inferior à que pertence o autor do texto.

Ao traçar uma linha que divide os que nasceram antes de 1986 e os que nasceram após essa data, ainda que de uma forma pouco vincada, o bolinha de esterco (estou a assumir que foi um homem) separa os maus dos piores.

Uma vez mais o português tenta validar-se não por aquilo que é mas por aquilo que os outros são ou deixam de ser.
Uma vez mais, surpresa das surpresas, o tuga varre o problema para cima dos políticos, toma um chá e esquece-se daquele detalhe tão relevante que é o facto de que as gerações pré 1986 SÃO AS RESPONSÁVEIS PELA EDUCAÇÃO DAS PÓS 1986.

Será que li mais do que aquilo que estava escrito? Estarei muito sensível à mediocridade?

O que é que é preciso para que a nossa geração pare de acenar com a merda dos problemas e comece a acenar e a EXECUTAR  as soluções?

2011-09-16

"Era amigo de toda a gente!"


Espero bem que quando eu for um cadáver ninguém se atreva a dizer que eu não tinha inimigos e que toda a gente gostava de mim.

Sou uma besta em vida e não é por estar frio que passo a ser uma excelente pessoa.

2011-09-15

Porco a andar de bicicleta

Vamos lá a acabar com essa afirmação de merda. Não faz de vocês pessoas geniais, apenas mentirosas.

2011-09-14

Nariz torto

Há alguma experiência mais gratificante do que ver o reflexo de outra pessoa no espelho? É ou não é sempre uma agradável surpresa perceber que aquela pessoa tem o nariz torto e que nunca tínhamos dado conta?
Na verdade o nariz é o que salta à vista mas há toda uma estranheza composta por várias assimetrias que nos faz exclamar internamente um "han?".

Pior que isso é aperceber-me que me apercebi que a direita da Júlia Pinheiro é maior que a esquerda.

2011-09-13

Heróis

O mundo precisa de heróis.
A comunicação social precisa de heróis.
Eu vomito-me todo cada vez que alguém é colocado num ponto elevado sem que tenha feito nada por isso.

"Mãe doa heroicamente um rim ao filho!"
Heroicamente? Só pelo facto de estar no "Fátima" ou no "Você na TV" a vangloriar-se pelo seu acto podemos de imediato considerar esta pessoa como sendo uma grandessíssima cavalgadura. Desde quando é que doar um rim a um filho é um acto heróico, altruísta?
O puto carrega os genes da mãe! O "amor" em questão é biológico e incontornável. Se a criança não sobreviver os genes da égua que a pariu não vão a lado nenhum!
A "heroína" não está a fazer mais que a sua obrigação.

Rapaz cego e paraplégico diz em talkshow "Sou abençoado por ser assim, não há nada que eu não consiga fazer." (todos batem palmas)Isto de fazer de qualquer deficiente físico ou mental um "herói", também me parece uma hipocrisia de merda.
Será que o puto acreditava mesmo no que estava a dizer? É certo que ele tinha um talento especial para a música mas estou para crer que se lhe pedisse para me mudar a lâmpada de um candeeiro no tecto, ele era capaz de mudar de ideias...
É grave quando as pessoas começam a dizer barbaridades só porque sabem que é aquilo que vai puxar o aplauso de quem nos ouve. É grave e mete um bocado de nojo.

Gosto muito quando uma qualquer pessoa se dirige a mim com uma típica conversa-em-que-demonstra-indignação-e-se-vangloria-por-ser-quem-é. Gosto muito porque não vou perder a oportunidade de fazer aquilo que a outra pessoa não espera de mim: dizer o que penso. É mais que certinho que a conversa vai ser curta porque a pessoa é apanhada de surpresa. Aquele que devia nutrir o seu ego (eu) está, calmamente e à sua frente, a baixar as calças e a cagar em cima do mesmo.
A pessoa afasta-se meio abananada e prepara-se para começar a falar mal de mim ao próximo que encontrar.

Já mencionei que não tenho uma carteira de amigos muito vasta?



Nota: Agradecimentos a Mariam pela correcção do meu estúpido "houve".

2011-09-09

Medidor de Q. I.

Há as pessoas que reenviam emails indignados a alertar para o facto de serviços como o Facebook, Hotmail e Multibanco estarem prestes a deixar de ser gratuitos e há as pessoas que não são desprezivelmente burras.

2011-09-08

Higiene feminina

Um dos episódios mais traumáticos que um homem pode experimentar é,  ao visitar um hipermercado com o qual não está familiarizado, entrar no corredor dos pensos higiénicos, tampões e afins.
Inicia-se uma conversa interior que segue os seguintes passos:

  1. Merda
  2. Sou um adulto e não vou revelar o embaraço
  3. Vou fingir que tenho uma boa razão para estar aqui
  4. Vou percorrer o corredor como uma pessoa confiante
  5. Está aqui capacidade de absorção equivalente a uma cisterna de endométrio
  6. Tenho que fugir rapidamente

Este corredor nunca está vazio. É incómodo garantido.

2011-09-07

Atacando bloggers: Poisoned Apple II - a paneleirice dos "likes"

Em tempos tive uma conta de Facebook para o blog. Não o fiz da forma correcta, como página, pois aquela história de que as pessoas teriam que clicar numa coisa que as definia como meus fãs parecia-me presunçoso demais. O facebook achou que o meu nome não era Piston, que aquela não era a minha fotografia, que tinha fornecido dados falsos e, como tal, fecharam-me a conta.

Um opinion-maker é uma pessoa que por ser respeitada e admirada por um elevado número de pessoas consegue alterar a tendência opinativa de massas. Um opinion-maker não o é só porque deseja muito sê-lo e porque se esforça para isso. Este último é apenas o tipo de pessoa que antes de o fazer com objectivos comerciais escrevia algumas coisas interessantes. Hoje em dia só me liquefaz as fezes e esfrega urtiga filosófica na minha debilitada mente.
Não tenho nada contra a actividade de tornar um blog rentável mas não gosto que isso seja feito de forma encapotada. A moda de pedinchar "likes" em páginas de facebook, é de um ridículo constrangedor. Em alguns casos a insistência é tanta que se nota a clara estratégia de tentar gerar um potencial gravítico que possa ser utilizado como canal de vendas.
Mas retornemos à Poisoned Apple e deixemos para trás o Arrumadinho e a sua forma subtil de promover o livro que ainda não está escrito.

A Poisoned fez algo semelhante mas, assegura-me ela, com o objectivo nobre de interagir de forma diferente com os leitores. Como eu partilho alguns ódios com ela e consegui que prometesse não voltar a roer os móveis, perdoei-a.

Nota: a Luna, que eu plagiei, teve a amabilidade de deixar um comentário a corrigir  um "traz" que utilizei de forma completamente incorrecta (às vezes prendo-me pela sonoridade e escapa-me uma destas) e que me valeria uma quantidade generosa de insultos. Teve a bondade de apagar o comentário logo a seguir para que só eu tivesse acesso à humilhação.
Esta pessoa é uma falsa-azeda. Cuidado.

Atacando bloggers: Poisoned Apple

Algures em 2007, quando ainda prestava atenção às estatísticas do sitemeter, dei conta que estava a receber visitas através de um link no blog "A Maçã de Eva". Comecei a interagir com a espelunca dela e cheguei a ganhar um concurso em que o prémio seria um jantar com todas as maçãs, prémio esse que nunca viria a ser entregue.

Quando a conheci na vida real, pessoalmente, uma das primeiras coisas que ela me disse, provavelmente a segunda logo a seguir a "olá", foi "noutro dia estava com dificuldade em fazer cócó e lembrei-me de ti". Percebi de imediato que estava ali uma pessoa especial e merecedora do título "Baronesa da Merda". A miúda não só era amplamente escatológica na escrita como também o praticava no contacto pessoal.

Desde essa altura até à data corrente tem-se revelado como uma das poucas pessoas que consegue aceitar a minha personalidade de princesa-idosa-transsexual-mal-humorada e lidar com as minha críticas pouco simpáticas aceitando-as como um adulto em vez de ser uma daquelas pessoas infantis que de imediato viram o bico à faca dizendo algo como "tu também fazes x e y".
Tem também a capacidade de me servir uma quantidade razoável de murros no focinho, daqueles que tanta falta fazem para abrirmos os olhos e para tomarmos consciência daquilo que temos que fazer.

Embora esta manhã tenha feito um post sobre mamas, um assunto pelo qual tenho elevado apreço, ontem fez isto, partindo-me o coração de forma quase irreparável.

To be continued...

2011-09-06

Perdão? O que é que me vais fazer?

Consumam esta informação:



Não sei de que país é este tipo mas eu lembro-me perfeitamente disto me acontecer algures na primária, apenas uma vez e não faço ideia de quem era o tipo (deveria ser médico ou pedófilo). Não fui "testado" isoladamente, estava com mais três colegas na sala. Recordo-me de que naquela altura a elasticidade do equipamento era muito reduzida e de que arregaçar as peles não era de todo tarefa que ocorresse de forma indolor mas, ainda assim, a surpresa de tal actividade e a necessidade de manter uma postura de macho (?), forneceram-me a força para não me queixar. Fiquei imóvel e aguentei como um menino-grande-que-tem-um-desconhecido-a-mexer-lhe-na-pila.

Estou sozinho nesta situação? Também vocês decidiram recalcar isto, seus maricas?

2011-09-05

Então é assim que se estimula uma relação?

Eu esforcei-me, apliquei todo o meu amor, dei o litro.
Apesar de todo o empenho na elaboração no título do post anterior não houve NEM UMA referência a Michael J. Fox.

É este o vosso conceito de reciprocidade? Não percebo.

2011-09-04

Especialista masculino em masturbação feminina reconhecido mundialmente

Cruzei-me na RTP Memória com um episódio de "Quem sai aos seus" e senti, por breves momentos, um calorzinho no coração. Ainda que tenha sido uma sensação nova para mim, não há para já razões para acreditar que se tenha tratado de um ataque cardíaco.




Ofereço um gelado a quem adivinhar qual é a actriz que tem sido alimentada, desde o início da série, exclusivamente com pudins de cortizona .

2011-09-03

Sou miserável, preciso de atenção.

Eu não preciso de resposta para esta pergunta, o título é suficientemente elucidativo.

Qual é a razão que leva a que se escreva no facebook e em blogs, de forma completamente pública, mensagens intimas que se dirigem a pessoas devidamente identificadas e que poderiam ser entregues de forma privada?

Nesta categoria de comportamento idiota aprecio especialmente as mensagens dirigidas a pessoas que esticaram o pernil. Se a justificação para tal prende-se com o facto dos falecidos poderem ler aquilo do céu, não será necessário colocar o computador na rua com o monitor apontado para cima? Não? Então podem escrever isso num documento do word e deixar bem guardadinho no vosso computador.

Tenho ainda uma outra sugestão: falem com ele(a). Mesmo que a pessoa fosse surda em vida, quando se vai para o céu eles reparam isso tudo. Confiem em mim.

Nota: Acho que nunca enganei ninguém acerca de ser uma besta, certo?

2011-09-02

Fome em África

Este é um problema que incomoda mas que não é tão trágico como o desconforto que sinto quando se regista uma assincronia no número de beijinhos utilizados para cumprimentar uma pessoa. É uma matéria para mim desconcertante e que deveria ser alvo de regulamentação internacional.

Não tenho qualquer tipo de preconceito pelo facto das pessoas que nasceram em famílias "de bem" pouparem nos beijinhos. É um acto simbólico para o qual não há propriamente o correcto ou o incorrecto. O que gera um incómodo é a falha de timing criada pelo facto de nenhum dos intervenientes antecipar o que aí vem. Há sempre alguém que fica momentaneamente no ar à espera da réplica e que, ao aperceber-se da falha protocolar, recua ao mesmo tempo que a outra parte, que também já identificou a falha, avança. Gera-se um impasse semelhante àquele que ocorre quando uma pessoa está na eminencia de um choque frontal e se desvia para o mesmo lado que a outra pessoa umas três ou quatro vezes.

Nestas coisas embora prefira ceder nunca o consegui fazer com sucesso. Depois do primeiro episódio com pessoa X e devido à carga traumática associada,  a outra parte assume sempre que "com este pobre nojento tenho que ir ao segundo".

Subjugo estas pessoas de forma involuntária aos meus hábitos e vivo em sofrimento.

Nota: As pessoas que tratam os filhos por "você" podem morrer o quanto antes.

Anger Managment

Lembrei-me agora que este era o título que queria dar ao penúltimo post.
A degeneração das faculdades mentais já se faz sentir.

2011-09-01

Qualquer coisa

Estou profundamente aborrecido e não tenho nenhum motim onde possa expressar o meu estado de espírito.

Se tomarem conhecimento de algum incêndio, acidente de viação, inundação num cemitério, incineração de recém-nascidos ou qualquer outro evento que me possa animar, tenham a bondade de informar.

2011-08-31

5 anos

Tinha escrito um post de 4 linhas para marcar este aniversário. Estive quase para o publicar quando penso para comigo: será que tenho tão pouco a dizer acerca deste meu T0  cibernético. Parece que sim, a inspiração escasseia.

Esta coisa faz 5 anos.
Esta coisa deu-me a conhecer muito boa gente.
Esta caixa de zeros, uns e letras tem-se revelado como a derradeira barreira que me separa do manicómio.

Não se esqueçam de voltar a vestir a lingerie à saída. Grato pela vossa visita.

2011-08-28

Perdoai-me Teka, perdoai-me.

Teka é uma leitora que raramente faz comentários.
Teka comenta quase sempre para me corrigir erros.
Teka faz falta.

Sempre sonhei ter inimigos na internet. Tive poucos e não duraram quase nada.
Lido lindamente com opiniões discordantes e com insultos. Aquilo com o que não contava era que tivesse tanta dificuldade em lidar com anónimos que não insultam mas que se fazem passar por várias pessoas diferentes.

Acabaram-se comentários sem registo. Quem quiser dar numa de Fernando Pessoa dos electrões vai ter que pelo menos dar-se ao trabalho de abrir várias contas. Não creio que eu valha assim tanto trabalho.

Teka era uma das razões pelas quais eu ainda não tinha activado esta limitação.
Teka terá que abrir uma conta se quiser continuar a sua missão de fiscalização deste blog. Vá lá!

"Quis mostrar a mulher que sou"

Li este título na capa do Correio da Manhã e fiquei curioso visto que a autora da frase era Iva Lamarão, que não é conhecida pelas suas obras literárias. Que maravilhosa faceta teria esta garota para nos mostrar?

Uma breve pesquisa na internet revelou aquilo que todas as mulheres devem reter como um profundo e verdadeiro ensinamento para a vida. Qual escrever um livro, pintar um quadro ou fazer uma escultura! Nada melhor do que serem literais e para mostrarem a mulher que são deixarem a maior parte da roupa no chão.

Não faz o meu género mostrar o corpo desta forma, mas achei que estava na hora de me desafiar e quis mostrar a mulher que há em mim e que muita gente não conhece.
Fiquei também a saber que "desafio" é a provação que uma mulher bonita e bem feita enfrenta ao ter que se colocar na dolorosa posição de ser alvo de cobiça por milhares de homens. Ó vida cruel!
Estimadas vizinhas blogoesféricas, peguem no que aprenderam e façam o bem. De hoje em diante e com a subida de fasquia causada por esta verdadeira lição de vida, menos texto e mais pele.

2011-08-26

Correntes no Facebook

É uma forma fácil, pública, grátis e indolor de tomarmos conhecimento da identidade das pessoas com as quais não queremos trocar mais do que um par de palavras.
Copia este post para o teu blog se fores uma abécula.

2011-08-23

Experiência social

Precisava que alguém me emprestasse um carrinho-de-mão para levar a cabo as seguintes alterações:
  • Colocar a polícia Síria em Londres
  • Colocar a polícia londrina em Madrid
  • Polvilhar a polícia madrilena pela Síria
  • Trocar a população portuguesa pela síria
  • Crucificar o Papa de pernas para o ar em cima de uma fogueira e servir o resultado em pão-pita
Para os menos hábeis passo a explicar quais as vantagens destas pequenas mudanças:
Churrasco de Papa não é mais do que uma manobra de pedagogia preventiva para os seus potenciais sucessores.
Eu tolero sem problema a fé alheia em Deus e Cristo, o meu verdadeiro problema é com a Igreja. Este senhor, uma fofura sem limites, disse:
"Seguir Jesus na fé é caminhar com Ele na comunhão da Igreja. Não se pode, sozinho, seguir Jesus."

E o molho, senhores, é divinal.

2011-08-20

"Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti"

O poder está no olhar
Uma inversão heterossexualizada das negativas resulta na regra primordial da etiqueta do sexo oral.

2011-08-16

"Encontro de Jovens"

Quando oiço esta expressão começo a bolsar espiritualmente.

"Encontro de jovens" é o que define a reunião de uns quantos milhares de adolescentes, adoradores de Deus, em torno de um qualquer evento organizado por essa grande instituição agregadora de pedófilos que é a Igreja.

Parece que nos próximos dias vai haver uma coisa dessas em Madrid. Toneladas de rapazes e raparigas vão reunir-se no mesmo local e boa parte deles não se vão entregar à arte da fornicação selvagem pré-marital e poligâmica.

Isto é uma tragédia mundial que só poderá ser evitada se o stock de hóstias a ser servido for generosamente polvilhado com pau-de-cabinda.

2011-08-15

Português Extraordinário

Cruzei-me de raspão na RTP1 com um spot que fazia um apelo para que o espectador enviasse para esta maravilhosa estação televisiva informações acerca de um qualquer português que considerassem extraordinário.

Eu não preciso de ver as reportagens ou programa que terão origem neste anúncio para antever que vem aí um chorrilho de merda insignificante polvilhada com raros momentos com alguma relevância.

Vamos ver exemplos de pessoas a fazer coisas relativamente banais, sem um pingo de heroísmo, cujo efeito foi um pouco menos que aborrecido e que talvez até tenha salvo uma vida ou outra.
A nossa atenção será invocada para tomarmos conhecimento da comovente beleza que consiste em pais que salvaram os filhos, algo que é biologicamente impensável e de uma grandiosidade humana extrema e desinteressada.
Estou certo de que nos vão tentar vender uma vez mais aquele desconchavo maravilhoso que é o herói sem medo.

Sou tão azedo.

Atacando bloggers: Salsicha não te desgraces

Os infantes nesta má vida dos blogs talvez não se tenham cruzado com o produto de uma menina que se tornou recentemente preguiçosa: Salsicha não te desgraces.
Esta moça escreveu o único blog que li de ponta a ponta e provavelmente o melhor em que alguma vez aterrei os olhos.

Depois de reduzir a sua frequência de escrita a quase 0, a mais recente desculpa para não produzir rigorosamente nada é a de que "já ninguém a lê". Isto é claramente uma mentira.

Há por aqui mais algum(a) fã à solta que me ajude a forçar a gaiata a formar uma desculpa mais criativa?

Lutando contra a testosterona II

Para quem questionou (e bem) a qualidade do filme que deu o mote para o post anterior: atrevam-se a questionar isto.

2011-08-13

Lutando contra a testosterona

Há uns dias atrás enquanto tentava navegar através do lixo televisivo que nos servem nas madrugadas de Agosto, deparei-me com um filme que contava a história de um jovem moço que, após um desgosto amoroso, tinha decidido entregar-se temporariamente ao celibato.
Os amigos e colegas de trabalho olhavam-no com admiração e faziam apostas em como ele ia falhar. Ninguém acreditava que fosse possível passar 40 dias sem sexo.

Por esta altura o filme tinha ganho o meu desprezo. Ou eu era uma triste aberração ou esta breve abstinência não era nada de especial. Eu faria aquilo com uma perna às costas e, como tal, o argumento deste filme era merda.

A coisa complica-se um pouco mais quando ele conhece uma garota de bom aspecto pela qual se apaixona. É correspondido mas como está no seu período puro esta besta não lhe toca. The plot thickens e o meu interesse cresce.

Não tendo começado a ver o filme desde o início parecia-me completamente ridícula a perda de juízo, os suores frios e todos os outros sintomas que o tipo estava a experimentar. Um completo exagero.
Afinal a abstinência não se limitava à mera relação sexual. Toda e qualquer auto-gratificação estava fora de questão.

Estremeci. A partir desse momento aquela era uma personagem que eu poderia admirar, um ídolo. Tinha-se proposto a fazer algo que implicaria uma luta feroz com as suas próprias hormonas. Será que eu o conseguiria fazer? Isto sim é um desafio, algo que nunca fiz.

Assumindo que o número anual de mulheres pela qual gero algum interesse situa-se nos 0.5 e que creio que já esgotei o plafond de 2011, este parece-me um projecto que poderei abraçar com a concentração necessária.

Se eu obtiver os níveis de irritação que prevejo que vou obter não só a actividade abrasiva deste blog vai aumentar como os motins em Londres serão importados pela mão de um só individuo.

2011-08-11

Precoce

Espero que os jornalistas estejam conscientes de que quando usam a expressão "xpto de palmo-e-meio" estão a sugerir que andam por aí grupos de fetos a fazer actividades várias para além do típico "estar morto num contentor do lixo".

Isto é estranho e levanta suspeitas.

2011-08-10

As crianças estão aborrecidas - London Riots


Eu sou uma prostituta noticiosa e nestas coisas tenho uma necessidade quase sexual de estar actualizado. Por esta razão desde Segunda-feira à noite tenho consumido alarvemente Sky News. Esta estação noticiosa tem um sabor agridoce. Se por um lado levamos com os separadores que têm uma música que faz lembrar a TVI, por outro estamos descansados pelo facto de não haver nem uma única aparição de Nuno Rogeiro, que é uma das únicas pessoas no mundo que se especializaram em tudo (o outro é Moita Flores).

Quanto aos jovens que estão aborrecidos e que por causa disso precisam de plasmas e de vários artigos de  electrónica dispendiosa, não sei bem o que pensar.
O fogo tem proporcionado espectáculos bem bonitos e como eu sou um pirómano em potência e grande adepto do caos, deveria ficar-lhes muito agradecido. Por outro lado, sabendo da quantidade de inocentes que estão a ser afectados por estes actos, não me resta alternativa que não seja apoiar a abertura compulsiva de crânios de adolescentes. Estão a precisar de umas chapadas com ancinho.

Deste evento de beleza extrema fica pelo menos uma lição: se adolescentes armados apenas com telemóveis e com muita falta de estrutura moral conseguem tomar de assalto a capital de um dos países mais poderosos do mundo, talvez esteja na hora de prestar atenção às motivações desta gente.

Em Portugal podíamos juntar polícia, exército, marinha, e a Júlia Pinheiro e mesmo assim não teríamos qualquer hipótese de controlar uma situação semelhante. É certo que enquanto estivessem a agredir a Júlia ganharíamos algum tempo mas, ainda assim, um desfecho trágico seria inevitável.


Nota: Agredir a Júlia Pinheiro conta como auto-defesa com retroactivos. Não é crime.

2011-08-08

Atacando bloggers: Contra-corrente

Anda por aí uma pessoa com distúrbios glicémicos vários e que eu não vou identificar, que quando eu expresso alguma opinião divergente acerca de alguma coisa consensual adora dizer que "já sabia que iam aparecer uns quantos contra-corrente", como se eu estivesse a definir uma opinião em função da polémica que a mesma pode gerar.

Sempre assumi este blog como sendo uma preciosa válvula de escape que, até à data, tem cumprido a sua função com claro beneficio no que toca ao crescimento da taxa de homicídios.
Escrevo aqui, entre outras coisas, acerca de temas que me irritam profundamente e para os quais não encontro opiniões nas quais me reveja.

Ser contra-corrente, no meu humilde caso, não é procurar popularidade mas é, isso sim, exercer uma capacidade de livre-pensamento de que felizmente sou detentor. Procurar popularidade seria ir para o Terreiro do Paço simular uma ventoinha usando para isso a minha capacidade fálica.

Alguém dê à moça uns açoites e insulina.

2011-08-05

Adorar o processo

Será só comigo que acontece o adoramento do processo e o não conseguir usufruir do resultado?
Não importa onde estou, quero sempre estar no destino seguinte.
Eu não sei estar.

Acho que só o Dexter me compreende.

2011-08-03

Tony Ramos

Se há coisa acerca da qual as mulheres não entram em consenso nem por nada é o tema "pêlos no macho".

Há as que não toleram, acham um nojo e dizem que os pêlos são uma coisa do passado. Resquícios ancestrais que não fazem sentido na sociedade de hoje em dia.
Há também as que defendem que a depilação masculina é coisa de meio-macho, metrossexual e outros adjectivos que definem um homem suave / um hipotético adorador de pilas.

O único ponto de convergência parece ser a opinião acerca da situação à retaguarda. As costas Tony Ramos não estão de todo em voga. Neste caso as fãs de feios, porcos e maus abrem uma excepção e aceitam a intervenção estética.

É assim correcto assumir que o Amor é um sentimento muito forte mas com condicionamentos capilares.

"Até que a morte nos separe ou que os cabelos se emaranhem."

2011-08-02

Nação estúpida - Queremos tudo! Não queremos pagar nada!

Já escrevi em muitos sítios diferentes o que vou escrever por aqui e, como tal, não me recordo se já fiz esta abordagem nesta casa. Tenham em consideração o meu cérebro senil.



Para caracterizar o vídeo que invoca o patriotismo em todo o português que usa com frequência a frase "este país é uma vergonha" e/ou foge aos impostos mesmo sem ter necessidade de o fazer, Luís Pedro Nunes usou uma frase que me causa bastante inveja pela sua perfeição e capacidade de síntese: 
Tem a mesma eficácia que enviar um e-mail ao vírus da gripe.

  • A Moody's disse exactamente o mesmo que a esquerda portuguesa diz a tempo inteiro: estamos a caminho de uma recessão profunda.
  • A Moody's não disse, ao contrário do que o português-vítima quer assumir, que Portugal era lixo.
  • Os investidores estão-se a cagar para o facto de termos fado, o Cristiano Ronaldo, ou bonitas paisagens.

Ontem houve mais um indicador que nos ajuda a identificar o QI de anónimos: o buzinão na ponte.
É mais um exemplo de queremos-impostos-mais-baixos-salários-mais-altos-subsídios-mais-elevados-deficit-baixo-sexo-oral-gratuito-e-que-o-estado-subsidie-as-portagens-na-ponte-em-Agosto-porque-sim.

Vai para a praia? Tem dinheiro para o combustível? Paga portagem.
Vai para a praia? Não tem dinheiro para portagens? Vai de transporte colectivo.
Mora na margem sul? É injusto? Não é injusto o ano todo? Para quê fazer barulho só em Agosto?

Tanto felino com fome e o Jardim Zoológico com dificuldades financeiras...

2011-07-28

Nação polida - Aí tá o miolo!

Ano após ano vamos assistindo à suavização de ideias, expressões, palavras, correntes pedagógicas e tudo mais. Estamos a tornar-nos numa nação ainda mais polida do que aquilo que já éramos e, no entanto, toda a gente alega que é muito frontal e que diz tudo na cara.
Os que são brutalmente genuínos são os ignorantes, que falam muito mas que não sabem do que falam e os bem informados são os que substituíram as mentiras pelas inverdades.
Já não é possível dar uma palmada numa criança porque isso é ilegal e traumatizante e no entanto usar bebés como cinzeiros é algo que se tornou mais comum.
Eu giro as minhas relações tanto a nível profissional como pessoal no limite da má educação. Faço uso de um tratamento cordial mas nos níveis mínimos. Sou um tipo com um stock de calor muito reduzido e não gosto de desperdiçar nada. Até prova em contrário, não há cá simpatia extra.
Detesto esta ideia de que tudo tem que estar muito polidinho para que ninguém se magoe, para que nunca se faça sangue. Neste campo estamos a tornar-nos numa sociedade norte-americanizada e, consequentemente, ridícula.
Sou um grande adepto de vértices virtuais espalhados aleatoriamente pela sociedade. É essencial que tenhamos à mão pontos aguçados onde possamos enterrar a cabeça de uma série de filhos-da-puta que nos fazem a vida negra ou que, simplesmente, nos irritam com coisas mínimas.
Por favor espalhem-me alguns vidros pelo chão. Não suporto viver num ambiente seguro.

2011-07-25

Nação polida - prelúdio

Quarta-feira, 20 de Julho de 2011.

Estávamos em plena hora de almoço e eu tinha, como é habitual, pressa e uma fome que caracteriza este selvagem há já muitos anos.
Encontrava-me numa localidade que não me era familiar e na qual não conhecia o comércio da restauração. Aproximei-me do primeiro restaurante que avistei e numa análise preliminar identifiquei-o como sendo um daqueles que apostam tudo no requinte. O cuidado com a decoração era extremo. Para quem pretende rapidez no serviço isto não eram boas notícias. Antes de entrar olhei para os preços e, admirado com os valores apresentados admiti que a minha análise tinha sido precipitada. Preços relativamente aceitáveis não podiam ser compatíveis com uma excessiva perda de tempo com paneleirices relacionadas com o serviço.

Assim que entrei percebi que estava lixado. Aquilo que eu pretendia que fosse uma refeição de 15 minutos ia pelo menos triplicar no tempo e paciência despendidos.
O móbil deste post resume-se a uma única questão que vou dissecar dentro de instantes.
  1. Pedi uma lasanha (prato do dia)
  2. Demorou comó caraças e vinha com um fio decorativo no rebordo de uma merda qualquer vermelha na qual não toquei
  3. Para sobremesa pedi ananás
  4. Serviram-mo com palitos, imagine-se, pedaços gigantes de ananás que não podia levar à boca e que não tinha como cortar servidos apenas com palitos
Eu gosto muito de coisas bonitas quando não estou com pressa. Estou-me a cagar para a estética se isso significar a perda do sentido prático das coisas.

Estou claramente a alongar-me e a dispersar-me. O que interessa no meio disto tudo é a seguinte expressão que me foi servida quando recolheram o prato da já inexistente lasanha:

"Estava agradável?"

Aquilo soou-me a algo tão pouco natural que me imaginei a pontapear a cabeça do emissor até ter a perna a terminar num coto. Este empregado estava claramente a falar papagaiês e eu não tolero papagaiês. Eu fico a espumar da boca quando o papagaiês nem sequer faz sentido. Isto claramente é uma frase feita por um patrão mete-nojo que pretende conferir uma suavidade no atendimento, uma diferenciação pela linguagem polida.

Esta é a minha lista de questões aceitáveis no que toca a esta matéria:
  • Estava bom?
  • Tinha muito sal?
  • Gostou?
  • Queres mais um bocado ou já estás cheio, cabrão?
"Estava agradável?" é o tipo de pergunta que eu só admito que ele me faça se for para se informar acerca do desempenho da mãe dele, no Intendente. Continua a não fazer muito sentido mas, pela carga ofensiva que carrega, parece-me algo com o qual eu consigo sobreviver.

2011-07-19

Moody's: aí vêm os indignados de merda II

Toda a gente percebeu perfeitamente que o que é classificado como "lixo" não é o país mas sim a dívida do mesmo a sua capacidade de a pagar.

O indignado de merda distorce esta ideia conscientemente para poder mostrar ao mundo que, sempre que não está a dizer mal da pátria, a mesma lhe corre no sangue.

2011-07-18

Moody's: aí vêm os indignados de merda

Quando a esquerda portuguesa diz que as políticas de austeridade só vão arrastar Portugal para uma recessão ainda mais profunda está tudo bem mas se for um estrangeiro, a Moody's, está tudo fodido.

- Quem tem a ousadia de nos chamar lixo? Só nós é que o podemos fazer, está bem?

Longe de mim achar que as agências de rating são santas e que se regem por um elevadíssimo código de conduta. O que me faz verdadeira comichão é a continua linha irracional que segue este povo.

Durante os próximos dias estão agendadas grandes acções de protesto contra a Moody's. Consistem em telefonar e enviar faxes para a sede da mesma, em Nova Iorque. Pretende-se assim demonstrar o desagrado tuga e causar-lhe o pesado dano que é ter duas linhas telefónicas ocupadas. Os portugueses quando querem são muito engenhosos...
Para esta grande manobra militar os tugas organizadores explicam com detalhe os vários serviços disponíveis que nos permitem fazer chamadas de borla. Não nos podemos esquecer de que somos pobres.

Devia pegar-se no cérebro desta gente e fazer deles ração para chacal.
O que é que é suposto esta grande acção de protesto causar? Que efeito é que esta gente acha que isto pode ter?
Li a explicação de um atrasado mental que dizia que as acções da Moody's desceram 8% à conta dos ataques por e-mail e feitos no website. Esta besta do caralho e os que partilham desta opinião ignoram que o Banco Central Europeu, Comissão Europeia e outras instituições com menos poder que um tuga com uma conta no Gmail, fizeram algumas declarações a repudiar a descida de rating da dívida portuguesa?

Se há coisa que me toca no nervo é pessoas sem noção da realidade (mas que acham que a têm) e com uma completa incapacidade de medir a utilidade das suas acções.

2011-07-16

Concentração motard em Faro

Eu gosto de andar de mota mas não acho piada nenhuma à aparente necessidade de associar este gosto a uma fanfarronice de macho bruto.

Nunca estive numa concentração motard e, embora acredite plenamente que possa ser muito divertido e estimulante para pessoas com algum nível de paralisia cerebral, não me encaixo no estereótipo que é suposto ser a norma.

O bom motard tem que:
  • Masturbar-se enquanto fala de motas
  • Beber hectolitros de cerveja
  • Gostar de heavy metal
  • Vibrar com striptease
 De todos estes pontos perturbam-me substancialmente o primeiro e o último (sou uma pessoa com uma elevada sensibilidade sexual).

A masturbação, na minha humilde e inquestionável opinião, tem que ter sempre como objecto de inspiração uma pessoa ou, pelo menos, um animal. Compreendo a sensualidade de uma ovelha mas não a vislumbro num tubo de escape.
No que toca ao striptease não compreendo o fascínio que consiste em ver mulheres nuas, do mais foleiro que o mundo tem para oferecer, com as quais não se pode ter qualquer tipo de contacto físico. Parece-me mais ou menos o equivalente a isto. Acrescente-se então que o motard também tem que ser masoquista, coisa em que não alinho até à data corrente.

Agora, se não tiverem nada contra, vou aproveitar o sol, dar uma volta de mota e aproveitar para conviver exclusivamente com a acidez da minha encantadora personalidade.

2011-07-15

Protocolo

  1. Entrar num espaço fechado.
  2. Ajeitar os genitais de forma bem indiscreta, com a mão por dentro das calças.
  3. Aguardar uns instantes.
  4. Dar conta de que no meio do silêncio estava sentada uma garota, bem pertinho de ti.
  5. Dar-lhe os bons dias, fazer de conta que nada de anormal aconteceu e prosseguir a vida com a cabeça levantada.

2011-07-14

Iceberg na canela

Quero muito escrever.
Não me ocorre porcaria nenhuma.

Circuncisão não é uma coisa fixe.

2011-06-30

As mulheres e as séries dos anos 80

Ao ver séries dos anos 80 apercebo-me do quanto mudei e do porquê de as achar ridículas nos dias de hoje.
Naquela altura todas elas vinham carregadas de mensagem bonitas, cheias de moral, em que mesmo até mesmo o inimigo virava as costas a Lúcifer e acabava por fazer uma boa acção por força do arrependimento.
Hoje em dia os guionistas fazem gente ruim a sério, daquelas que esfolam os avós, os violam a seguir e não falham a hora do lanche. Não têm problemas em matar o nosso personagem favorito e não se inibem de que o seu fim seja carregado de sofrimento. Os guionistas compreendem a necessidade humana de coabitar com alguma maldade.

O que tem isto a ver com as mulheres? Tudo.
Tal como nas séries, as mulheres que são encantadoras por serem tão boazinhas encerram em si uma personalidade aborrecida demais para ser tolerável.

Algumas gotas de maldade (ou uma cisterna) são fundamentais para a manutenção da minha sanidade.

2011-06-29

Privatizem a RTP, JÁ!

Então não é que estão a fazer directos do local onde vai decorrer o velório do Angélico?

A irracionalidade deixa-me com os olhos raiados de sangue

Ainda a propósito da história de Angélico (e não "do Angélico" senhores jornalistas), há por aí quem defenda que ele teve azar. Se não morresse por não ter cinto poderia ter morrido por ter cinto e não se conseguir libertar dele caso o carro ardesse.

Eu não sei de quantas formas diferentes consigo insultar a ausência de inteligência desta gente.

Há alguém que ache que é mais provável haver um incêndio num carro, conseguir escapar-se dele estando INCONSCIENTE pelo facto de se ter sofrido um forte impacto e de, eventualmente, se ter espalhado pelo tablier a parte do cérebro que coordena um dos lados do corpo, do que ficar melhor de saúde pela utilização do cinto?
Se respondeu sim, acho muito bem que continue a usar todo esse discernimento longe de mim.

Darwin is watching you. 

P.S - Escrevi este post antes da confirmação do óbito. É apenas mais uma pessoa que morreu e que, como tantas outras não o deveria merecer. Não carece de especial admiração por esse simples facto.

2011-06-26

Inverdades

Esta é a última moda na política portuguesa.
O político, essa espécie que prima pela total ausência de coragem, não tendo a capacidade de chamar mentiroso a um qualquer bandalho (vocábulo nostálgico) que, na maior parte dos casos, é seu coleguinha, diz que afirmação X é uma "inverdade".

Só me apetece correr com estes tipos à chapada.

Judite? Alberto? Que merda é esta?

(Antes de dar mais uma esfrega nos jornalistas devo expressar que me estou simplesmente a lixar se o Angélico patina ou não. A minha opinião sobre ele é nula com tendência desfavorável e, estando longe de lhe desejar a morte, acredito que haja muita gente merecedora dos seus órgãos para continuar a sua vidinha.)

Judite e Alberto, a TVI até que está a começar a ter um jornalismo mais aceitável mas há que meter mais uns travões naquele comboio desgovernado.
Então vocês mandam um jornalista para o hospital onde está o rapaz para fazerem emissões em directo e depois apresentam uma peça onde usam de forma macabra o acidente do moço como forma muito sub-reptícia de promover a festa "Morangos com Açúcar", que decorreu durante o dia de ontem?

E o que é que se passa com o discernimento dos actores da TVI?
Não há nada como um pouco de dor para incutir pedagogia nestes petizes.

2011-06-23

Neste momento na SIC...

... disputa-se a "Piston Cup" no filme "Cars".

Nada a declarar.

I need to bond

Preciso de alguém que oiça com frequência a rádio M80 e que ache que os spots da Depuralina têm como target pessoas com atraso mental e têm como autores pessoas com atraso mental.

Preciso de alguém que conheça o restaurante "Facho", na baixa lisboeta, e que encontre um sentido na frase "estão a chamar o John Connor".

Obrigado.

2011-06-21

Fernandinho Nobre

Melhor que vê-lo perder uma vez só mesmo vê-lo perder uma segunda vez e ainda com menos votos.
De uma forma distorcida, a sua eleição como deputado teve algo de positivo ainda que de uma forma exclusivamente lúdica.

Como presidente da república- rejeitado
Como presidente da assembleia da república - rejeitado
Como paciente psiquiátrico:

2011-06-18

Finalmente!

O Facebook encerrou a minha página.

Para comemorar tal evento deixo-vos com uma música que podia muito bem referir-se a uma curiosa mas grave doença ginecológica associada a uma compulsão.

2011-06-17

Twitter

Eu já vos disse que a Presidência da República segue há vários meses a conta de Twitter deste blog?

2011-06-15

Pessoas aborrecidas

Embora saiba mentir com alguma qualidade não sou grande fã de mentiras nem gosto de o fazer.
Como é que se diz a um amigo(a) que apesar de sermos amigos isso não altera o facto de ele ser completamente aborrecido? Como é que lhes dizemos que não temos paciência nenhuma para sairmos com eles, nem que seja para um café, porque simplesmente não sentimos qualquer impulso para falar do que quer que seja? Como é que lhes explicamos que a nossa relação funciona muito bem se ele(a) estiver num grupo com outras pessoas interessantes mas que é intolerável durante mais de 10 minutos quando isolado?

Estou cansado de usar o trabalho como desculpa e acho que vou mesmo mudar para um directo "não me apetece" juntando um "prefiro ficar a masturbar o meu cão" ou "tenho que contar e medir todos os borbotos de todas as meias".

Estou certo de que outras pessoas terão o mesmo sentimento em relação a mim mas, geralmente, eu consigo perceber a mensagem encriptada com um pouco mais de rapidez.

Dirijo-me neste momento para um desses fatídicos encontros em que vou estar com muito mais atenção ao telemóvel do que à pessoa que está à minha frente.
Ajudem-me a superar o tédio. Comentem muito este post que eu vou tentar responder entre os bocejos.
 
Quando atingir a perfeição e o consequente isolamento social absoluto, terei eliminado todas as minhas fraquezas.

2011-06-14

30 minutos

É o nome do novo programa da RTP1 que tenta desesperadamente, mas com algum rigor, colar-se ao original da CBS, o "60 minutes".
O nome foi muito bem escolhido. Metade do tempo, metade da qualidade.

Os americanos são tão ridículos

Acabo de ver na RTP1 mais um episódio de um programa que mostra como sobreviveram pessoas que se encontraram em situações extremas, após um qualquer acidente num local isolado.

Hoje saiu-me na rifa um americano que caiu numa fenda no gelo, ocultada pela neve, e para onde arrastou literalmente o seu companheiro na expedição que estavam a fazer. O primeiro a cair estava ligado ao segundo por uma corda. O segundo conseguiu fazer com que a queda do primeiro fosse mais suave mas não conseguiu evitar que ele próprio caísse, neste caso, sem ninguém para fazer por ele o mesmo que ele acabara de fazer pelo amigo.

Resultado: o que meteu a pata na fenda safou-se e o que fez com que ele não morresse, esticou o pernil à grande.

Ao sobrevivente restava a genuinamente árdua tarefa de escalar 24 metros em condições muito difíceis. Conseguiu.
Durante todo o relato dos acontecimentos vamos vendo o depoimento do sobrevivente que se mostra muito pouco humilde, quase gabarola, mas sempre com aquela mania ridícula que os americanos têm de atribuir uma simbologia nobre a toda e qualquer porcaria.

O pico da minha irritação foi atingido quando ele, depois de ter sido resgatado, decide que antes de ir para casa tinha que ir a um bar beber cervejas porque era o que estava combinado com o seu amigo CADÁVER. Este episódio terminou com o tipo, muito emocionado, a dizer que pediu dois canecões e que os bebeu, um por ele, outro pelo amigo que ele deixou no congelador. Que merda mais bonita. Se o outro não tivesse a pila congelada podia ser que urinasse e que desse uma eventual arrotadela.

2011-06-12

Jardinagem

Eu não gosto de fazer posts em que o conteúdo é apenas um vídeo, contudo, não sei bem o que possa acrescentar ao que vão ver em seguida.
Estou em condições de testemunhar que a parte do "não exerças pressão, deixa a lâmina fazer o trabalho" é muito importante.


Trimming the bush to make the tree look taller.

2011-06-10

Topless

Muito escrevi neste blog acerca de mamas e das suas capacidades destrutivas. Não vale a pena acrescentar mais nada ao que conseguirão encontrar recorrendo a uma rápida pesquisa.

Preciso da vossa ajuda para fazer valer uma ideia que me parece bastante óbvia mas que, ainda assim, não está a ser fácil de transportar até ao bom senso da destinatária.
Há uma amiga minha, comprometida e sem qualquer outra aspiração em relação a mim, que insiste que não há qualquer problema em ir à praia comigo e em fazer topless. Eu compreendo-a e aceitaria com facilidade a execução de tal actividade na minha presença caso eu tivesse eventualmente sido capado. Não é o caso.

Eu que até me orgulho de ter sangue suficiente para irrigar o corpo cavernoso e o cérebro em simultâneo, não pretendo de todo ser testado e ver-me numa situação em que começo a balbuciar palavras sem qualquer sentido, enquanto transpareço sinais característicos de uma vítima de um AVC.
Ela tem respeitado a minha exigência e, apesar de ainda fazer ameaças, tem sido possível uma convivência saudável e de mente limpa.

Há alguma dúvida quanto à nobreza e pertinência da limitação que imponho?

P.S. - Após tomar conhecimento de que o namorado desta criatura já leu o post, identificou a sua companheira e sabendo também que ela não "caiu das escadas" de imediato, devo acrescentar que a visada é a Poisoned Apple.

2011-06-08

A fisionomia da cara de Francisco Assis...

... foi forma que Deus encontrou de nos dizer que Ele existe e que às vezes acorda muito mal disposto.

Abaixo podem verificar o povo, a saudar alegremente o novo candidato.

Se Sónia Balacó praticasse sexo com Bruno Nogueira

+

=
Perfuração cutânea