2010-09-02

Bocas legislativas

Parte-se -me o coração e esfarela-se-me a pila quando tomo conhecimento de que mais uma moça inteligente, culta, bonita, decide juntar-se a uma juventude partidária. Não conheço forma de prostituição mais revoltante que essa: vender o direito à opinião.

No último ano tenho tido a oportunidade de acompanhar ao vivo e a cores alguns líderes partidários e corja anexa. Cheguei à conclusão de que as semelhanças entre as senhoras-que-saltam-e-berram e estes indivíduos são muito vastas.

Sempre que penso no grupo profissional "putaria", uma das imagens que de imediato imagino é a ausência de dentes. É de esperar que um grupo que recorre a esta profissão, geralmente por situações económicas adversas, associadas a uso de drogas, não tenha muita disponibilidade para ir branquear os dentes.

Uma das maiores surpresas que tive foi perceber que uma grande parte dos políticos tem a boca num estado que eu não conseguiria alcançar mesmo que passasse o ano todo com um boi a cagar-me na dita. Faz-me confusão que se confie o país a uma vara de pessoas que não vê a ida a um dentista como uma rotina essencial a cumprir.

Impressiona-me também que na televisão eles consigam esconder a dentição que sobeja com tanta mestria quanto aquela que usam para nos fazer crer que o que o grupo que usa a cor X é o detentor da patente "verdade".

Resumindo: as putas são muito menos sujas.

Sem comentários:

Enviar um comentário