2010-05-13

100 metros barreiras não-te-conheço

Os transportes públicos têm o mérito de nos juntar a pessoas com as quais não falamos há muito e o inconveniente de nos fazer esbarrar em pessoas que, independentemente de termos falado ontem ou na encarnação passada, não nos apetece esbarrar de todo.

Acabo de resolver um desses problemas com o meu olhar de distraído. Não contava era apanhar logo na carruagem seguinte a mesma situação. Estava com a guarda social em baixo, fraco, vulnerável. Ao dar pelo segundo obstáculo hesitei, recuei por momentos, mas avancei à macho.
Momentos antes de passar pela moça, a visão periférica capta o inaceitável. Levantou a cabeça e baixou-a como se fosse um ninja.

Pondero uma abordagem no final da viagem.

4 comentários:

  1. Depois, dizes que as mulheres não querem nada contigo...

    ResponderEliminar
  2. Oi? Quem disse isso? Quando muito digo que não queres nada comigo. É desgosto mais que suficiente!

    ResponderEliminar
  3. :-)

    Disseste sim. Tenho tudo gravado, direitinho, no meu equipamento anti-stalker.

    ResponderEliminar