2010-03-27

Broxe terrorista

Não, não me refiro a uma peça de joalharia.

Esta ameaça assenta num conceito estranho: o dano que está em jogo é o risco de não-explosão.
A manobra é geralmente executada na área do umbigo. Identificando um momento de fraqueza do macho, o ou a executante (note-se o cuidado social que demonstro ao considerar os fanochos) decide travar a rota descendente e dirige-se ao companheiro com uma questão de elevada importância.
É aqui que o macho que não gosta de mentir se vê num impasse: coloca o seu objectivo de vida em risco ou acede ao "pedido" de uma terrorista?

4 comentários: