2009-11-27

"Essas teias-de-aranha já devem ter sedimentos!"

Deus criou o ser humano, viu os erros, cagou neles e eu é que tenho que avançar com soluções...

Tenho uma excelente ideia para mudar a disposição de milhões de seres humanos no mundo.
Sugiro a instalação de dois contadores digitais em todos os seres humanos: um na testa e outro abaixo do umbigo.
Com esta simples solução conseguiríamos resolver depressões, infidelidades, erupções inesperadas, frustrações, acabar com padres e freiras, etc.

O contador da testa começaria a apresentar o número de dias desde que se teve a última relação sexual (masturbação não alteraria a contagem). Com este importante dado poderíamos canalizar a nossa capacidade de sedução para quem estivesse mais receptivo. O taxa de engates bem sucedidos e de natalidade dispararia e as vendas de anti-depressivos cairiam em flecha.
Para aqueles que tem uma cara que o Criador desenhou com uma faca de mato, aqueles que nem os cães conseguem olhar de frente sem começar a ganir, as vantagens também são mais que óbvias. Atacavam os desesperados (ainda assim em ambientes relativamente escuros). Era sucesso (quase) garantido.
Toda a dinâmica de engate de bar sofreria alterações. Primeiro começaríamos pelas moças mais giras e interessantes. Caso as sucessivas tentativas falhassem e a noite estivesse a chegar ao fim, voltavam-se as armas para as raparigas que já tivessem um contador com quatro algarismos. Simples, justo e todos sairiam a ganhar.

O segundo contador teria funções diferentes, dependendo do género.
No caso dos senhores teria contagem decrescente para a ejaculação. Parece-me que não é necessário explicar o valioso serviço que daqui se pode extrair.
No caso das senhoras teria a contagem para a próxima menstruação / próxima conferência em Madrid que durará 5 dias, à qual não posso mesmo faltar.

Obviamente, o regresso das "conferências" teria que ser feito com um agradável boné na tola (que não seria retirado até ao consumar da relação com a sua amada).



Um dia farão de mim Presidente! Aguardem-me.

1 comentário: