2009-05-29

Rosnador Electrónico

Vamos consultar o mapa que se segue:


Ver mapa maior



Esqueçam o trajecto. Vamos concentrar-nos no "B".

Para quem não sabe, a grande área sem nada construído a sul do "B" encontra-se assim, segundo se diz por aí, porque terá túneis da NATO (complexo abaixo e à direita).

Estava a voltar alegremente de um passeio de bicicleta quando decido cortar-mato para chegar mais rapidamente a casa.
Começo a seguir um carreiro e apercebo-me que não estava a ir para onde queria, mas deixei-me levar. Começo a ver uma propriedade, no meio do arvoredo, da qual não tinha qualquer conhecimento. Apercebo-me que não está nada mal tratada e tem até câmaras de vigilância. Gente cheia de pasta? Aparentemente sim.
Começo a dirigir-me então para o ponto "B", onde consigo perceber pelos prédios que há estrada à minha espera.
Quando me aproximo do mesmo reparo que no muro da propriedade estão montados uns sensores, coisa que nunca antes tinha visto. São pequenos quadrados revestidos a plástico bem granditos. Passo ao lado de um deles e sigo por um piso em cascalho que delimita uma faixa no EXTERIOR da tal propriedade.
Ando alguns metros e observo as inúmeras câmaras instaladas acima da minha cabeça quando de repente soa um sinal sonoro, bem audível, e acendem-se potentes holofotes. Aquilo é coisa para assustar. Olho à volta e certifico-me de que não estou a fazer nada de errado. A zona onde circulo não está vedada e não há mal algum em estar ali. Mais uns metros, novo aviso sonoro, mais uma série de holofotes acessos. Estava a sentir-me um bocadinho incomodado. Certamente já tinha alguém a seguir-me pelas câmaras.
Chego ao fim do tal piso de cascalho e paro em frente ao portão, na esperança de ver escrito o que identificaria a razão para tanto espalhafato. Parei meio segundo. Novo holofote a acender-se, eu a dar à sola.

Aparentemente aquilo é a Quinta de São Gonçalo (também é o nome da urbanização em que está inserida) e não faço a mais pequena ideia do que possa estar ali dentro.

  1. Não pode ser da NATO, é uma empresa de segurança privada que controla o sistema.
  2. É claramente coisa para ter papel. Uma das entradas só está acessível de todo-o-terreno (ou bicicleta do parolo).
  3. Não me parece o rico comum. Note-se que não me aproximei minimamente do muro. O facto de estar a 2 metros do mesmo, fez com que o animal rosnasse para mim.
  4. Há um jardim no ponto oposto, afastado do muro e com vedação de rede que também está cheio de sensores.
Quem sabe o que é esta quinta?
Quem quer praticar sexo comigo nesta área?
Acham que se começar a visitar aquilo todos os dias me começam dar umas bazucadas?
E se eu começar a disparar os sensores com o pénis? Acham que eles ficam confusos por verem um órgão sem o dono por perto?

12 comentários:

  1. Meu Deus,não sabia que te podias desintegrar e deixar partes de ti para trás...que abilidade!Aproveitavas e deixavas os olhos.Podia ser que descobrisses algo sem apanhares no sebo.O pénis para trás acho que dava direito a impotência e perda de virilidade (quem sabe se por uns raios laser)o que não me parece ser o teu desejo de provocação.

    ResponderEliminar
  2. não queiras saber mais do que já sabes.

    (e repara neste magnifico tom de ameaça)

    ResponderEliminar
  3. Alexandra, não há cá partes de mim para trás. Há apenas a extensão de parte do animal de forma a que o resto do corpo de mantenha a salvo das câmaras.

    Lady, é naquele palacete que vives? Para que são aquelas paneleirices?

    ResponderEliminar
  4. É.

    O meu pai deu-me essa casita, onde eu moro com o pessoal que faz serviços especiais (ucranianos, anões, ex-toxicodependentes e há pelo menos uns 3 que têm um ligeiro atraso mas muita força de braços.)

    Haverá com certeza outros sitios para andares de trotinete.

    ResponderEliminar
  5. Desculpa,não sabia dessa tua extensão,imagino que deva ser incomoda mas perfeita para estas situações.

    ResponderEliminar
  6. Essa é a propriedade de um ricaço sim, do Pereira Coutinho. E já deu para perceber que ele não é fã de visitas inesperadas.

    ResponderEliminar
  7. Eu estou fora nessa de fazer sexo contigo, seja lá ou onde for!

    ResponderEliminar
  8. Lady, totalmente desmascarada.

    Alexandra, dá jeito para mudar lampadas.

    Analog, quem? Estamos a falar deste senhor: http://www.smh.com.au/news/breaking/telco-boost-for-portugal/2005/09/23/1126982210337.html ?
    De onde lhe vem tanto conhecimento?

    Rafeiro, não te faças de esquisito.

    ResponderEliminar
  9. Esse mesmo.
    E o meu conhecimento vem de morar ali por perto e, aquando da mudança, o senhor da agência imobiliária nos ter contado a história toda.
    De vez em quando ouvia o helicóptero do menino a ir e vir. Não é para todos, não...

    (e podes tratar-me por tu)

    ResponderEliminar
  10. Imagino que não precises de escada dado que tens um elevador próprio.
    Quanto à identidade do senhor,está então explicado.

    ResponderEliminar
  11. Analog, fico eternamente grato (ou pelo menos durante dois dias) por ter fornecido verdade à minha curiosidade.
    Sendo você da "linha" como a poderei tratar por tu? Impensável!

    Alexandra, não pretendo entrar na casota do menino. Irrita-me apenas a intimidação que é projectada pelo sistema de segurança do senhor.

    ResponderEliminar