2009-02-24

A importância do silêncio

Conseguimos perceber a grandiosidade de um momento quando um elevado número de pessoas está sincronizada num instante de silêncio. Presenciei poucas vezes tal situação, mas aconteceu nas duas últimas idas ao cinema.
Slumdog Millionaire e The Curious Case of Benjamin Button são dois filmes que me proporcionaram esses momentos.

Há cenas com uma tal carga emocional que, quando o filme cessa por momentos a emissão de sons e música, deixa a noção de que não há ninguém que não esteja suspenso, aguardando pelo que se segue com impaciência. Estes são sempre momentos dramáticos mas, contudo, muito frágeis. Um só flato pode deitar por terra toda a magia.

7 comentários:

  1. Bonito! Era a peça que faltava! Pelo menos ao Benjamim, que o outro ainda não vi....

    ResponderEliminar
  2. Sinto-me tentada a dizer que um flato estraga qualquer momento de magia. Se bem que pode criar carga emocional. Algo do tipo: "quem se largou???".

    ResponderEliminar
  3. Eu sabia. Eu sabia que ias estragar o final!

    Sempre à espera do "catch"...

    ResponderEliminar
  4. A importância do barulho... No outro dia fui ver o Valkyria e lembrei-me que podia largar uma bufa por ocasião de um bombardemento que ninguém ia reparar...

    ResponderEliminar
  5. Cabra, era coisa para temperar aquilo de uma forma surpreendente.

    Abobrinha, precisas de descobrir o romantismo dos gases.

    Alexandra, acho que ninguém consegue "catch".

    Pedro, acho que iam estranhar o cheiro a enxofre.

    ResponderEliminar
  6. Piston

    Estávamos a falar de ruído, não de gases. Ora bem, gases = guerra química. Guerra química... é isso que as pessoas querem dizer quando referem que há uma certa química entre elas? Bem... isso justificaria plenamente porque é que eu sou solteira... e vou continuar, se a coisa for assim!

    ResponderEliminar
  7. Abobrinha, sim. A Amor baseia-se na troca de gases.

    ResponderEliminar