2008-12-16

Sociedade Recolectora

Tenho perdido algum tempo a pensar numa coisa que sinceramente me causa algum incomodo.
Depois de tantos milhões de anos a evoluir voltámos a ser o que éramos.

Quantos de nós é que alguma vez na sua vida produziram o seu sustento? Não, não me refiro a ganhar dinheiro, estou antes a pensar em plantar uma alface, caçar, trazer com o esforço directo das nossas mãos a comida de que necessitamos.

Apesar de toda a gente ter a sua casa, de viverem orgulhosamente sozinhos, nunca estivemos tão dependentes de desconhecidos.

REVOLTA-TE! Quebra os laços que te amarram à paparoca dos hipermercados.
Invade a ETAR mais próxima e traz de lá adubo para os teus tomates!
Cria o teu próprio viveiro piscícola (mas não te deixes enganar pelo cheiro, não meter para lá habitantes do Barreiro).
Entra de rompante no colégio dos Morangos com Açúcar, de catana em punho, e sai de lá com um sorriso!
Organiza um safari no estúdio do "Jogo Duplo" e traz costeletas suficientes para alimentar um pequeno concelho.

Somos de novo uma sociedade recolectora. Se algum elo da cadeia desaparecer, vamos desenvolver um gosto muito especial pelo consumo de raízes.

4 comentários:

  1. Cultivo as minhas alfaces, couves, batatas, pimentos, tomates, mato/preparo galinhas, perus, coelhos e patos.

    Mas porque é que tenho vontade de organizar um safari ir a algumas casas e arranjar carne para os leões do ZOO? Ou nem para os leões coitados que morreriam certamente envenados.

    ResponderEliminar
  2. Hoje tenho andado a pensar nisso:)
    Não comemos telemóveis nem carros, certo?
    Em relação à ETAR... talvez não seja preciso ir tão longe. Já repararam na matéria orgânica que o nosso organismo produz? Como diria o outro "Precisamos de m...., sr. Soisa..."
    Vou criar antes uma pecuária, ou melhor um pombal, aqui em benfica. Acho que vou fazer essa proposta aos vizinhos. Ou então caçamos os pombos aqui de lisboa.
    Quanto aos morangos, essa é q eu ainda n me tinha lembrado! Excelente ideia! Levas a catana e eu levo a enxada?
    Também podemos ir ao Rebelde Way mostrar quem é que é rebelde, e sair de lá com um sorriso ainda maior.

    Elanor

    ResponderEliminar
  3. E para não desperdiçar comida, para o Natal, sugiro filetes de Leopoldina e lombo de Popota assado no forno :P

    Elanor

    ResponderEliminar
  4. CO, parabéns. Numa altura de crise grave, já sabes que o quintal vai ser pilhado.

    Eleanor, assim é que é! Espírito natalício em alta! Um martelo pneumático na mão de todos os meninos que se portaram bem o ano todo!

    ResponderEliminar