2008-06-15

Olha-me o filha da pu...

De há uns anos para cá que me habituei a ser insultado por desempenhar de forma competente as tarefas que me são incumbidas. Note-se que quando escrevo "ser insultado" não me refiro a pequenos mimos ou a insinuações mais ou menos encapotadas, refiro-me antes, a titulo de exemplo, a mimos como "você é uma besta do caralho!".

Estou para lá de calejado e reajo a isto sempre com calma, educação e profissionalismo. Estes insultos só me deixam feliz. Sei que cumpri a minha missão e que, como bónus, consegui deixar um gajo podre de lixado.
Também me dá um gozo especial quando uma mulher tenta com fazer uso do seu decote para obter alguma vantagem. Penso para mim:
- Sim senhora, tens umas mamas muito bonitas, parece-me tudo muito bem, mas o teu namorado é que se "diverte" com elas. Não te devo nada. Ide cagar longe que aqui não te safas.

Aparte desta introdução, na passada quarta-feira surgiu uma novidade neste processo tão agradável. Habituado que estou às ameaças do tipo "você sabe quem eu sou", deparei-me com uma nova autoridade neste processo.
Como se já não bastassem "o director", "o filho do presidente", "amigo do coordenador", "a que chupa a pila ao padre" entre outros, nasceu uma nova autoridade a nível nacional com privilégios e um poder devastadores.

Alguém que NÃO estava em serviço, que estava meramente em lazer, depois de ver que os seus intentos não seriam atendidos, saca da carteira profissional e, tal e qual Fox Mulder de Alcanena, acena declarando:
- Está a ver isto? Sou jornalista da TVI e vou falar com o seu empregador!

Olha me o corno hein? Se o gajo sonhasse o que já escrevi acerca de pedaços de lixo como ele... É claro que o meu coração ficou cheio de amor para dar e o dia correu melhor.

Lamento que ele tenha dito aquilo apenas na esperança de que a ameaça viesse a criar algum temor em mim. Gostaria sinceramente de ver aquele animal a falar com o meu "empregador". Não só teria confirmada e apoiada a minha decisão como estou certo de que o meu
"empregador" iria colar o seu ânus à boca do individuo e teria efectuado uma cagada monumental.

10 comentários:

  1. Bonito! Quem será o jornalista? Se bem que não sei se existem bons jornalistas na TVI basta ver aqueles "noticiários sensacionalistas "!

    ResponderEliminar
  2. Qual é a tua profissão, Piston, que te coloca nessas adoráveis situações?

    ResponderEliminar
  3. Mas alguém achou mesmo que dizer que era jornalista da TVI lhe ia dar alguma coisa?? Por favor, não querendo generalizar, mas a TVI em termos de informação é uma merda, tenho gostado principalmente das intervenções da Raquel M. Cruz na Suiça, onde faz as mesmas perguntas a todas as pessoas. Já não há cu que aguente!

    ResponderEliminar
  4. Pat, nenhum conhecido.

    Jaime, sou tratador de golfinhos. Ao contrário do que se pensa são animais muito rudes e com pinta de taberneiro.

    Kitty, de acordo. Achou que ia ter medo que ele levasse aquela indigna situação para a televisão. Raquel Matos Cruz é umas mamas com microfone.

    ResponderEliminar
  5. Epah Piston eu se fosse a ti pedia um subsídio de risco ao teu empregador, uma vez que és obrigado a lidar com gente tão perigosa (vá, perigosa não diria, estúpida é mais o adjectivo certo) como os jornalistas da TVI.

    ResponderEliminar
  6. mas o que se passou para tanta indignação ó piston??

    ResponderEliminar
  7. Piston, querido, essa linguagem está a pedir pimenta na língua!

    Na última vez que isso me aconteceu (às portas do TIC, é claro), disse à senhora que não seria intervistada por falta de maquilhagem.

    ResponderEliminar
  8. Alexandra, se achares por bem, lavo já a língua com sabão.

    Também ameaçaram que iam falar com o teu empregador? Por acaso nesta situação tratava-se de lei, pura e dura.

    ResponderEliminar
  9. "...o meu "empregador" iria colar o seu ânus à boca do individuo e teria efectuado uma cagada monumental."

    Já sei qual é a tua profissão: poeta.

    ResponderEliminar