2008-02-10

Antes dá-los aos cães com trinca de arroz

Gostaria de, antes de mais, frisar que o facto de gostar de andar de mota não significa que lhe dê beijos e faça dela um objecto de adoração. Ela existe para eu me servir dela e não o contrário.
Posto isto, revelo-vos que ando já há algum tempo a imaginar que hei-de morrer num acidente de mota.
Não tenho um motão que dê para grandes velocidades mas o facto de andar sempre a correr de um lado para o outro anda a potenciar a probabilidade de acidente.
Morrer não é algo que me incomode especialmente. Se for para me espetar, que seja com força e que não deixe hipótese de recuperação.

Mas, no meio desta temática, há algo que me está a incomodar profundamente:
Quando eu morrer num acidente de mota os meus órgãos podem vir a ser doados a um amante do tuning?

Por favor, NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!
Podemos definir que não queremos salvar gente do tipo X ou Y? Isso dava bastante jeito.

Quer dizer que num momento o meu coração pode estar a bater no meu peito e no momento seguinte a fornecer sangue a um cérebro de avestruz que conduz um Corsa de competição (que bela antítese)?

Não me parece admissível. Ou me garantem que fazem bom uso das peças de alta qualidade de que é feita esta robusta carcaça, ou prefiro ficar a babar-me e a ver o Goucha para todo o sempre.

Morrer, sim senhor, vamos a isso. Prolongar a vida de baldes de merda, membros de claques, donos de pitbulls "de competição" e a outros matacões de intelecto semelhante é que não.

10 comentários:

  1. Cá estão temazinhos que a maioria das pessoas ficam desconfortáveis em ler ou falar e que nem sei porquê porque é bem verdade que isso (o que falas aqui) possa ser assim.

    Eu acho que duas coisas: a primeira é que estando morto já não serias acusado de discriminação nem te iam mover nenhum tipo de processo nem nada disso, por isso ... porque não deixar em testamento??? A outra é que duvido muito que pessoal desses precise de um coração. Fartam-se de pregar cagaços e ataques mas a outros... provavelmente precisam é de transplantes cerebrais ou de fígado e o cérebro acho que ainda não se transplanta. Mas, no caso de ser possível daqui a uns anos, imagina como poderias ser benfeitor se pusessem o teu cérebro numa daquelas caixas ocas!
    ;)

    ResponderEliminar
  2. Tum, Medo!
    Então acha que eu ia aceitar acordar um corpo com dentes podres, sobrancelha rapada e com uma namorada pêga todos os dias?
    Matava-me na hora.

    Filipa, também concordo plenamente comigo.

    ResponderEliminar
  3. Nunca tinha pensado nisso, mas tens razão!!! Os meus orgãos irem parar a alguma das sonsas e sonsos que odeio e dos quais sinto pena, ou a um membro de claque, gentinha de carros artilhados.. grrrr até sinto arrepios!!! Vou deixar um testamento com cláusulas.

    ResponderEliminar
  4. Ora cá está um assunto que realmente a maior parte das pessoas (eu incluída) evita. Acho que realmente devíamos poder determinar a quem é que não queremos doar os nossos órgãos. Não sei é se podemos pôr essas determinações em testameto... e mesmo que seja... não sei se os hospitais vão querer esperara para saber se o acidentado tem testamento e se tem qual o conteúdo quando a doações de órgãos. Acho que nos resta abusar o mais possível do nosso corpo para não sermos viáveis para ninguém ou então rezar para ficarmos feitos em nestum!...

    ResponderEliminar
  5. ERRATA: onde se lê "...e mesmo que seja..." leia-se "... e mesmo que seja possível..."

    ResponderEliminar
  6. Estou desiludido.
    Sem querer parece que abri um tema com alguma pertinência e nobreza.
    A sério, só queria insultar algumas pessoas. Não quero uma discussão respeitável.

    ResponderEliminar
  7. Caraças! Vamos lá então tornar isto pouco sério... (vou tentar).
    Ora bem, muito sinceramente, não tinha pensado no assunto. Mas se pudesse ter voto na matéria, os meus órgãos não seriam doados a gajas com silicone nas mamas, botox na testa e colagénio nos lábios. Se tivesse de escolher, doaria os meus órgãos aos meus gatos e ao meu cão. (se se pode deixar milhões de dólares, por que não os órgãos?!). Sempre seriam apreciados pelos beneficiários!
    (não sei se abandalhei isto o suficiente...)

    ResponderEliminar
  8. E gajas naturalmente "grandes"?
    Já recebiam um fígado teu?

    ResponderEliminar