2008-01-10

Olha o cabrão que tem a mania que defende o planeta...*

Não, não sou vegetariano.
Não defendo o abate animais ou o seu aprisionamento como forma de entretenimento mas, se é para alimentar o meu bandulho, vá de abater (dando uso se necessário a uma moto-serra) uma vaquinha ou um porquinho!

Ontem à noite ao abrir o meu frigorífico deparo-me com este fantástico produto:

-Patê de Pavo*? - pergunto eu para mim próprio.
De facto, a imagem por cima do titulo não deixa margem para dúvidas. Preparava-me para barrar tostas com aves-que-têm-uma-"voz"-irritante-e-uma-cauda-um-bocado-exibicionista.
Digo-vos que se nunca experimentaram não perdem rigorosamente nada. O pavão só serve mesmo para estar em jardins deprimentes. Não tem sabor nenhum.

Gosto muito de golfinhos. São mamíferos muito inteligentes e dóceis.
  1. Fatie bem o seu golfinho, tempere e leve a grelhar.
  2. Coloque a barbatana que ainda mexe em frente do grelhador (serve de abanico automático).
  3. Acompanhe com arroz de tomate.
  4. Chame as crianças para a refeição.
  5. Limpe os salpicos de sangue da cara.
  6. Devolva o resto da família ao mar.
  7. Aprecie o prato enquanto avia galhetas no puto.
Golfinho vivo e subnutrido - 5€/kg
Esta semana, na loja do chinês.

* Sim, já compreendi que só um parvo que fez uma tradução excessivamente à letra.

22 comentários:

  1. "Não, não sou vegetariano"

    Então não é vegetariana que se diz? Já não percebo nada...

    ResponderEliminar
  2. Qual a utilidade desta postagem? Ocupar espaço?

    ResponderEliminar
  3. Olha a cabra, não gostou.
    Eu cá ri-me...
    E pavo, tu sabes que é o belo do "pirum", não sabes?

    ResponderEliminar
  4. Português, isso é alguma alusão à minha possível transsexualidade? Não percebi.

    Cabra, se não estiver satisfeita com o serviço prestado pode pedir o reembolso.
    Você vê algum propósito neste blog? Eu não.

    Maria, Cala-te! Não me queiras destruir o sonho.
    É que nem me dei ao trabalho de ir à procura no google. Pelo desenho não pensei que pudesse ser peru.
    Ganhei um novo objectivo na minha deprimente vida: caçar um pavão e fazer dele patê.

    ResponderEliminar
  5. Golfinho grelhado com arroz de tomate? E não pode ser antes uma batatinha cozida? Acho que ficava melhor...

    ResponderEliminar
  6. Coitadinhos dos golfinhos,agora começo a pensar se alguma vez no chinês terei comido os bixitos jesus!

    ResponderEliminar
  7. Seria Paté de Pavo ou Paté de Parvo? Não era gralha?

    AR

    www.antonioraminhos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Teka, com batata não combina bem.

    Alma, não penses nisso.

    António, o único parvo aqui sou eu.

    ResponderEliminar
  9. Será que o bambu que como no chinês são golfinhos?
    Nice =)
    Os golfinhos são deprimentes!

    ResponderEliminar
  10. Caro Piston,
    Peço desculpa por deitar por terra a tua convicção de que comeste paté de pavão. "Pavo" é perú em espanhol. Os perús também têm uma cauda um pouco exibicionista (não tanto como a do pavão), daí o desenho na embalagem.

    ResponderEliminar
  11. O sonho já me havia sido destruido há alguns comentários atrás.
    Agradeço na mesma a tentativa de me provocar um grande dói-dói gastronómico.

    ResponderEliminar
  12. Toda a gente sabe que os perus são pavões com lepra, por isso, the joke is on you Piston boy...

    ResponderEliminar
  13. Ó Piston, deixa lá... o perú só é bom mesmo em panadinhos! :)

    ResponderEliminar
  14. Oh Ana, olha que estou agora a deglutir uma tosta com o dito patê e a coisa até se pratica.

    ResponderEliminar
  15. Mak, não se faz pouco da aparência dos outros. É feio.

    Miss, não tínhamos uma avença? Tenho que pagar-te à letra?

    ResponderEliminar
  16. Estou a pensar no paté de atum que a minha mãe faz :)) bem bom!
    Vai um bocadinho? Beijocas!

    ResponderEliminar
  17. Ana, o patê é de atum heterossexual?
    A minha religião não permite comer gays.

    ResponderEliminar
  18. ahahaha! Não costumo perguntar a orientação sexual do atum... como-o e pronto. E como se deixa comer bem, devo presumir uma de duas coisas: a) ou é macho e é hetero; ou b) é fêmea e é lésbica... ://
    As coisas de que te lembras!

    ResponderEliminar
  19. Por si qualquer atum se deixa comer.

    Comigo são um bocado mais esquisitos.

    ResponderEliminar