2007-09-28

Eu é que sou o maior gay!

Então não é que há um projecto de gay que me vem tirar do meu sossego?

Este gajo acha que, apesar de todas as provas que já dei neste blog (e noutros), é mais gay que eu.

EU É QUE SOU O MAIOR GAY!
Para que não haja a mais pequena margem para duvidas, vou deixar aqui uma lista de comportamentos/gostos/outras coisas estranhas que fazem de mim um ser mais feminino que a Vanessa Fernandes...

  1. Vejo o Dr. Phil - como eu gosto de homens calvos que nos dizem como devemos resolver todos os nossos problemas.
  2. Vejo de vez em quando a Oprah - como eu gosto de apresentadoras racistas e feministas a elevar as mulheres ao estatuto de ser supremo e ao mesmo tempo coitadinho e mártir (isto vai dar molho).
  3. Quando calha, vejo o "Querido mudei a casa" - só um indivíduo completamente apanascado poderia tolerar isto.
  4. Embora goste de ver os programas em que se comentam as jornadas desportivas (acho que é aquela curiosidade de ver advogados, autarcas e jornalistas a fazerem figuras de trolha embriagado), ligo muito pouco ao futebol. Tirando os jogos da selecção e alguns derbys, passa-me completamente ao lado. Chego a achar ridícula a forma fatalista como se discute o que se passou em jogo X, como se o aquecimento global ou a prática de sexo oral dependessem disso.
  5. Sei que papanicolau não é o nick de um pedófilo.
  6. Não coço os tomates em público. Não é que não padeça do fenómeno da comichão genital. Tento ser discreto.
  7. Não bebo álcool (excepto quando quero praticar desportos radicais). Não gosto do sabor. Quando algum macho me vê a pedir um suminho em vez de uma "jola", começa logo a tirar-me a medida à "bilha".
  8. Nunca fui a uma casa de strip/alterne ou ao Restelo para dar uma "boleia" às moças desdentadas que por lá andam.
  9. Não faço sexo. Só faço amor. Com o meu pastor-alemão. Gosto que ele me arranhe as costas e me morda a nuca.
Acho que a única coisa que me separa da imediata mudança de sexo é o facto de (vou levar com a fúria das leides) achar completamente ridículas as comparações/imitações/ai-eu-sou-mais-parecida-com-aquela que se fazem em torno das personagens da série "O sexo e a cidade".
Eu tenho para mim que se houver um grupo de 5 amigas, uma será hostilizada porque não há lugar para duas Samanthas, por exemplo.
Gosto especialmente que achem que aquilo é que é vida, que elas são o máximo, quando na verdade, todas elas estão, assim, como é que hei-de dizer, miseráveis?
Eu sei que elas são muito amigas, têm o apoio umas das outras, que isso é que importa, mas o que é certo é que todas elas procuram desesperadamente uma pila que venha com "amor incluído".

- Ah! Mas a Samantha não é assim! Essa vive a sua liberdade sexual! Fornica com 10 homens diferentes por dia!

Questão: esquecendo aquela parte em que até mesmo esta personagem sucumbiu aos males do coração, porque é que uma gaja que se deita com 30.000 gajos por ano é muitá cool mas se for a vizinha do lado é uma GRANDA PUTA?

A outra personagem mais cobiçada dentro dos grupos de amigas é a Carrie. Porquê? Porque é muito fashion e porque é a única mulher que conheço que, apesar de ter cara de cavalo, consegue parecer muito bonita e atraente.


Não esquecendo o começo deste post, se eu não fosse gay, seria eu capaz de atacar de forma tão vil estes quatro símbolos feministas? Não terei desesperado para substituir a minha mirrada pila (43cm) por uma vagina?

Ervilha, consegues ser mais gay que eu (aguenta-te à bronca!)?

2007-09-25

BNC?

Piston,

Acho que és BNC! Desafio no Ervilhas Albinas

Ervi

Sábado, Setembro 22, 2007 6:07:00 PM


Recebi este comentário com alguma perplexidade. Que quererá dizer BNC?
Depois de consultar esse post, fiquei a saber que BNC quer dizer Bom Na Cama.
UM HOMEM A DIZER QUE EU SOU BOM NA CAMA? MAS QUE MERDA É ESTA?

Continuando a ler chego a esta parte:

Os meus nomeados são:

O Piston. Meu caro, saiu-te a sorte grande ou a fava do bolo rei, dependendo da perspectiva. So Many Men So Little Time. Depois de umas horas agonizantes, lá acabei por tomar uma das decisões mais difíceis da minha vida. Foste o escolhido! Um gajo que vê a Oprah, o Dr. Phil, o “Querido, Mudei a Casa” e que lava a loiça à mão sem luvas, esponja, esfregadeira (desconheço os termos técnicos, não é a minha área..), etc, só pode ser uma máquina entre os lençóis. Parabéns!

Analisemos este indivíduo:
  • Tem nome de legume.
  • Escreveu BNC para não relevar de forma mais explicita que é totalmente roto (e a desculpa do desafio e tal... NÃO PEGA!)
  • Acha que sou bom na cama porque vejo alguns programas de gaja? Isto é desculpa que se apresente para dizer que me quer ver nu?
  • Quer "lançar-me" um desafio?
Meus amigos, eu detesto desafios quando cheiram a "corrente". Aqui a corrente quebra, mas só porque este era uma provocação que não podia ficar sem resposta, cá estou.
Ora se não vou passar isto a ninguém, que é suposto fazer com isto?
Vou aqui revelar um pouco da minha vida intima e vou relatar um momento romântico e apaixonado:


BNC - Aquele animal
Havíamos jantado num restaurante italiano, em Lisboa, de onde tínhamos saído à pressa. A vontade que invadia os nossos corpos era incontrolável. Um beco que existia ali próximo parecia ser a fonte que podia apagar o nosso fogo. Corremos para lá enquanto trocávamos caricías.
Empurrei o seu corpo contra a parede. A sua respiração era intensa e a frequência aumentava cada vez mais. Juntado os polegares e indicadores, acariciava a sua cabeça. Os nossos lábios uniram-se e as nossas línguas enrolaram-se, selando a nossa cumplicidade. Em dois golpes rasguei a sua lingerie preta. Conseguia sentir a sua excitação. De costas voltadas para mim e com o peito encostado à parede, comecei a possuí-lo. Completamente mergulhados no momentos, eu esforçava-me para dar-lhe prazer, ele limitava-se a ganir.
No final, depois de termos satisfeito todos os desejos um do outro, voltei a pôr-lhe a trela e fomos para casa.

Não há nada como ser BNB (Bom No Beco) com o nosso pastor-alemão. Nota-se bem que tem LOP, é cá com cada golpe de rins!

Amigo Ervilha, espero ter satisfeito parcialmente o que pretendia com o desafio.
Se estiver interessado num amante como o meu, contacte-me.

Ps - Sim, os meus animais de estimação usam todos lingerie.

2007-09-22

O limite

O último post precipitou o que vos ando para escrever há algum tempo.

Haverá algum limite no que toca ao humor? Onde está a fronteira?

Eu acho sinceramente que não há nada que não seja utilizável de forma humorística.
Cancro? Morte? Pedofilia? Acho que tudo é uma questão de escolher a oportunidade correcta.

Graças a esta situação (cuja suspeita divulguei num post) conheci duas pessoas que já experimentaram o "material a sério" e que não se sentiram ofendidas pelo facto de eu escrever "cancro é fixe".
É claro que cancro não é fixe.
O cancro, para além de se vestir mal, não dança hip-hop, não faz graffitis e não pratica desportos radicais.
O cancro é um indivíduo que faz parte de uma juventude partidária e que beija o rabo a tudo quanto é pessoa influente.
O cancro é aquele gajo chato que, por mais que o ignoremos ele continua a tratar-nos como se fossemos o seu melhor amigo.

Tumores, no caso dos jogadores de futebol e dos seus mais vincados fãs, são os brincos com brilhantes. Não há nada que mate mais a masculinidade e bom gosto que aquelas pequenas peças de bijutaria.

Resumindo e terminando a divagação, acho que não tem mal nenhum dar umas gargalhadas à conta de atrasados mentais (desde que eles não se apercebam) se assim não fosse, que fazem vocês a ler este blog?
Pecadores...

2007-09-21

É tão bom!

Se gozar com os retardados é errado, porque é que Deus nos proporciona tanto prazer quando o fazemos?

Clara de Sousa, para além de ser uma mulher inteligente, bonita e atraente consegue também ser uma cabra. Não meus amigos, não me interpretem mal. Quando escrevo "ser uma cabra", faço-o da forma mais lisonjeira que se possa imaginar.



Não chega? Acham que a imagem do pobre atrasado com trejeitos de fêmea ainda não está na lama? Ainda não foi totalmente explorada? Claro que não! Há muito mais a retirar da alma do homem, há mais programas que podem lucrar com os dotes artísticos do moço.
Vamos lá todos ganhar mais alguns pontos para chegar ao Inferno.





É tão bom gozar com os outros!
(Agora a sério, é mesmo!)

2007-09-15

A queda do mito

Afinal, nem todo o rabo introduzido dentro de umas calças da Salsa se torna minimamente apetecível.

2007-09-10

Palmas

Acho que este é o momento oportuno para que se institua uma nova política no que toca a aplausos.

Ao longo dos anos, tenho verificado que há um uso abusivo desta forma de manifestação.
Há as pessoas que se aplaudem a si próprias, as que aplaudem quando se pede um minuto de silêncio como forma de homenagear um cadáver, as que aplaudem quando alguém surge num programa de televisão (mesmo sem ter feito porra nenhuma para o merecer), as que aplaudem quando no programa "Herança" o dinheiro passa de um concorrente para outro, os que aplaudem porque estão com comichão no pé, etc.

Para mim, humilde mortal, um aplauso é algo que se dá quando:
  • Alguém cantou muito bem.
  • Alguém tocou muito bem.
  • Alguém teve uma excelente prestação desportiva.
  • Alguém se despista de automóvel, morre e leva alguns amigos com ele (Morangos com Açúcar? Atingiram?).
  • Alguém se despista de automóvel e consegue levar consigo três advogados e dez jornalistas (calma Leididi/Alexandra, calma).
  • Alguém de um bairro manhoso dá dinheiro para participar num anúncio com Cristiano Ronaldo (a estupidez é algo que deve ser incentivado).
  • Alguém do sexo feminino se despe num filme/revista/rua/ponte (e quando não é a Simara).
Eu sugiro que se crie uma lei que permita a imediata amputação de qualquer pessoa que aplauda alguém de forma totalmente gratuita e despropositada.
O casal McCann sai da Igreja... zinga, 120 mãos cortadas.
O "As tardes da Júlia" começa, 150 no saco.
José Malhoa acaba um espectáculo, 500 mãos pela sanita abaixo.

E perguntam vocês: "Oh Piston, mas isso não impede que as pessoas expressem esse comportamento parvo. Apenas altera o som do aplauso!"

É claro que só altera o som! Mas haverá algo mais divertido que ver 80 amputados a bater os cotos no "Preço Certo"? Não só se ganhava em silêncio como em ritmo. Adivinho que o som de ossos a bater contribua para uma sonoridade muito tribal, logo, divertida (semelhante ao bater de umas socas mas com menos volume).
Acrescendo a este beneficio tínhamos o facto de que a vontade tinha mesmo de ser grande. A sensação de pele entalada entre os ossos não deve doer pouco.

Que me dizem? Vamos fazer um abaixo-assinado?

(A próxima sugestão será promover a remoção dos lábios de quem for assobiar para a porta dos tribunais.)

2007-09-09

Ouvir a Mega FM...

... é para mim tão difícil como lamber o sovaco a um mendigo morto.

Eu que sou um moço que até tem gosto pelo mundo da rádio, acho esta estação um pedaço de frequência radiofónica desprezível no que toca aos animadores (ou a quem lhes escreve os textos).
Para quem nunca reparou, todos eles têm muita piadinha e contam experiências de vida apresentadas de forma fantástica, mas que, se ignorarmos o tom de eu-sou-buéda-cool-fixe-nice-curtido, não passam de episódios, banais e sem qualquer interesse.

Que é que se passa com esta rádio?
Todos os animadores têm Q.I. de foca?
Sou eu que tenho o azar de a ouvir sempre que estão numa fase má?
Será que toda a gente na comunicação social tem que ter piada (já não nos basta as caretas da Manuela Moura Guedes)?

2007-09-08

É para mim inevitável...

... pensar no porta-voz do movimento "Verde Eufémia" (movimento que destrói plantações de milho e que depois diz que foi só uma acção de desobediência civil), Gualter Baptista, sem me lembrar do único Gualter que sempre conheci na vida.



Este pelo menos tem alguma credibilidade.

2007-09-06

FUCK THE...

Não percebo como é que este homem, que dispara raiva para tudo quanto é sitio, esquece-se de uma tão básica:



FUCK THE JOURNALISTS!
Estou cada vez mais fartos deles.

O Jornal Nacional de hoje (fui mais uma vez "obrigado" a vê-lo) foi demais. Foi tanta a parvoíce que ouvi que só consegui memorizar uma: "...tem uma bala alojada na zona da cabeça..."

Como é que se tem uma bala alojada na "zona da cabeça"? Estará "alojada" na orelha? Encravada num piercing? Quem é que deu a carteira profissional a este boi falante?

A BALA OU ESTÁ NA CABEÇA OU NÃO ESTÁ!

Num outro directo, a jornalista informava "tenho que mostrar isto, tenho mesmo que mostrar isto". Tinha que mostrar o quê? Tinha que mostrar que os tugas estavam à porta das instalações PJ de Portimão à espera que Kate McCann saísse. Há, por alguma hipótese, povo mais triste que o português?

No meio deste poço de merda (visualizem bem), ainda há alguns jornalistas em condições.
Um deles é Mário Crespo, uma velha raposa que faz os trabalhos de casa, convida a presa para um estúdio e persegue-a até a ter encurralada.
Mário Crespo é também o senhor que apresenta as peças do "60 minutes" e que desde que foi gozado pela sua meia-branca, passou a usar pretas.
Mário Crespo usa sempre as mesmas palavras no final das peças jornalísticas do "60 minutes":

"... a excelência deste jornalismo é nos trazido pela CBS, mas é vos apresentado, nesta excelência de conteúdos que é a Sic Noticias..."

Reparem só o conhecimento cientifico que este senhor tem,



na forma como ele faz aquilo que todos gostaríamos de fazer, tirar propositadamente o Valentim do sério



e como ele persegue este menino até ao fojo mais próximo.




(Aposto que ninguém viu este até ao fim.)

Vamos a acabar com isto de uma vez por todas

6 - Cagar à pistola - forma de expressão artística ou aflição do caraças?
Só para não desiludir o Headache (que votou nesta), aqui o Prof. Marcelo vem por este meio informar que "cagar à pistola" é uma aflição do caraças.
Acho que não há ninguém que goste de visitar a casa-de-banho mais de 4 vezes a cada 10 minutos (mesmo que seja em nome da arte).
No que toca a manifestações plásticas fazendo uso de excrementos, elejo como expressão válida a "técnica da fartura".

7 - Manias compulsivas
Assim de repente não me lembro de muitas coisas que se possam enquadrar nesta temática.
  • Costumo com alguma frequência, aquando de uma refeição, comer primeiro o acompanhamento e só depois o resto.
  • Não gosto que me toquem nos polegares quando estou de salto agulha e com um soutien vermelho.
  • Raramente me deito sem comer qualquer coisa (gastronomicamente falando) equiparável a um segundo jantar.
  • Tenho a mania parva e inconsciente de ligar os faróis do automóvel logo a seguir a pôr o motor em funcionamento.
  • Consigo saber, em pleno sono se estou com febre. Tenho sempre o mesmo sonho.
  • Sempre que estou ao telefone/telemóvel, mantenho-me em constante movimento, fazendo circuitos entre várias divisões.

2007-09-05

3 - A última vez que borrei as cuecas

Continuando com isto, venho proporcionar-vos mais um momento de divertimento em torno da minha auto-humilhação.

Acho que neste caso podem fazer uso da vossa imaginação para completar com sucesso o nojento episódio de que fui vitima.

Palavras-chave:
  • Liquidez fecal
  • 5 quilómetros de casa
  • Zona sem instalações sanitárias
  • 13 anos
  • Aguentar (ou pensar que aguenta)
  • Meio de transporte: bicicleta
  • Pernas abaixo
  • Retorno ao domicilio
E vocês? Como foi a vossa última borradela numa peça de roupa intima?


E agora para algo completamente diferente!
Visto que o último post reuniu consenso, o que têm a dizer acerca disto? Será que o civismo só se aplica de vez em quando (ou quando nos convém)?

2007-09-02

O Justiceiro

Não, este carro não fala e não é conduzido pelo Michael Knight, mas tem, com toda a certeza, um justiceiro ao volante. Escutem só o que este menino fez:

  • 1 de Setembro de 2007
  • 21:00
  • A2, a 4000 metros da saída para Almada (sentido Almada - Lisboa)
Vinha com uma moça amiga da praia, encostadinhos à faixa da direita, quando surge um pópó a circular pela berma com os quatro piscas ligados. Seguindo o exemplo deste gajo, começam surgir imitadores às dezenas (deviam estar todos a dar à luz, mesmo os machos) que "criam" uma quarta faixa.
Nós, como cidadãos respeitadores e que não partem um prato, mantivemo-nos na nossa faixa, observando as ultrapassagens pela direita.
À nossa frente, um Megane mostra-se nervoso. Vai-se encostando para a direita mas hesita. Aparentemente o senhor também escapar-se às filas de forma ilegal, mas vai tendo medinho de ser apanhado pela GNR. Aparentemente...
A pouco e pouco as intenções deste senhor tornam-se claras e dignas de um aplauso (de pé).
Então não é que o intuito do individuo não era, nada mais nada menos, que barrar a passagem aos chicos-espertos (reparem só na foto)!


Este Senhor (a partir de agora designado por "Meu-herói-do-Megane") manteve-se, durante 4000 metros naquela posição, resistindo aos ataques furiosos da chica-esperta, e de mais uns quantos veículos, que estavam atrás dele a tentar passar.
Ele eram sinais de luzes, buzinadelas, travagens à queima e, até mesmo, tentativas de ultrapassagem pela valeta. Nada demoveu o Meu-herói-do-Megane.
Reparem só no espaço que ele deixou entre o carro e o rail. Era quase como quem diz:

- Estás a ver este espaço? Não chega para tu passares e está ali só para eu gozar contigo.

Reparem só no espaço que nós deixámos à nossa frente. O Meu-herói-do-Megane tinha sempre garantida uma escapatória. Se a GNR aparecesse, ele entrava e os meninos da 4ª faixa ficavam a arder (no que toca à maldade, gostamos de ser mecenas).

Resultado:
  • 4000 metros de gozo
  • 8 minutos a curtir a fúria da menina que vinha atrás dele
  • 0 pessoas a seguir impunes até à saída para Almada
  • Eu a rir que nem um porco
Viva ao Meu-herói-do-Megane? Viva!