2007-11-29

Crostas

Confesso: sou um esgravatador de crostas.

Não sei explicar o que me passa pela cabeça quando tomo a decisão de não permitir que a crosta siga o seu curso sem ser incomodada. A crosta tem o direito à vida!

Eu tenho um grande apreço pelas crostas deste nosso Portugal. Elas permitem que, entre outras coisas, não sangremos até morte o que por si só é algo com relativa importância.
A crosta tem um temperamento um bocado lixado. Agarra-se à ferida com tal ganância que normalmente só sai depois de ser desmembrada.

A crosta, enquanto matéria prima para a industria têxtil, foi um fracasso. Apesar disso, desejo ardentemente possuir um casaco de crostas. Estou certo de que seria quentinho e impermeável, ideal para o Inverno.

13 comentários:

  1. Anseio apenas por abrir um posto de primeiros socorros na Margem Sul de nome, Crosta da Caparica.

    Sim, eu sei, a imbecilidade não tem limites.

    ResponderEliminar
  2. sofro do mesmo problema q tu pisto! sou solidária ctg!

    ResponderEliminar
  3. Ainda agora arranquei uma das costas, mas já estou arrependida... está a arder!

    Isto é um péssimo hábito :S

    ResponderEliminar
  4. Xiiiiiiii...passei aqui por acaso, mas confesso que sofro do mesmo..é arrancar crostas e espremer borbulhas...que raio de vicio!

    ResponderEliminar
  5. Arrancar crostas???? Pó que te deu...
    Um bom Domingo

    ResponderEliminar
  6. Mak, tu até tens uma certa piada e sim, és imbecil!

    Miss, estamos sempre em sintonia.

    Minerva, arder? Isso é coisa que te vá privar de tal prazer?

    Rasp, borbulhas! Muito bem visto. Faz-me cá uma impressão quando vejo alguém com um saco de pus na cara. Dá uma vontadinha de rebentar aquilo ao pontapé.

    Gaja, é um desporto com milhares de praticantes em todo o mundo. Obrigado e saudinha para si também.

    ResponderEliminar
  7. Ou não, esgravatavas o casaco todo e deixava de ser quente.

    ResponderEliminar
  8. Gija, não digas disparates. Alguma vez eu esgravatada um casaco feito de um tecido que não existe?

    ResponderEliminar
  9. Quando era miúda e esmurrava os joelhos todos divertia-me imenso nos dias posteriores a arrancar as crostas tinha um efeito em mim como talvez as chupetas têm nos bebés

    ResponderEliminar
  10. QUE NOJO, PISTO! Fez-me lembrar de uma amiga dos tempos de escolinha que as comia. Arrrrgh!

    ResponderEliminar
  11. eu também adoro arrancar crostas. e rebentar aquelas bolinhas onde vêm embalados os electrodomésticos! cada maluco a sua mania...

    ResponderEliminar
  12. Poisoned, reciclagem celular!

    Restelo, és a primeira localidade a comentar este blog. Estou muito feliz.

    ResponderEliminar