2007-09-22

O limite

O último post precipitou o que vos ando para escrever há algum tempo.

Haverá algum limite no que toca ao humor? Onde está a fronteira?

Eu acho sinceramente que não há nada que não seja utilizável de forma humorística.
Cancro? Morte? Pedofilia? Acho que tudo é uma questão de escolher a oportunidade correcta.

Graças a esta situação (cuja suspeita divulguei num post) conheci duas pessoas que já experimentaram o "material a sério" e que não se sentiram ofendidas pelo facto de eu escrever "cancro é fixe".
É claro que cancro não é fixe.
O cancro, para além de se vestir mal, não dança hip-hop, não faz graffitis e não pratica desportos radicais.
O cancro é um indivíduo que faz parte de uma juventude partidária e que beija o rabo a tudo quanto é pessoa influente.
O cancro é aquele gajo chato que, por mais que o ignoremos ele continua a tratar-nos como se fossemos o seu melhor amigo.

Tumores, no caso dos jogadores de futebol e dos seus mais vincados fãs, são os brincos com brilhantes. Não há nada que mate mais a masculinidade e bom gosto que aquelas pequenas peças de bijutaria.

Resumindo e terminando a divagação, acho que não tem mal nenhum dar umas gargalhadas à conta de atrasados mentais (desde que eles não se apercebam) se assim não fosse, que fazem vocês a ler este blog?
Pecadores...

5 comentários:

  1. Tens uma surpresa no meu blog! Para te lembrar de ires lá mais vezes... eh eh eh ;)

    ResponderEliminar
  2. Ora já que o senhor havia pedido, "individuo" escreve-se indivíduo, uma vez que é palavra esdrúxula. Não discordando totalmente da posição do Sr. Dr. Piston quanto a sentido humorístico, tenho uma pergunta: Estás a partir do princípio de que o cancro é um ser humano, ou que o atrasado mental não é ser humano? Porque só se podem comparar coisas da mesma categoria...
    Bem... vou descansar que isto foi esforço mental a mais...

    ResponderEliminar
  3. Teka, corrigido!

    Só se podem comparar coisas da mesma categoria? Você tem estado atenta ao que se escreve por aqui?
    Eu já pus aqueles bocados de meia que ficam entalados nas unhas a dominar o mundo!

    O atrasado mental é um ser humano (pelo menos assim me considero).

    ResponderEliminar
  4. Olha... um post onde me referes ainda por cima referes que te quero ver morto!
    Que orgulho =) =) =)

    ResponderEliminar
  5. Ah... e criancinhas demenciais são giras de se ver a babarem-se todas e a soltar aqueles grunhidos enquanto lhes cai ranho pelo nariz. Ora, tu.

    ResponderEliminar