2007-09-06

FUCK THE...

Não percebo como é que este homem, que dispara raiva para tudo quanto é sitio, esquece-se de uma tão básica:



FUCK THE JOURNALISTS!
Estou cada vez mais fartos deles.

O Jornal Nacional de hoje (fui mais uma vez "obrigado" a vê-lo) foi demais. Foi tanta a parvoíce que ouvi que só consegui memorizar uma: "...tem uma bala alojada na zona da cabeça..."

Como é que se tem uma bala alojada na "zona da cabeça"? Estará "alojada" na orelha? Encravada num piercing? Quem é que deu a carteira profissional a este boi falante?

A BALA OU ESTÁ NA CABEÇA OU NÃO ESTÁ!

Num outro directo, a jornalista informava "tenho que mostrar isto, tenho mesmo que mostrar isto". Tinha que mostrar o quê? Tinha que mostrar que os tugas estavam à porta das instalações PJ de Portimão à espera que Kate McCann saísse. Há, por alguma hipótese, povo mais triste que o português?

No meio deste poço de merda (visualizem bem), ainda há alguns jornalistas em condições.
Um deles é Mário Crespo, uma velha raposa que faz os trabalhos de casa, convida a presa para um estúdio e persegue-a até a ter encurralada.
Mário Crespo é também o senhor que apresenta as peças do "60 minutes" e que desde que foi gozado pela sua meia-branca, passou a usar pretas.
Mário Crespo usa sempre as mesmas palavras no final das peças jornalísticas do "60 minutes":

"... a excelência deste jornalismo é nos trazido pela CBS, mas é vos apresentado, nesta excelência de conteúdos que é a Sic Noticias..."

Reparem só o conhecimento cientifico que este senhor tem,



na forma como ele faz aquilo que todos gostaríamos de fazer, tirar propositadamente o Valentim do sério



e como ele persegue este menino até ao fojo mais próximo.




(Aposto que ninguém viu este até ao fim.)

21 comentários:

  1. 35 minutos??? Ó piston, a minha vida não é isto!!! Eu tenho que saber envelhecer, tenho que aproveitar bem a vida... 35 minutos no teu blog (mais os minutos dos videos anteriores), isto é uma vida!
    Vou-me mas é pôr a andar, porque tenho mais do que fazer. Ora! Vou mas é ali esfrangalhar um campo de milho trangénico...
    Adeusinho!

    ResponderEliminar
  2. Pois é, os jornalistas são realmente uma raça cada vez mais difícil de aturar...valha-nos, como tu tão bem apontas, alguns deles como o Mário Crespo - a altura das efemérides durante a meteorologia pode-se apontar já como um momento clássico de Crespo e da TV em Portugal (estarei a exagerar?? :).
    Tenho a impressão que já tinha visto a entrevista ao Major - brilhante! Mas ainda não tinha visto esta entrevista a essa personagem já mítica que é o Gualter...Estou quase no fim e realmente...que sofrimento...Eu acho que o Mário Crespo errou na profissão, tenho a impressão que se safava ainda melhor como advogado...que belo jogo de palavras e "tiradas da cartola" que surpreenderam completamente o entrevistado (gostei particularmente do momento em que o Crespo saca de uma citação do próprio Gualter a contrariar a ideia que ele agora diz que defende - mais ou menos, segundo ele...).
    Só para concluir, acho que as pessoas que intervieram nesta acção, a partir do momento em que destroem propriedade alheia e partem para a violência, perdem toda a razão na discussão. Nada justifica o que fizeram, por muita razão que tivessem e isso demonstra-se flagrantemente no discurso hesitante e gaguejante deste entrevistado...Rídiculo, foi a palavra que me veio à cabeça quando vi aquelas imagens de destruição...

    P.S.:Este Gualter deve ser alguma espécie de celebridade, é convidado para tudo e mais alguma coisa...

    P.S.2: devia receber um prémio por perder 30 minutos do "Finding Forrester" para ver este caramelo...;)

    ResponderEliminar
  3. Ora bem, são 4h15 da manhã e acabei de ver os 35m integrais desta entrevista e só posso dizer que valeu a pena. O Mario Crespo esfrangalhou o activista..perdão, o "porta voz" do movimento Verde Eufémia. Estando ele próprio sereno, ou tentando, dentro do contexto do escape às balas do jornalista, não deixou de se ver que foi quase humilhado em directo por um jornalista de grande qualidade e com o trabalho de casa feito, que de resto merece muito mas muito mais do que estar num canal de cabo. Mario Crespo é um grandioso jornalista que põe o dedo na ferida e que não se coibe de ir directo ao assunto de uma maneira deliciosamente corajosa. Merece sem dúvida ser o pivot nº 1 de informação do principal canal da cadeia Sic pelo profissionalismo e frontalidade com que entrevista sem medos o entrevistado.

    Um exemplo de profissionalismo e capacidade jornalística.

    ResponderEliminar
  4. Carissimo Piston: Tenho a informar V. Exa que existe à sua espera um fabuloso desafio no meu blog. Mais ainda poderá ou não vir acompanhado de um conjunto de tupperwares!

    ResponderEliminar
  5. Estando a contribuir largamente para um processo disciplinar que determine o meu despedimento por justa causa, vi o(s) vídeo(s) na integra.
    Realmente, o "reacça" foi massacrado (minutos-9:30/14:17/16:10/33:00/34:30) por um jornalismo exemplar!
    Comparável a um combate de boxe em que o Sr. Mário Crespo vence por KO consecutivos clones de esquerda!!!
    Muito bom mesmo.
    "Granda" post!!!!!

    ResponderEliminar
  6. É o que eu digo! Há jornalistas e jornalstas!
    E sim, não vi até ao fim o video. Eheh

    ResponderEliminar
  7. Não seja assim. Há bons jornalistas.Isentos, verdadeiros preocupados. O problema é que os jornalistas têm as pernas cortadas pelos patrões e ou fazem o que lhes mandam (subir as audiências, sempre) ou vão para a rua. E como cada vez mais os meios de comunicação pertencem a meia dúzia de grandes grupos que só pensam em lucros, liderados por pessoas que não percebem nada de jornalismo sério... é a merda que se vê. E de comer, infelizmente, toda a gente precisa.É uma espécie de ditadura e é frustante como o raio.

    ResponderEliminar
  8. Mike, esfrangalha aí com força.

    Izzi, essa da meteorologia já é mesmo um clássico.
    O homem faz-lhe uma marcação serrada. O jovem Gualter levou uma coça.
    O teu comentário foi feito às 3:58, o que prova que ou estás de férias ou és um vagabundo que não faz nada da vida. Qualquer uma das hipóteses anteriores não será premiada.

    The pogues, o homem está bem naquele horário. Como pivot no horário nobre não tinha a liberdade que tem na Sic Noticias.

    Daniela, ainda não percebeste que gosto mais de limpar o ânus de um cão que responder a essas coisas?
    Porque é que me fazes uma coisa destas?

    Flávio, vocês surpreendem-me. Quando acho que escrevi uma boa bosta e que vai ter muito poucas reacções, saem-se com estas...

    White, vê que é bonito.

    Leididi, deixe-me desde já dizer-lhe que é para mim uma honra ter comentários, no meu humilde blog, escritos por uma princesa morta.
    Quando estava a escrever isto pensei numa data de vezes em ti.
    Embora compreenda o teu comentário, essa pressão não justifica a estupidez que prolifera nesta área.
    Seja como for, por muito que sejam as pressões, tu não te pões de joelhos (como toda a conotação sexual) se o patrão pedir, certo? Porque é que hão-de os jornalistas vender a alma ao diabo e atropelar o código deontológico pelo qual se deviam reger?

    ResponderEliminar
  9. Sim, não há outra solução que não admitir: sou uma vagabunda...não, estou mesmo de férias. Mas mesmo assim, haja paciência para ver essa coça até ao fim...
    E concordo plenamente contigo. Os jornalistas têm um código deontológico pelo qual se devem reger e quanto mais não seja devem ter uma consciência e uma noção de moralidade e limites - ou talvez não, tendo em conta o que se vê e lê por aí...

    ResponderEliminar
  10. Um Izzi é fêmea? Estou surpreso.

    Resumindo, os jornalistas são na sua esmagadora maioria, bestas.

    ResponderEliminar
  11. Nunca pensei que este nick fosse ambíguo, mas pelos vistos acontece de tudo...

    ResponderEliminar
  12. É que esse nick nem roça o metrossexual, quando muito, é lésbico.

    ResponderEliminar
  13. Parece que não sou só eu que sou noctívaga por estas bandas...também és um vagabundo ou 'tás de férias?

    ResponderEliminar
  14. Pensaste em mim, que querido. Eu sei que o jornalismo em Portugal está pela hora da morte, mas também sei que é fácil falar quando se está de fora. E esta é uma discussão interminável e eu não me apetece, porque depois começo a pensar e a pensar, e lembro-me que tb eu vendi a alma ao diabo e abdico, de vez em quando, de alguns princípios, em nome das audiências. Às vezes dou a volta, sem ninguém notar, e a coisa corre bem na mesma, mas nem sempre dá.

    ResponderEliminar
  15. se qq 1 de vós tivesse visto o toda a verdade sobre o tema dos transgénicos, em q o próprio mario crespo faz a introdução do tema, talvez conseguisse atingir 1 vislumbre da importancia do tema. obviamente q nao defendo nem nnc vi estes tipos mais gordos do gaia ou crl q os fôda.. mas o tema é complexo e nem de perto nem de longe o mario crespo conseguiu rebater minimamente a verdadeira questao. limitou-se a atacar a legitimidade do grupo.. q tratando-se 1 grupo ecologista 'a partida nao e' nada do outro mundo.. seguiu simplesmente o abc do jornalismo, até um puto de 10 anos faria aquela argumentação.

    ResponderEliminar
  16. antes q me esfolem vivo por nao ter achado a entrevista do mario crespo uma coisa fabulosa permitam-me corrigir, obviamente q me referia aos 60minutos e nao ao toda a verdade..

    ResponderEliminar
  17. Não vejo por aí muitos pivots a fazerem o trabalho de casa e a ter a capacidade de expor o entrevistado com classe, sem agressividade e arrogância despropositadas.

    Não está em causa a relevância do tema. Quer-me é parecer que, no fundo do circulo, a extrema direita e a extrema esquerda tocam-se...

    Nada de bom vem da forma como essas pessoas tentam ganhar atenção.

    ResponderEliminar
  18. Este Crespo é um senhor com letra GRANDE. Durante a entrevista toda tive mesmo a espera que o porta voz da Verde Eufemia se lavasse em lagrimas, que pena que n aconteceu :(

    ResponderEliminar
  19. Epá apesar de toda a genialidade deste senhor eu gosto mesmo é do cabelo do Gualter... Que coisa mai linda.

    ResponderEliminar
  20. O porta-voz nunca que poderia desfazer-se em lágrimas. Ele está protegido pelo poder da ordem do rabicho.

    ResponderEliminar