2007-02-02

Sai um aborto fresquinho (ou não)! Católicos a espumar.

Pela primeira vez na história da minha vida eleitoral, estou dividido (cada vez menos).
Vamos lá tentar lixar a argumentação aos católicos, com a ajuda de algumas ideias que foram retiradas do último episódio do House MD, emitido nos E.U.A., que veio mesmo a calhar.

Quem acredita em Deus, acredita na vida depois da morte e devia defender o aborto mais que qualquer outra pessoa. Ao abortar, a potencial Mãe está a evitar que um ser faça a sua passagem terrena de forma infeliz e indesejada. O aborto, visto desta perspectiva, não é mais que cair na casa do monopólio que dá acesso directo ao paraíso. De que forma é que isto pode ser negativo? Paraíso é um lugar fixe, certo?

Quem defende a morte de meninos como Hitler e Saddam, não pode ser contra o aborto. Independentemente de terem sido meninos mal comportados, é retirar uma vida. Ninguém sabe se um feto não nos vai proporcionar um maravilhoso genocídio na Damaia. Assim sendo, o abortar pode ser uma execução legítima e prematura.

Confesso que o meu medo/dúvida é, se o sim ganha, há alguma hipótese de a lei ser retroactiva? Se assim for, já sei que me vou ter que apresentar no matadouro.

Entretanto, percam algum tempo a analisar este maravilhoso post.

6 comentários:

  1. Se a lei fosse retroactiva era da maneira como eu finalmente ia visitar a Assembleia da República. É que eu gosto de visitar os monumentos quandos eles estão vazios, para estar mais à vontade!

    ResponderEliminar
  2. Achei especial piada ao aborto como modo de chegar mais depressa ao paraíso. É que nunca tinha pensado nisso... A próxima vez que me aparecer à frente uma beata já sei o que lhe vou dizer!

    ResponderEliminar
  3. Que venha depressa od dia 11 de Fevereiro para isto acabar.

    ResponderEliminar
  4. Que venha depressa od dia 11 de Fevereiro para isto acabar.

    ResponderEliminar
  5. Subscrevo total, infinita e inabalavelmente. Este post é de uma genialidade tal, que tomei a liberdade de o postar no meu blog.
    Se queres direitos de autor, fico-te a dever um cheque-prenda-aborto.

    ResponderEliminar
  6. Zé, deixas-me com lágrimas nos olhos.
    Que fique bem claro que as ideias vieram do episódio "One day, One Room" do House MD.

    Estou capaz de te pôr nos meus links pela quantidade de merda que tens no teu blog, não pode é ser já se não ainda acham que caio em patranhas bajuladoras. Apesar de ser um camelo, tenho que manter as aparências.

    ResponderEliminar