2007-01-27

O estripador de Lisboa

Por algum tempo julguei ter implantada em mim uma memória falsa. Para além da série "Policias", nada mais comprovava a existência do artista.
Antes de começar a escrever este post, resolvi tentar mais uma pesquisa no Google. Desta vez obtive resultados. "O estripador de Lisboa" existiu (ou existe). Afinal não imaginei os noticiários da RTP a abrir com mais uma prostituta estraçalhada. Portugal tinha mesmo cativado a simpatia de um assassino em série. Mas ele não se ficava por aí, também praticava a artes de talhante e de cirurgião nos corpos das desafortunadas prostitutas. Neste artigo do Correio da Manhã, vem bem detalhado o que o menino fazia às meninas (seus sádicos, não vão resistir).
O que interessa aqui, é que vocês podem muito bem estar a ler o blog d' "O estripador de Lisboa" (só tenho que vos convencer que, com 8 anos, já era versado nas artes do estripamento).

"Todos os homicídios foram cometidos de noite – o que sugere um solitário. O assassino, de acordo com o retrato psicológico, é um homem só, sem relação com as vítimas e com registo criminal imaculado e acima de qualquer suspeita."

Este foi o perfil a que chegou a P.J. e que se acreditava encaixar no criminoso. Ora nesta descrição, se acrescentarem "mete-nojo" e "atrasado mental" atingimos a perfeita e total descrição do jovem Jorge.
Quando iniciar a minha carreira, vou começar pelos leitores deste blog.
Será que assim vos convenço a manterem-se afastados deste pedaço de merda literária?

16 comentários:

  1. CA MEDOOO!!!

    1ª e ultima vez que aqui venho, sendo assim :p

    hihihihi

    ResponderEliminar
  2. Finalmente! Alguém com o mínimo de sensatez (ou miáufa).

    ResponderEliminar
  3. humm miáufa eu???

    so por isso vou passar a vir, e como prova de nao ter qualquer pitadazita de miáufa!

    tenho dito :P

    ResponderEliminar
  4. Aviso desde já que é extremamente desagradável ter tripas espalhadas pela alcatifa. É dificílimo remover nódoas de sangue+cócó.

    ResponderEliminar
  5. Ahhhhhh!!!

    Por acaso, até apontava mais para o Diogo Alves... e que essa história do "Jorge" era um simples e mau disfarce. Até porque, pela tua cara, já levas uns bons aninhos...

    Mas assim está tudo esplicado!

    E com a evolução dos tempos passaste das prostitutas toxicodependentes aos bloguistas... Faz sentido.

    ResponderEliminar
  6. (voz nasalada) Oh Xana, não diga isso! Acha que estou mal? São as rugas os os cornos?

    ResponderEliminar
  7. (Voz ainda mais nasalada -Mas anda tudo constipado???????!!!)

    Errrrr... os cornos, definitivamente os cornos!

    ResponderEliminar
  8. Buh!

    (ah e ainda n fui ler a descrição pormenorizada...)

    ResponderEliminar
  9. Tu vê lá, ó estripador, se o feitiço não se vira contra o feiticeiro!!! (Ainda acordas por aí com o repasto da "dobrada" espalhado à tua volta...

    Referia-me aos efeitos do tempo porque o célebre Diogo Alves foi enforcado em 1841...

    ResponderEliminar
  10. B.I.T.C.H.:
    Veja lá se não lhe cai o dentinho (se não cair eu arranco-o com um pé-de-cabra).

    ResponderEliminar
  11. Alexandra, quem é que iria estripar este triste pedaço de carne? Quem teria a coragem e resistência para entrar no meu quarto com aroma a cadáveres putrefactos? Tu? Queres ter a minha cabeça num frasco para decoração, tipo aquário?

    ResponderEliminar
  12. Uffffffffffff...

    Tens razão!!!!

    Mas quando saires do quarto... Essa cabeça ficava lindamente sobre a minha lareira, obviamente sem as ceroulas que leva atrás.

    ResponderEliminar
  13. E és lá tu mulher para ma cortar com uma tesoura? Não me parece.

    ResponderEliminar
  14. Corte e costura é a especialidade de qualquer mulher!

    ResponderEliminar
  15. Uma menina com unhas-lindas-de-fazer-desconhecidos-acordar-me -para-perguntar-coisas, não suja as mãos em montes de esterco como eu (tenho espinhos e mordo).

    ResponderEliminar