2014-04-10

Postas e Fernando Alves

Convencido de que iria embarcar em mais uma jornada de conhecimento e auto-descoberta, entrei no Minipreço para comprar laranjas.
Recolhido o produto que me levou àquele santuário de meditação, deparo-me com uma gigantesca fila que em alguns minutos foi partida em duas, aquando da abertura de uma nova caixa.
Como se a espera não fosse suficiente, à minha frente estava uma vagarosa idosa, com a qual já me havia cruzado, cuja cabeça havia tido um encontro romântico com uma cisterna de laca.

O empregado que veio a assumir os comandos da nova linha de produção de bips era o mesmo que já havia travado conhecimento com tal senhora, encontro esse que havia presenciado. A conversa que tinha agora  continuação prendia-se com o facto da senhora querer saber se a embalagem de "tranches de pescada" estaria abrangida pelo talão de desconto que prometia o pagamento de menos 25% em "postas de pescada".
O pobre funcionário, que julgava anteriormente ter conseguido chutar o problema para quem estivesse a trabalhar nas linhas de caixa, deparou-se com um problema que não sabia resolver e para o qual teve que pedir ajuda de uma colega:

- Ó Kátia Vanessa, tranches e postas é a mesma coisa? Blablabla desconto?

Enquanto aquele episódio de consultoria semântico-piscícola não chegava ao seu termo, lembrei-me de Fernando Alves, jornalista da TSF que me conquistou de alguns meses a esta parte.
Na crónica diária que assina na mesma rádio, Fernando Alves começou por tocar no meu nervo da irritação projectando-se na minha mente como um peneirento com a pretensão de passar por grande filósofo. O tempo e os encontros radiofónicos ocasionais vieram a fazer com que me apaixonasse pela forma poética como declama o presente e pela forma como faz um malabarismo de diversos temas e referências em poucos minutos de emissão. Passei a segui-lo religiosamente, dentro do que me é ateiamente possível.

Não sendo garantido que todas as edições me tenham gerado alguma comichão mental, a maior parte conseguiu tal feito. Ao fazer as pesquisas que achei necessárias para redigir este post descobri que este espaço que tanto prazer me tem dado existe desde 1995. Há quase 20 anos que este homem partilha connosco diariamente a forma como vê o mundo. É muito tempo.

Para aqueles que estão a esta altura completamente desiludidos por terem lido um texto que brotou das minhas patas sem uma sequer referência à Maddie, à Casa dos Segredos ou à Manuela Moura Guedes, aqui vos deixo um prémio de consolação que, não sendo uma referência do tom habitual, é um excelente exemplo da elasticidade das palavras e do encadeamento de ideias que se pode esperar deste jornalista.

Quanto às postas de pescada, essas nunca chegaram a fazer o checkout do supermercado.

2014-03-25

Quero casar com José Rodrigues dos Santos

Desde que Judite de Sousa e José Alberto Carvalho saíram da RTP (rumando a uma ETAR televisiva) que a RTP só tem uma figura de peso.
Sempre que vejo um qualquer jornalista com uma postura abananada a fazer uma "grande" entrevista a um primeiro ministro ou uma personalidade de relevo, penso no Zézito das orelhas gigantes:
- Onde estará? Porque é que não é ele a dar uma tareia a este entrevistado?

José Rodrigues dos Santos fez frente, por várias vezes, a administrações da RTP. Já tentaram correr com ele da estação, sem sucesso. É uma alma simpática e em simultâneo um cavalo indomável, altamente imprevisível. Acredito que tenha sido por esta razão que não tem sido colocado na posição de destaque que merece.

Neste Domingo, na primeira oportunidade que teve para defrontar um ex-primeiro ministro com graves problemas de atitude, Rodrigues dos santos não desiludiu e deu-lhe uma senhora coça, com direito a vários rounds (8m30s).

Como se isto já não fosse suficiente para eu querer ser as mãe dos seus filhos, desejar que ele fecundasse o meu útero rectal numa louca noite de amor, José Rodrigues dos Santos intervém para desmontar a polémica que se gerou em torno da entrevista explicando o que havia acontecido algumas horas antes:
"Almoçámos e expliquei-lhe o meu raciocínio. Avisei-o de que, se encontrasse contradições ou aparentes contradições entre o que diz agora e o que disse e fez no passado, as colocaria frente a frente e olhos nos olhos, sem tergiversações nem subterfúgios, como mandam as regras da minha profissão."

Fosse eu gay e não descansaria enquanto não conseguisse virar este macho intelectualmente musculado.

2014-03-20

O Tom Hanks que não há em nós

O filme "Captain Philips" conta a história da tripulação de um navio que foi feita refém por piratas somalis.
Não sendo especialmente brilhante vale pela cena final.

Agora que a crise está teoricamente de saída, que das máquinas multibanco brotarão flores e unicórnios, está na altura dos portugueses que saíram relativamente intocados pelo papão Troika (tal como eu) respirarem de alívio e voltarem a votar no PSD e CDS.
  • Está na altura de ignorar que há milhares de pessoas que caíram no desemprego e que não voltarão a fazer parte da população activa, com todos os problemas financeiros e de auto-estima que isso acarreta.
  • Está na altura de ignorar que há milhares de pessoas que passaram dezenas de anos a pagar o empréstimo que contraíram para a compra da sua casa e que, tendo pago de 80% da mesma, vêem-se incapazes de pagar o restante, perdendo assim todo o dinheiro despendido e o telhado que os protegia.
  • Está na altura de sermos pragmáticos e de ignorarmos todo o sofrimento alheio porque, na verdade, ele não é real, não nos toca, não nos diz respeito.
  • Está na altura de continuarmos a cavar um pouco mais o fosso social que conduzirá à desintegração da pirâmide onde confortavelmente alapámos o rabo.

Contracenando com uma verdadeira médica da marinha norte-americana, com nenhuma experiência como actriz e que no primeiro take estava de tal modo em pânico que não conseguiu desenrascar uma interpretação minimamente aceitável, Tom Hanks faz, logo ao segundo take aquilo que provavelmente não é inteligível para quem não viu o resto do filme ou para quem demonstrou publicamente uma grande indignação pelos "ataques" da Pepsi em relação Cristiano Ronaldo.

2014-02-27

Artista sem obra

O gás intestinal não tem personalidade.
O gás intestinal não tem alma.
O gás intestinal é uma entidade à espera de identidade.

O esfíncter é um escultor.
O esfíncter é um músico.
O esfíncter é um poeta.

O flato é rima.
O flato é nota largada ao vento.
O flato é coreografia.

A bufa é folha em branco, é a cobardia das entranhas em forma de suspiro.




2014-02-07

Momento puxa o braço atrás e promove um encontro dentário com a barra de ferro que tens na mão

Quando achava que não podia haver nada pior do que qualquer programa da CMTV ou da TVI, eis que surge do nada, fazendo uma ultrapassagem pela direita, Carlos Dias da Silva, organismo acéfalo que trabalha na Benfica TV.

O vídeo que vos apresento com todo o carinho foi-me mostrado sabendo apenas de antemão que ao longo deste episódio iria presenciar uma pergunta chocante.
Poderia dizer-vos de imediato qual o minuto em que a mesma ocorre mas, no entanto, acho importante que vejam o vídeo para que possam ir carregando de ódio os vossos colesterosos corações.

No final do visionamento do trabalho que o calhau com dentes produziu, não se acanhem, deixem parte do vosso amor transbordar para a página de Facebook do menino e, já agora, para o endereço de e-mail da Benfica TV.


Profissionais deste gabarito seriam mais úteis como equipamento para detecção de minas anti-pessoais.

2014-01-16

A duração da tosse dos velhos deveria estar regulamentada

- Desculpe lá mas o senhor(a) está a tossir há mais de 47 segundos, vai ter que entrar para esta fornalha, ok?

2014-01-14

Ainda não fui a correr deixar um "obrigado Ronaldo" no meu mural do Facebook...

... porque sei que durante os próximos 10 anos ele vai estar ocupado a ler os murais até à letra J.
Tenho tempo.

Retardados.

2014-01-10

5 de Janeiro de 2014 - O dia em que a extrema-direita benfiquista se sentiu extremamente confusa

Nunca percebi a verdadeira importância do Eusébio até ao passado Domingo.
Sabia, como é óbvio, que havia sido um excelente jogador, que tinha uma grande paixão pelo Benfica e que era estimado por muitos. Desconhecia que era adorado por tantos.

Ao longo das exaustivas horas de cobertura do evento, foi com alguma surpresa que me apercebi que ele era verdadeiramente respeitado não pelo seu extenso palmarés mas sim pela nobreza dos seus gestos em campo e pela postura humilde que manteve até ao fim.

Foi um dia especialmente duro para os seres bi-neurais, das claques, que torcem pela cor vermelha.
É complicado lutar contra o neurónio que diz "comemora, morreu mais um preto" quando o outro diz "tens que ficar triste, morreu um preto que marcou buéda golos pelo Benfica".

Vidas.

2014-01-03

Acabo de ver...

... o pêlo púbico mais espesso que alguma vez vi.
Está no urinol da casa-de-banho no primeiro piso do Centro Comercial Amoreiras.

Corram para o verem antes que vá na corrente!

2013-12-25

Macaulay Culkin e a TVI desejam-lhe um bom Natal

 


Quem não está a achar piada nenhuma ao facto de estar a ser ignorado há anos, é Clark Griswold.


2013-12-24

"Não se esqueça da cuequinha para logo e para a passagem de ano."

Estas palavras foram-me dirigidas por uma promotora da Intimissimi, no Oeiras Parque, há segundos.
Apanhou-me de passagem pela loja e saiu-se com esta.

Logo agora que eu planeava manter-me com o escroto a roçar pela ganga...

2013-12-17

Navegação comercial

É necessário que alguém tome em mãos a nobre tarefa de mapear a localização de todas as bancas onde se encontram pessoas que tentam apelar à nossa caridade natalícia.
Tenho cada vez mais dificuldade em navegar em centros comerciais sem que seja forçado a voltar para trás umas quantas vezes.