2016-01-18

Bandeira

Olá pessoas-que-gostam-à-brava-de-utilizar-estrangeirismos-de-forma-completamente-desnecessária.

Parece que surgiu uma nova ferramenta para se sinalizarem como otários profissionais: chama-se síndrome de burnout ou, se preferirem, "muito cansaço" (sabemos que vão ficar pela primeira hipótese, a mais natural para descendentes de primos direitos).

Agora meus pequenos passarinhos depenados, agarrem nisto e espalhem por aí, ao sabor do vento. Irritem-me, vá!

2016-01-03

Desejos para 2016

Que surja um homicida em série que abata pessoas que assinam os e-mails utilizando apenas as suas iniciais com o pretensiosismo de que aquilo é, de certa forma, um cunho pessoal.

Como se a puta da assinatura que está logo abaixo não fosse suficiente para identificar o remetente.

2015-12-24

Sondagens de mesa

Quer-se saber quais serão as razões dos machos e fêmeas para não estarem já casados e com filhos.

Estará ela encalhada para todo o sempre?
Será ele maricas?

- Com tua idade já estava eu despachada!
- Com a tua idade, se não estivesse a cumprir pena, estaria a uma pergunta de morrer com uma facada no baço.

É Natal, é Natal!

Limpem esse sorriso estúpido da cara. Não gosto do Natal, ok?

Se durante as festividades tudo estiver a decorrer na maior harmonia e com grande felicidade, façam-me o favor de não dar notícia alguma.

Se como eu vêem no Natal uma época de profundo sacrifício e tiverem, num golpe de sorte, uma avó que se chegou demais à lareira e pegou fogo ao casaco, venham ter comigo.

Eu sou aquele que vai soltar convosco grandes gargalhadas ao ver as fotografias da velha a correr enquanto dela emanam labaredas de considerável tamanho.

2015-12-19

As personagens que se recusam a morrer

Depois de uma mini-série e muito recentemente uma série, falhadas, eis que estão de volta.
É claro que se isto for mesmo a sério serei forçado a ceder aos meus impulsos pueris de 1990 (sim, eu não vi esta merda pela primeira vez na TVI, esta era a minha série de Domingo ao final da tarde no Canal 1, não me venham com aquela merda do "kit, vem mi buscá") e terei que ir ver o velhote e a sucata.


2015-12-14

Joana d'Arc de Alfornelos

José Sócrates está inocente e só foi detido porque há muitas invejosas que o odeiam. Porcas. Gordas!

2015-12-13

Escola da Vida

Instituto que deu formação a milhares de pessoas em negação e sem auto-estima.

2015-12-12

Star Wars

Quando é que a sociedade deu permissão para este orgasmo constante em torno de Star Wars?  Concordo que é um universo fascinante, mas é necessário impor alguns limites a partir dos quais é necessário sentir algum embaraço.

Se pessoas sexualmente activas começam a expressar publicamente a sua excitação pela estreia, como é que vamos no futuro distinguir choninhas dos demais?
Como é que as crianças de amanhã vão saber a quem podem atirar pedras?

2015-12-11

Geocentrismo ateu

Uma das minhas coisas menos favoritas no mundo são os activistas em causas próprias que só as abraçaram por se verem no meio delas.

Daqui a uns anos, quando a genética conspirar de vez com a alopécia e o meu cabelo cessar de existir, deverei começar a pregar que a sociedade impõe cânones de beleza errados e que "é dos carecas que elas gostam mais"?
E quando vir em revistas fotografias de carecas que não estão a usar um gorro, devo partilhá-las com frases inspiradoras como "finalmente alguém decide fazer uma produção fotográfica com homens reais"?
E passado algum tempo posso ir fazer implantes capilares alegando que "é apenas por razões de saúde" e não porque na verdade tinha andado a tentar vender mentiras aos outros na esperança de que eu próprio começasse a acreditar nelas?

Aceitem o que são e como são e parem lá com essa merdinha de chapar moral estética na cara dos transeuntes.

2015-11-30

Não creio que este blog já esteja morto

Mas sente-se como um cavalo apavorado que caiu e que está tão nervoso que só esperneia, sem conseguir fazer uma tentativa calma e decente para se levantar.

2015-09-20

Peripécias dos fachos em PT

Esta maravilhosa página de Facebook fechou, creio eu, porque foi reportada por muitos fachos que andavam metidos em peripécias.

Tendo em conta o grande serviço que nos estava a prestar estou hesitante no que toca a tentar deitar a mão ao maior número possível de fotografias e a guardá-las neste cantinho.

Não sei o que hei-de fazer.















Como tenho vergonha deste país.


2015-09-07

Uma peça de roupa branca: como eram as redes sociais em 1991


É com surpresa que descubro que a xenofobia é, nos dias de hoje, um sentimento que não vive escondido na penumbra das mentes mais tacanhas mas que é ostentada com orgulho.

Pelas redes sociais e blogues a fora lêem-se opiniões tremendamente embaraçosas no que toca à crise dos migrantes. Tenta-se comparar os portugueses que vivem em imensas dificuldades económicas aos sírios que fogem para sobreviver.

Haverá muitos portugueses que consigam realmente compreender o que é não poder estar no seu próprio país temendo que a qualquer momento a morte chegue através de um qualquer bombardeamento ou investida feita pelo Estado Islâmico ou pelo governo que se recusa a sair do poder?
Conseguirá alguém tangencialmente perceber o que é estar num cenário de guerra em que ambas as partes são maléficas?

Em 1991, como não havia redes sociais para esfregarmos na cara uns dos outros o quão fantásticos éramos, Portugal aderiu em massa ao apelo para que se utilizasse uma peça de roupa branca como forma de condenar a invasão de Timor que era protagonizada pela Indonésia. O massacre no cemitério de Santa Cruz chocou o mundo e os portugueses pensaram:
- Só uma peça de roupa? Não tenho que gastar dinheiro nem fazer qualquer esforço físico e ainda fico bem na fotografia? Vamos a isso!

O país ficou muito orgulhoso e achou que teve uma real influência na resolução do conflito.

Em 2015, havendo uma forma prática de ajudar um povo que troca a sua terra natal para sobreviver, os pais dos portugueses que emigraram nestes últimos 4 anos decidem semear e adubar de forma muito abundante a xenofobia que não querem que exista em relação aos seus filhos.


 Aceitem da minha parte um vigoroso "vão para o caralho".

2015-09-04

Micro-indignação para seres humanos a brincar

Coloque uma sela no dorso miúdo sírio que deu à costa e participe na corrida de popularidade das redes sociais.

O vencedor chegará ao céu de Zuckerberg, onde toda a gente lhe dará constante atenção e banhos regulares de likes.


2015-09-03

"O exemplo tem que vir de cima!"

Com a aproximação das eleições legislativas estou condenado a repetir vezes sem conta as mesmas ideias e a cair na lista negra de um número considerável de pessoas.
Tenho uma séria dificuldade em ver o povo sempre a chutar as responsabilidades para cima, como se fossem inocentes e nada tivessem que ver com o lodo no qual estamos metidos.

Este fim-de-semana, durante uma reunião familiar, ouvi novamente o velho discurso de que o governo isto e aquilo, dão cabo de tudo, blablablasouumjumento.
Sendo o painel composto por familiares, sei perfeitamente as práticas fiscais dos elementos que o compõem e não me inibi de perguntar-lhes se acham que eles são diferentes desses mesmos políticos, corruptos e ladrões. Como é expectável, não gerei sorrisos.

Depois de me barrarem a desculpas que não têm qualquer validade argumentativa acabaram por sacar do bolso uma frase que parece ser o último reduto de jovens e velhos, ignorantes e bem formados: "O exemplo tem que vir de cima!".
Estes detentores de um registo imaculadamente branco no que toca a pensar pela própria cabeça, dizem-me que quando os de cima começarem a ser sérios é que toda a gente o pode ser.

Eu, que estou convencido que os deputados são eleitos por NÓS, que são nossos REPRESENTANTES, não espero que eles me dêem qualquer exemplo. Neste caso a base da pirâmide é que deve definir quais as normas a cumprir e quais os comportamentos que são inaceitáveis e que não serão tolerados.

De facto, se olharmos um pouco para trás, perceberemos com facilidade que a estrutura que nos governa está atenta e, de facto, legisla à nossa imagem. A amnestia que é concedida de 4 em 4 anos alternadamente a um e a outro partido demonstra que nada é suficientemente amargo ao ponto de não eliminar a reflexiva vontade de voltar a meter mais do mesmo na boquinha.

2015-08-31

9 anos

Querido blogue,

Hoje que é o teu aniversário e que começas a deixar de ter interesse para diplomatas e malta do Clero, gostaria de me endereçar a ti como fazem as pessoas que escrevem coisas no Facebook como se fossem para entes-queridos que esticaram o pernil.

Gosto muito de ti caraças. Bem sei que sem mim não existirias e que, bem vistas as coisas, estou apenas a ser um narcisista de merda, mas gosto mesmo de ti.

É certo que já tive muito mais orgulho no que expões na tua montra mas, ainda assim, é factual que me deste a conhecer muitas pessoas ao longo destes anos e que algumas delas passaram a ter uma importância gigantesca na minha vida. É também inegável que, quando já te julgava enterrado, rompeste a terra com o teu bracinho imaginário e voltaste para abalar os meus alicerces, dando-me a conhecer uma pessoa cujo enquadramento legal no que toca à saude mental é deliciosamente discutível mas que, juntamente com todos os que por aqui passaram ao longo de destes anos, fizeram com que a minha inevitável insanidade fosse severamente atrasada.

Aceita este meu singelo agradecimento em jeito de auto-fellatio.

Cumprimentos,
Piston